Emirates investe 500 milhões de dólares na compra de vinhos

 

A companhia aérea Emirates anunciou que, na última década, gastou US$ 500 milhões no seu programa de vinhos

A companhia aérea Emirates anunciou que, na última década, gastou cerca de 500 milhões de dólares em vinhos para o serviço de bordo de sua frota. Segundo a empresa, todos os vinhos comprados foram armazenados numa adega de sua propriedade, localizada na região da Borgonha, na França.

Em entrevista, Tim Clark, presidente da companhia, comentou o fato: “Para nós, o vinho é uma experiência. Nossos passageiros querem tomar vinho abordo como se tivessem jantando em um restaurante fino. Não é só branco, tinto ou rose. Eles estão interessados da onde as uvas vêm, a safra, o legado da vinícola e assim por diante. Por isso, há dez anos resolvemos escolher nossos próprios vinhos para serem servidos abordo”.

Emirates investe 500 milhões de dólares na compra de vinhos

Emirates investe 500 milhões de dólares na compra de vinhos

 

Clark completou: “Nós preferimos comprar o melhor vinho em lotes menores e oferecer aos nossos passageiros o melhor das safras, mesmo que isso traga mais trabalho em relação à logística operacional, às mudanças de cardápio e ao treinamento da tripulação de bordo”.

O serviço de vinhos finos dentro dos aviões só está disponível para passageiros de primeira classe ou classe executiva, que encontram nas cartas vinhos como Dom Pérignon 2004, August Kessler’s 2013 Lorchhauser Seligmacher Riesling, 2004 Léoville Las Cases, entre outros.

 

Moët & Chandon lança Champagne Dom Pérignon 2005

 

O Champagne Dom Pérignon depois de envelhecer dez anos, produzido com as melhores uvas da safra daquele ano chega ao mercado em garrafa vintage

A Maison Moët & Chandon lança um champanhe Dom Pérignon da safra de 2005 em garrafa vintage. O enólogo Richard Geoffroy, responsável pela produção do Dom Pérignon desde 1990, garante que o vinho possui “um rico toque de amora sustentada por uma mineralidade prateada e notas de coentros”. Além disso, “na boca é poderoso, estruturado e denso, com um acabamento de flor intrigantemente picante”.

Depois de um ano com temperatura alta, a colheita de 2005 quase foi arruinada no começo úmido e frio de setembro daquele ano. Mas a situação se inverteu com a volta do bom tempo perto do início da colheita, que aconteceu em 14 de setembro para a Chardonnay e 17 de setembro para a Pinot Noir. Estima-se que o preço da garrafa chegue a 130 euros.

Moët & Chandon lança Champagne Dom Pérignon 2005

Moët & Chandon lança Champagne Dom Pérignon 2005

Pizza Hut inclui vinhos da vinicola Concha y Toro

 

Novas versões de receitas de massas podem ser harmonizadas com diferentes vinhos da vinicola Concha Y Toro

A rede de restaurantes Pizza Hut (só em SP) lança nesta semana um novo cardápio, que inclui opções de pastas e vinhos. O Penne Barrilla da casa ganha seis novas versões: marguerita, carbonara, ao sugo, bolonhesa, pepperoni e bacon chicken e calabresa (molho branco, bacon, frango, calabresa e cebola).

Para harmonizar com as novas pastas, as lojas passam a oferecer vinhos Carbenet Sauvignon, Malbec e Blend da vinicola Concha Y Toro, do Chile.

Outra novidade do cardápio é o Fusilli Lemon & Ham, um fusilli integral Barilla com presunto, alho-poró, limão, pimentão, tomate, champignon, cebola e azeitona, além de uma nova receita de lasanha de presunto e queijo feita com massa Barilla e molho exclusivo da casa.

Pizza Hut inclui vinhos da vinicola Concha Y Toro

Pizza Hut inclui vinhos da vinicola Concha Y Toro

 

Filé de peixe em crosta de azeitona

 

Aprenda com a chef Edneia Benfica uma receita prática e rápida de filé de peixe gourmet, surpreenda todos com essa deliciosa receita.

 

 Ingredientes para preparar o filé de peixe em crosta de azeitonas

 
200 gramas de filé de peixe fresco

10 Gramas de farinha de rosca

20 Gramas de azeitonas pretas sem caroço bem picadas (quase uma pasta)

Sal e pimenta do reino

Azeite

Filé de peixe em crosta de azeitona

Filé de peixe em crosta de azeitona

Preparação do filé de peixe em crosta de azeitonas

Tempere o peixe com sal e pimenta.

Em uma frigideira aquecida com um fio de azeite, doure o filé de peixe e reserve.

Em um recipiente misture as azeitonas picadas com a farinha de rosca até formar uma massa.

