Posts

Herdade da Figueirinha Syrah, 2006

País Portugal
Volume 750ml
Tipo Tinto
Safra 2006
Uva 100% Syrah
Teor Alcoólico 14%
Região Alentejo
Amadurecimento 12 meses de guarda em barricas.
Herdade da Figueirinha Syrah, 2006

Herdade da Figueirinha Syrah, 2006

 

Visual Coloração rubi tijolo intensa com auréola granada.
Olfativo Impressiona por seu caráter elegante, com notas tostadas provenientes da madeira em plena sinfonia com as características dadas pela uva e pelo excelente terroir da região de Alentejo. O vinho possui um intenso e preciso nariz que abre em delicados aromas de especiarias, figos secos e ameixas maceradas, produto da evolução, e se encontra num excelente momento.
Gustativo Esplêndido no paladar, com concentração significativa, potente apesar de sua idade avançada, profundo, cheio de sabores, sólido como uma muralha de cerejas e ameixas secas, macio e sedoso, mas ao mesmo tempo com boa estrutura, pleno de frutas e rodeado de taninos de extraordinária qualidade. Um vinho apaixonante, delicioso, que vale a pena conhecer.
Dica de Harmonização Bife grelhado mal passado com ratatouille e purê de batatas.
Codorna estufada com ervas e amêndoas no molho de uvas Merlot.
Ravióli de abóbora com molho de queijo de cabra.
Linguine com cogumelos silvestres salteados na manteiga de trufas.
Risoto de cogumelos.
Temperatura de Serviço 16 ºC
Potencial de Guarda 10 anos
Nome da Vinícola Monte Novo e Figueirinha
Enólogo Responsável António Saramago
Pontuação Winechef

Herdade da Figueirinha Syrah, 2006 - 92 pontos Winechef

Herdade da Figueirinha Syrah, 2006 – 92 pontos Winechef

 

Vinho Namaqua Shiraz, 2008

País África do Sul
Propriedade da Vinícola 90 hectares
Volume 750ml
Tipo Tinto
Safra 2008
Uva 100% Shiraz
Teor Alcoólico 13,50%
Tipo de Uva Tinta Shiraz
Amadurecimento 6 meses em barrica de carvalho.
Namaqua Shiraz 2008

Namaqua Shiraz 2008

 

Visual Bonita cor vermelha rubi com tons alaranjados.
Olfativo No nariz apresenta uma interessante expressão de frutas negras maduras, alcatrão, especiarias e aromas balsâmicos quentes. Aromas poderosos e focados de frutas maduras (cassis e framboesas), alcaçuz e leve baunilha, mostrando uma boa profundidade no olfato, com a madeira absolutamente incorporada ao conjunto.
Gustativo Encanta pela forma como se exibe na boca, mostrando muita elegância – produto dos seus taninos que já estão num excelente momento, e se sentem suaves e delicados, tudo acompanhado de uma acidez finamente esculpida, que se sente intensa, mas está equilibrando o paladar e aportando num final de boca muito longo.
Dica de Harmonização Cabritinho assado.
Leitão recheado à moda da Beira Alta (com toucinho, e chouriço) assado lentamente.
Lombo de cordeiro recheado com bacon.
Cortes bovinos na parrilha.
Temperatura de Serviço 15º
Potencial de Guarda 7 anos
Nome da Vinícola Namaqua
Pontuação Winechef

Vinho Namaqua Shiraz, 2008 - 90 pontos Winechef

Vinho Namaqua Shiraz, 2008 – 90 pontos Winechef

Vinho Gran Calzadilla, 2006

País Espanha
Propriedade da Vinícola 26 Hectares
Volume 750ml
Tipo Tinto
Safra 2006
Uva 80% Tempranillo e 20% Cabernet Sauvignon
Teor Alcoólico 14,5%
Tipo de Uva Tinta Assemblage
Vinho Gran Calzadilla, 2006

Vinho Gran Calzadilla, 2006

 