Coloque os filés em uma assadeira e coloque a massa de azeitonas em cima de cada filé e leve ao forno por 7 minutos (cuidado com o tamanho do peixe, pois se for muito grosso a crosta fica pronta e o peixe ainda estará cru).

Leve ao forno por 7 minutos observando sempre a crosta dourada e certificando que o peixe esteja cozido.

Dica:

Para que sua receita fique ainda mais gostosa, pode acompanhar seu filé de peixe com crosta de azeitonas com uma deliciosa mousseline de couve flor.

Como fazer:

100 gramas de couve flor limpa e cozidas na agua com sal (deixe escorrer bem a agua da couve flor).

Bater no liquidificador a couve flor com 20 ml de creme de leite fresco.

Em uma panela derreta 10 gramas de manteiga e adicione a mousseline e tempere e sirva com o filé de peixe com crosta de azeitonas.

 

Enólogo chileno apresenta vinhos da vinícola Casa Donoso em Vitoria

A convite dos proprietários da loja de vinhos Canto do Vinho, Winechef esteve presente na apresentação do enólogo chileno Felipe Ortiz, nesta última quarta-feira.

Felipe apresentou dois vinhos da vinícola Doña Lucia, que faz parte de grupo Casa Donoso e também apresentou em exclusiva, um novo vinho chamado Susesor.

Um dos aspectos que mais me chamou a atenção, e a forma dedicada a consciente na qual este produtor está trabalhando os micros terroir dentro do Vale de Maule. A vinícola conta com parreiras em diferentes lugares dentro do mesmo vale, com o qual conseguem obter uma matéria-prima variada, de diferentes caraterísticas e estilos.

A Chef de Winechef Edneia Benfica, o enologo da vinicola Casa Donoso Felipe Ortíz e o Sommelier Conseil Alex Ordenes

A Chef de Winechef Edneia Benfica, o enologo da vinicola Casa Donoso Felipe Ortíz e o Sommelier Conseil Alex Ordenes

Os vinhos degustados foram os seguintes:

Doña Lucia Sauvignon Blanc 2013

Tratando-se de vinhos brancos chilenos, sempre é curioso quando estes são elaborados com uvas provenientes de vinhedos localizados fora das regiões clássicas e já mundialmente conhecidas. Me refiro ao Vale de Casablanca e ao Vale de San Antonio.

Este Sauvignon Blanc provem do Vale do Maule e o mesmo efeito climático que exerce o oceano pacifico no caso de Casablanca e San Antonio, no caso deste vinho é a altitude (800 m.s.n.m) a que permitiu que a madures da uva Sauvignon Blanc consigesse uma perfeita madures fenólica, e no mesmo tempo mantivesse uma marcada acidez.

Os vinhedos dão vida a este vinho branco estão localizados nos pês da Cordilheira dos Andes, e isso fica muito evidente na hora de degustar o vinho, principalmente devido a uma acidez mineral que é a coluna vertebral do vinho, que apesar de já ter dois anos está em plena forma, mostrando um estilo de Sauvignon mais elegante, já com alguns aromas terciários, como frutos brancos secos, confeitura de limão e mel, produto da evolução do vinho na garrafa durante este quase 3 anos.

Doña Lucia Premuim 2012

Este é um blend das três uvas tintas de Bordeaux: Cabernet Sauvignon, Cabernet Franc e Carménère. Aqui o estilo da bodega e também a tipicidade proporcionada pelo terroir está muito bem plasmado. Este que é o vinho ícone da vinícola Doña Lucia, tem um estilo muito delicado. O vinho tem olfativamente muita qualidade, com notas intensas a café e suave eucalipto, e é particularmente harmonioso, muito agradável de degustar e na boca tem toda essa frescura que caracteriza os vinhos do vale do Maule, de corpo meio, profundo e muito saboroso.

 

Vinho Premium Sucesor 2012

Este vinho é uma proposta bem diferente, pelo menos se comparamos com os outros vinhos a base de Carignan chilenos. Sucesor também segue na línea do equilíbrio, só que com uma perfomance olfativa muito mais complexa, cheia de frutos negros silvestres, mirtilho e um fundo balsâmico, com especiarias, notas minerais e grafito. Se a nariz e interessante e definitivamente no paladar aonde ele mostrou suas virtudes com maior nitidez. A força e rusticidade do Carignan se manifestou claramente, com esses taninos de textura única, com um balance notável e sempre com essa acidez vibrante que só os vinhos do Vale de Maule podem alcançar.

Pena que este vinho ainda não chegou no Brasil, mas segundo Leonardo Freitas, proprietário da empresa VitoriaFoods e importador dos vinhos da vinícola Doña Lucia, uma pequena quantidade foi importada, e vai chegar no Brasil nos próximos meses.