Visual Vermelho intenso com leve evolução
Olfativo A concentração no nariz é sublime, muitas camadas de fruta madura, cerejas, figos, amoras se unem com inumerável quantidades de descritores aportados pela guarda de 18 meses em barricas, as que entregaram muita complexidade. Cedro, tabaco, caixa de puros são os que se percebem com maior claridade, mas tem atrás muitos outros aromas. Se abre logo com reminiscências florais, violeta, lavanda, todo integrado ao extremo.
Gustativo Suculento e poderoso ao paladar, é oleoso, com muita estrutura e impressionante concentração de frutas maduras. Tem cassis abundante e taninos ainda sólidos, que fazem com que o vinho se feche no final de boca – e isto é um sinal claro de potencial e juventude. É um vinho encorpado e robusto, potente e firme, que vai precisar de mais algum tempo de garrafa para mostrar todo o seu nível. Escondido atrás dos taninos e da concentração está um vinho maravilhoso. É só uma questão de tempo.
Dica de Harmonização Filé de cervo com crosta de “pain de épices” e purê de cerejas.
Magret de pato ao molho de frutas vermelhas com purê de batata-doce.
Rabo de boi e lâminas de trufas negras.
Paleta de cordeiro com pûre de batata e molho de vinho tinto.
Carne vermelha com molho de cassis e risoto de cogumelos.
Carne de boi cozida com cebolas ao vinho Tempranillo.
Costeleta de javali com molho caçador e julienne de alho-poró frito.
Temperatura de Serviço 16º
Potencial de Guarda 15 anos
Nome da Vinícola Pago Calzadilla
Ano de Fundação da Vinícola 1992
Produções Limitadas Vinhos de Autor
Enólogo Responsável Alfonso Torrestes/Paula Úribe
Pontuação Winechef

Vinho Gran Calzadilla, 2006 - 93 pontos Winechef

Vinho Gran Calzadilla, 2006 – 93 pontos Winechef

Vinho Triangle Ultra Premium Reserva Cabernet Sauvignon, 2008

País Chile
Propriedade da Vinícola 23 Hectares
Volume 750ml
Tipo Tinto
Safra 2008
Sub-Região Cauquenes
Uva 100% Cabernet Sauvignon
Teor Alcoólico 13,1%
Tipo de Uva Tinta Cabernet Sauvignon
Amadurecimento 18 Meses em barricas
Vinho Triangle Ultra Premium Reserva Cabernet Sauvignon, 2008

Vinho Triangle Ultra Premium Reserva Cabernet Sauvignon, 2008

 

Visual De cor vermelho rubi com profundos reflexos violetas.
Olfativo Possui notas de frutas vermelhas maduras como framboesa, ameixa, amora e cassis complementado com nuances de madeira, baunilha, caramelo, café e especiarias sob fundo balsâmico, terroso, tudo em perfeito entendimento.
Gustativo Musculoso e potente na boca, é compacto, extraordinariamente sedutor, denso, com ótima estrutura de taninos firmes, aliados a um particular e intenso frescor natural, outorgado pelo seu magnifico terroir (velhas parreiras no Valle de Maule, no Sul do Chile). Muito persistente no fim-de-boca. Com potencial de mais de uma década na garrafa que certamente irá revelar muito mais complexidade. Recomendável decantar. Vinho altamente indicado.
Dica de Harmonização Tartare de Mignon com risoto de aspargos frescos, alho poró e azeite de trufas.
Jarret de vitela ao molho escuro do próprio cozimento com polenta italiana cremosa ao aroma de alecrim.
Carré de cordeiro com risoto trufado.
Escalopes de foie gras grelhados.
Coxa de pato confitada com aroma de alecrim.
Temperatura de Serviço 16°
Potencial de Guarda 12 anos
Nome da Vinícola Crazy Wines
Ano de Fundação da Vinícola 2000
Enólogo Responsável Jean Pascal Lacaze / Rodolphe Bourdeau
Pontuação winechef
Vinho Triangle Ultra Premium Reserva Cabernet Sauvignon, 2008 - 92 pontos Winechef

Vinho Triangle Ultra Premium Reserva Cabernet Sauvignon, 2008 – 92 pontos Winechef

 

 

Vinho Lealtanza Reserva Artistas, 2005

País Espanha
Propriedade da Vinícola 200 Hectares
Volume 750ml
Tipo Tinto
Safra 2005
Uva 100% Tempranillo
Teor Alcoólico 13,5%
Região Rioja
Amadurecimento 18 meses em barricas novas de roble francês 100% novas.
Vinho Lealtanza Reserva Artistas, 2005

Vinho Lealtanza Reserva Artistas, 2005

 

Visual Coloração rubi compacta e límpida.
Olfativo Aroma magnifico, de alta qualidade, que esbanja elegância e caráter no olfato, com canela e tostado, mais frutas negras maceradas, cacau, sob leve contorno especiado, caixa de charuto e minerais.
Gustativo Estrutura firme em boca, com taninos muito finos. O frescor está perfeitamente integrado e cede muita elegância ao conjunto. Encanta na boca por sua estrutura afável, cheia de charme, com taninos esféricos, frescos, deleitosamente equilibrado. Excelente, com uma decada (ou mais) ainda pela frente.
Dica de Harmonização Tartare de mignon com “gema” de parmesão, risoto de aspargos frescos, alho-poró e azeite de trufas.
Coxa de pato confitada com aroma de alecrim, risoto de cogumelos e espumante, crocante de alho.
Lagosta corada em azeite, com purê de ervilhas e seus grãos salteados com chouriço e flor-de-lula do Atlântico.
Risoto trufado com carré de cordeiro e aves de caça ensopadas.
Faisão assado com trufas negras.
Ossobuco cozido lentamente em molho de pomodoro e arroz.
Temperatura de Serviço 16°
Potencial de Guarda 15 anos
Nome da Vinícola Bodegas Altanza
Ano de Fundação da Vinícola 1998
Pontuação
Vinho Lealtanza Reserva Artistas, 2005- 94 pontos Winechef