Analisis sensorail e potencial de guarda dos vinhos produzidos com a uva Malbec

Os vinhos da uva Malbec em detalhe

Visualmente eles são muito atrativos devido a uma alta concentração de antocianina (pigmentos, corantes) na sua pele (da uva tinta), o que se expressa em cores vivas e escuras.

Os aromas dos Malbec’s são quase sempre muito expressivos, com um marcante perfil olfativo, e seus aromas vão desde as frutas negras silvestres, tipo mirtilo, até estilos mais “vermelhos” e maduros, onde, com frequência, aparecem as notas a framboesas maduras e cerejas, e as inconfundíveis notas a ameixa seca que se repetem em inúmeros Malbec’s Argentinos.

Os vinhos produzidos com a uva Malbec super maduros, alcoólicos e enjoativos:

Existe um estilo de Malbec que está em pleno retrocesso (felizmente), que são esses vinhos super maduros, evidentemente alcoólicos e de paladares muitas vezes pesados e enjoativos – o que se explica, principalmente, pelas condições climáticas de Mendoza, de onde, em alguns verões (pouco antes da colheita), a temperatura pode chegar até os 40°C, o que prejudica bastante a madures correta da uva ao final de sua etapa. Mas os produtores já estão cientes disto e estão procurando novas regiões, cada vez mais frescas, amparadas pela altitude dos pés do monte da Cordilheira dos Andes, o que tem resultado em vinhos mais frescos e equilibrados.

Analisis sensorail e potencial de guarda dos vinhos produzidos com a uva Malbec

Analisis sensorail e potencial de guarda dos vinhos produzidos com a uva Malbec

O potencial de envelhecimento dos vinhos produzidos com a uva Malbec:

Os Côt’s franceses, dentre muitas outras uvas tintas (e também brancas), tem um potencial excelente de envelhecimento e muitas vezes conseguem seu apogeu em uma ou duas décadas. No caso dos Malbec’s argentinos, o tempo de potencial de envelhecimento é um pouco menor, mas quando se trata dos melhores expoentes desta uva podem ultrapassar facilmente os 10 anos – sempre lembrando que devem ser vinhos equilibrados e não ultra maduros, já que neste caso este estilo de vinho carece de acidez, componente que é imprescindível para que o vinho possa ter uma vida longa e uma evolução correta na garrafa.

Se gosta desta uva, ou até mesmo se nunca a provou, deixo em seguida uma lista de excelentes exemplos nas distintas categorias. Espero que vocês aprovem minha seleção:

 

Susana Balbo, produtora de vinhos de Mendoza quer ser parlamentar

Candidata à deputada nacional, Susana Balbo, dona da Dominio del Plata, promete melhorar indústria dos vinhos na Argentina

Susana Balbo, fundadora da vinícola Dominio del Plata, de Mendoza, na Argentina, quer entrar para a política.

A empresária se candidatou a uma vaga como parlmentar. Como deputada nacional, ela espera eliminar os obstáculos enfrentados pela indústria de vinhos da Argentina, alegando que eles colocam em risco os meios de subsistência, e não deixam o país competir efetivamente com outras nações produtoras de vinho.

Ela é candidata pelo partido de centro-direita Propuesta Republicana (PRO) como membro do parlamento para a região de Mendoza. Como bandeiras, Balbo se propõe a combater a corrupção, as desigualdades sociais e melhorar produtividade do setor vitivinícola no país. “Há tantas oportunidades na Argentina que não evoluíram nos últimos 20 anos, é um enorme desafio”, comentou ela, mostrando a ambição de “melhorar o nível de tomada de decisões sobre a economia regional, para obter o apoio do governo nacional para a promover a indústria de vinho, e para ter melhores acordos internacionais”.

Susana Balbo, produtora de vinhos de Mendoza quer ser parlamentar

Susana Balbo, produtora de vinhos de Mendoza quer ser parlamentar

Em termos de valor econômico da indústria do vinho, Balbo calcula que o setor responda por 11% do PIB (Produto Interno Bruto) da Argentina. Ela observou, ainda, que a indústria do vinho emprega diretamente 100 mil pessoas, e beneficia indiretamente 200.000 pessoas.

Balbo critica duramente o atual governo e diz que as autoridades “estão mentindo para as pessoas dizendo que a inflação é de 10%, quando é de 27% ou mesmo 30%”, o que estaria levando os produtores a tomarem decisões erradas.

“Há uma enorme crise”, ressaltou a empresária-candidata. “A inflação está tomando todo o nosso lucro, os preços de uva são baixos e as vinícolas estão cheias de vinho”. Segundo sua plataforma, a promessa é ajudar os produtores a fazer vinhos de boa qualidade, e decidir o foco que querem tomar com a sua produção: fazer vinho, vender uvas frescas ou produzir uvas passas. Ela acredita que, dessa forma, pode ajudá-los a se tornarem mais eficientes e terem lucro.

Além dessse objetivo central, Balbo quer estabelecer acordos de livre comércio para a Argentina. “Nosso vizinho Chile tem 120 acordos de comércio livre e não temos nenhum”, ela comentou, defendendo ainda melhorias de saúde, educação e uso da água em áreas ruruais.

Se eleita pela primeira vez na ronda preliminar da votação em 9 de agosto, e depois das eleições gerais em 25 de agosto, Balbo terá de conciliar os deveres parlamentares com as operações da Dominio del Plata. “Eu acho que posso fazer as duas coisas”.

 

Incêndio em Bordeaux, perto de Pessac, lar do Château Haut-Brion

Incêndio florestal que começou na sexta-feira ataca Bordeaux.

Conforme relatado pela site Wine-Searcher, o fogo, um dos piores na França em cinco anos, começou na periferia oeste de Bordeaux perto de Pessac, lar do Château Haut-Brion, um dos mais celebre de Bordeaux.

Os esforços foram intensificados ontem para tentar domar o fogo quecomeçou em uma plantação de pinheiros e espalhou-se rapidamente devido aos fortes ventos.

O fogo já consumiu cerca de 550 hectares de floresta nas margens ocidentais da cidade.

Mais de 500 bombeiros e sete aviões de combate a incêndios foram mobilizados para apagar o incêndio, cuja causa permanece desconhecida.

Como precaução, 40 famílias tiveram de ser evacuadas na cidade de Saint-Jean-d’Illac, enquanto 80 residentes de uma clínica psiquiátrica no subúrbio de Bordeaux (Pessac) foram transferidos para um ginásio local.

No domingo à noite o fogo havia se acalmado, mas não está ainda sob controle. Grande parte da França está atualmente travessando uma seca.

Incêndio em Bordeaux, perto de Pessac, lar do Château Haut-Brion

Incêndio em Bordeaux, perto de Pessac, lar do Château Haut-Brion

 

Sites .wine e .vin causam conflito entre Estados Unidos e França

 

Franceses argumentam que domínios precisam de maior proteção, americanos querem liberação imediata, como estava previsto.

Um confronto legal pode nascer entre o governo francês e o estadunidense devido a problemas relacionados à falta de proteção aos registros de domínios .wine e .vin.

Após semanas discussões, os franceses se mostraram chateados quanto à recusa do ICANN (Corporação da Internet para Atribuição de Nomes e Números) em suspender o lançamento dos domínios relacionados a bebidas. O ICANN é a entidade responsável por liberar e administrar nomes de domínios mundo afora.

Associações de produtores europeus e também da Califórnia, já passaram um ano fazendo um estudo sobre quem seria capaz de registrar um nome como Champagne, Bordeaux, Napa ou Barolo a partir do registro .wine ou .vin. Os produtores argumentam, no entanto, que tal sistema ainda estará sujeito a fraudes e que também poderá confundir os consumidores.

Sites .wine e .vin causam conflito entre Estados Unidos e França

Sites .wine e .vin causam conflito entre Estados Unidos e França

A busca por um consenso fez surgir uma disputa internacional. A França, contudo, não foi o único país a se opor aos planos do ICANN. Foi o governo italiano quem enviou ao conselho um pedido para que fosse reconsiderado o lançamento dos registros .wine e .vin. “Esta não é apenas uma questão comercial, mas também de sensibilidade política”, disse Antonello Giacomelli, do ministério do desenvolvimento econômico da Itália. “Indicações geográficas europeias e mundiais devem receber o mesmo nível de proteção online que recebem offline”, completou.

Esta também é a opinião da Comissão Europeia, que tem aplicado sua própria pressão política para obter do ICANN as devidas proteções para seus vinhos. Porém, governos dos Estados Unidos, Austrália e Nova Zelândia afirmam que tal ação não se faz necessária.

O presidente do ICANN, Stephen Crocker, informou planeja manter a liberação dos registros, como já era previsto. Mesmo assim, acredita-se que a disputa possa acabar no tribunal, ou até mesmo na Organização Mundial do Comércio.

 

Leilão histórico de vinhos de Château Margaux com safras desde 1900 até 2010

O evento ocorre em Nova York em outubro e inclui importantes rótulos vintages e de parcerias da Casa Margaux

Em 17 de outubro, ocorrerá na Sotheby`s de Nova York (casa de leilões), um leilão com os vinhos da Château Margaux.

Ao todo, serão 239 garrafas, incluindo vintages de 1900, e 1945, além de vários rótulos que marcaram a parceria da Château com a família Mentzelopoulos, em 1978.

O nome do evento será Château Margaux 1900-2010 Direct from the Cellars: A Celebration of the Menzelopoulos Era”. “Essas vendas serão históricas, do tipo que acontecem somente uma vez na vida”, disse Jamie Ritchie, CEO da Sotheby`s.

Château Margaux

Château Margaux