Vinho Lealtanza Reserva Artistas, 2005- 94 pontos Winechef

 

Enólogo Responsável Carlos Ferreiro

 

Vinho Casas Del Bosque Cabernet Sauvignon Gran Reserva, 2013

País Chile
Volume 750ml
Tipo Tinto
Safra 2013
Uva 100% Cabernet Sauvignon
Teor Alcoólico 14%
Região Vale do Maipo
Amadurecimento 14 Meses em Barricas de Carvalho Frances
Vinho Casas Del Bosque Cabernet Sauvignon Gran Reserva, 2013

Vinho Casas Del Bosque Cabernet Sauvignon Gran Reserva, 2013

 

Visual Violácea intensa muito profunda
Olfativo É muito intenso, começando a mostrar as caraterísticas entregues pela guarda em madeiras de roble. Há claras notas a cedro, regaliz, baunilha e outros tons cálidos e defumados também provenientes da madeira, mas, com uma fruta de fundo igualmente intensa, lembrando muito os bons vinhos do Maipo Alto. É um nariz extremamente complexo que está começando a entregar seus elementos e que certamente continuará melhorando na garrafa por muitos anos ou talvez por décadas.
Gustativo Na boca tem toda a força de um Cabernet Sauvignon. Com uma estrutura de taninos muito compactos, ainda bastante firmes e sólidos, que vão precisar alguns anos para se amaciar e permitir que o vinho consiga atingir seu melhor momento. É um vinho que tem muita força, concentrado, fresco e com uma importante quantidade de elementos aportados pela madeira. Poderíamos desfrutar dele hoje, porque já e maravilhoso e delicioso, mas podemos guardar porque tem matéria prima para aguentar muitos anos.
Dica de Harmonização Carré de cordeiro em crosta de azeitona.
Vitela braseada ao molho de vinho tinto com purê de mandioquinha.
Civet de veado com ervas aromáticas e tomate maduro.
Costela de javali com risoto de funghi.
Temperatura de Serviço 16ºC
Potencial de Guarda 12 anos
Nome da Vinícola Casas Del Bosque
Pontuação

Vinho Casas Del Bosque Cabernet Sauvignon Gran Reserva, 2013 - 93 pontos Winechef

Vinho Casas Del Bosque Cabernet Sauvignon Gran Reserva, 2013 – 93 pontos Winechef

 

Produtor chileno planeja cultivar vinhas em Machu Picchu

 

Aurelio Montes criará vinhedo-teste na região berço do Império Inca

O produtor chileno Aurelio Montes anunciou que planeja construir um vinhedo na região próxima à Machu Picchu no Peru.  Segundo ele, serão plantadas cinco variedades de uva no local para verificar como elas se desenvolverão lá.  A região fica acima dos 3.000 metros do nível do mar, e o vinhedo será o primeiro cultivado no local.

“Nós não temos certeza se as uvas vingarão, mas será divertido tentar”.

De acordo com o produtor chileno, o que houve foi uma parceria entre ele e o seu maior importador no Peru, que lhe deu acesso ao vale.  O importador, que é proprietário das terras onde será feito o vinhedo, teve o nome omitido por Montes durante o jantar.

Montes vai inicialmente plantar 1.000 parreiras no local. As variedades incluem Pinot Noir, Sauvignon Blanc, Merlot, Syrah e Chardonnay.  Segundo ele, se forem obtidos bons resultados com a primeira colheita, serão plantados mais cinco hectares na região.  Segundo dados da OIV de 2012, o Peru tem aproximadamente 20.000 hectares de uvas plantadas, sendo que as plantações mais do que dobraram desde a virada do século.

Produtor chileno planeja cultivar vinhas em Machu Picchu

Produtor chileno planeja cultivar vinhas em Machu Picchu

 

Bruxelas liberaliza plantio de vinha para aumentar produção

 
Cinco anos depois de ter patrocinado o arranque de vinha para combater excedentes de produção, a Comissão Europeia apresentou hoje um plano para aumentar a produção vinícola e que acaba com o regime de direitos de plantação.

O novo regime de autorizações para plantações de vinhas, que vigorará a partir de 01 de janeiro de 2016 e até 2020, prevê o crescimento de 1% anual da superfície vinícola de modo a responder à procura no mercado e a enfrentar a concorrência do chamado Novo Mundo, com o Chile e a Austrália à cabeça.

“Os Estados-membros devem conceder anualmente autorizações de novas plantações correspondentes a 1% da superfície total efetivamente plantada com vinhas nos respetivos territórios, embora possam fixar limites inferiores, o que deve ser solidamente fundamentado”, prevê o texto, hoje publicado no Jornal Oficial da União Europeia (UE).

“O declínio da produção foi superior, quase o dobro do que se pagou para o arranque”, disse à Lusa fonte comunitária, comentando os prémios dados pela Comissão Europeia entre 2008 e 2010 para promover o arranque da vinha na UE, nomeadamente de vinhos sem designação.

Este declínio levou agora Bruxelas a investir no aumento da produção, esperando resultados especialmente “no vinho de qualidade”, salientou a mesma fonte.

O novo regime prevê restrições às autorizações “desde que a decisão se justifique pela necessidade de evitar um risco comprovado de desvalorização significativa de determinada denominação de origem protegida (DOP) ou indicação geográfica protegida (IGP)”, como por exemplo o vinho do Porto ou o champanhe.

“O regime de autorizações permite que se continue a controlar a expansão — nomeadamente para DOP e IGP — mas os limites têm que ser bem definidos e explicados”, disse fonte comunitária.

O novo regime aplica-se a novas plantações, a replantações e à conversão de direitos de plantação e, no primeiro caso, as autorizações são concedidas anualmente e, ao contrário dos direitos, não podem ser transacionadas entre produtores.

Os direitos de plantação que continuem válidos em 2016 e 2017 serão automaticamente transformados em autorizações.

Em termos de mercado, e segundo dados de Bruxelas, os maiores aumentos de consumo de vinho verificam-se fora do espaço europeu, principalmente nos EUA, a partir de 2009, e na China, desde 2012, sendo que a UE exporta 15% da sua produção para países terceiros.

Bruxelas liberaliza plantio de vinha para aumentar produção

Bruxelas liberaliza plantio de vinha para aumentar produção

 

Vinho Baron Philippe de Rothschild Domaine Arques, 2006

 

Tipo Tinto
Safra 2006
Volume 750ml
Pontuação Winechef

Vinho Baron Philippe de Rothschild Domaine Arques, 2006 - 93 pontos Winechef

Vinho Baron Philippe de Rothschild Domaine Arques, 2006 – 93 pontos Winechef

País França
Região Languedoc-Rousssillon
Sub-Região Limoux
Uva 57% Merlot, 18% Cabernet Franc, 12% Syrah, 9% Malbec e 4% Cabernet Sauvignon
Teor Alcoólico 14,50%
Tipo de Uva Tinta Assemblage
Amadurecimento 25% em barricas novas e 75% em barricas de 1 a 3 anos.
Visual Coloração vermelho violeta com matiz púrpura.
Olfativo Exuberante no nariz, com aromas de cerejas vermelhas e groselhas, exibindo uma grande variedade de notas aromáticas. É complexo, com o nível de aromas de muita qualidade e muito generoso em toques de frutas. Surpreende também pela presença de notas herbáceas e especiarias, tudo excelentemente montado, mas sempre com as características aportadas pela uva Merlot tendo o protagonismo.
Gustativo É saboroso e suculento, com grande amplitude e profundidade em boca. Taninos já bem polidos formando um paladar extraordinariamente delicado, muito feminino e de uma qualidade fora de serie. Seu equilíbrio é outra virtude, não tem nada que esteja sobrando, nem nada que esteja faltando, a madeira esta grandiosamente complementada com os elementos primários provenientes das uvas, todo é harmonia, todo é delicadeza.
Dica de Harmonização Magret de pato com cassis.
Confit de pato sobre batatas salteadas.
Ensopado de faisão com polenta branca trufada.
Carré d’Agneau à l’ail confit: costela de cordeiro com alhos.
Filé mignon gratinado com farofa de ervas, foie gras e batata ao forno.
Por ocasião Para Presentear
Temperatura de Serviço 16º
Potencial de Guarda 10 anos
Nome da Vinícola Baron Philippe De Rothschild
Ano de Fundação da Vinícola 1998
Propriedade da Vinícola 48 Hectares
Enólogo Responsável Didier Dezileau/Fabrice Boullier

 

Vinho Baron Philippe de Rothschild Domaine Arques, 2006

Vinho Baron Philippe de Rothschild Domaine Arques, 2006