Vinho Cono Sur Bicicleta Gewürztraminer 2015

Um vinho branco diferente, de aroma e sabor únicos. Ideal para acompanhar a comida tradicional do Japão e da Tailândia.

País Chile
Volume 750 ml
Tipo Tinto
Safra 2014
Descrição Uma uva pouco comum dá origem a esse branco perfumado e extrovertido, dono de uma personalidade inconfundível.
Sub-Região Vale do Bio Bio
Uva 100% Gewürztraminer
Teor Alcoólico 13,50%
Tipos de Uva Branca Gewurztraminer
Vinho Cono Sur Bicicleta Gewürztraminer 2015

Vinho Cono Sur Bicicleta Gewürztraminer 2015

 

Visual Coloração palha, intensa e cristalina.
Olfativo Fascinante expressão floral, que mistura de maneira exuberante notas de jasmins e suaves tons cítricos que se multiplicam na medida em que o vinho começa a abrir na taça. Tem também alguns tons frutados que lembram principalmente pêssego e maçã verde, tudo em uma brilhante combinação.
Gustativo Surpreende no paladar com uma entrada de grande volume, sempre mantendo o seu estilo fresco e sedutor. As notas florais se percebem no paladar, acompanhadas por intensa acidez e distinta mineralidade, que resultam em um vinho de alta tipicidade, juvenil e dotado de muita qualidade e equilíbrio.
Dica de Harmonização Um vinho branco diferente, de aroma e sabor únicos. Ideal para acompanhar a comida tradicional do Japão e da Tailândia.
Temperatura de Serviço 7 ºC
Potencial de Guarda 3 anos
Nome da Vinícola Cono Sur

 

Onde Comprar: Domus Vini

Vinho Calzadilla Syrah, 2006

Outro grande vinho deste produtor boutiques, proprietário de 12 hectares em Castilla y Leon, onde tem uma pequena bodega que está rodeada por vinhedos plantados em solos calcários, extremadamente pobres, e com temperatura extremas influenciadas pelo mediterrâneo.

País Espanha
Propriedade da Vinícola 26 Hectares
Volume 750ml
Tipo Tinto
Safra 2006
Uva 100% Syrah
Teor Alcoólico 13,5%
Tipo de Uva Tinta Syrah
Amadurecimento 14 Meses 100% Francés

 

Vinho Calzadilla Syrah, 2006

Vinho Calzadilla Syrah, 2006

 

Visual Vemelho com tons púrpuras e alaranjados.
Olfativo  No nariz é muito exótico, com grande personalidade, igual a muitos outros vinhos de qualidade elaborados pela Syrah, e que tem a virtude de produzir vinhos de grande caráter que, no caso particular do Calzadilla Syrah 2006, surpreende com uma gama aromática orgânica-carniça-silvestre, ou seja, num fundo terroso (sous boi), tipo casca de árvore, aparecem notas a couro de maneira intensa e nítidos tons a fruta silvestres, tipo groselha-preta, e muito cassis, em uma combinação de grande nível.
Gustativo Tem toda a força dos Syrah. Com essa fruta brilhante, densa, deliciosa, taninos de muito finos, mas ainda muito vivos, acidez já integrada, mas também muito intensa, e uma madurez da fruta fenomenal. Pussui notas minerais, resultado dos solos cálcarisos muito evidentes e de grande nível. Um vinho maravilhoso, grande, concentrado, profundo, ao nível dos melhores exemplares desta uva na Austrália e também no Novo Mundo.
Dica de Harmonização Medalhão de filé mignon com geleia de pimenta.
Ragu de vitela com polenta cremosa.
Lombo de cordeiro com ravióli de queijo de cabra e creme de trufas.
Magret de pato com molho de frutas secas.
Ganso servido ao molho de trufas negras.
Lebre estufada com feijão branco e sálvia fresca.
Temperatura de Serviço 16°
Potencial de Guarda 15 anos
Pontuação Winechef

 

Veja Também:

 

 

Receita: Frango com Creme de Cogumelos

Ingredientes

4 filés de frango
1 colher (sopa) de tempero italiano
Folhas de tomilho fresco a gosto
Sal e pimenta do reino a gosto

Para o Creme: 

1 bandeja de cogumelos paris
1 xícara (chá) de creme de leite fresco
6 tomates secos fatiados
Folhas de manjericão a gosto
Sal e pimenta do reino a gosto

 

Frango com Creme de Cogumelos

Frango com Creme de Cogumelos

 

Modo de preparo

Tempere os filés com o tempero italiano, as folhas de tomilho, sal e pimenta do reino. Em uma frigideira com um fio de azeite, grelhe dos dois lados até que eles fiquem bem cozidos e reserve.

Para o Creme; bata, em um liquidificador, o creme de leite e os cogumelos. Adicione os tomates secos e as folhas de manjericão e de apenas um pulsar. Coloque este creme na frigideira com os frangos, acerte o sal e a pimenta do reino. Sirva a seguir.

 

Rendimento: 4 porções

 

Veja Também:

 

 

Vinho CV Curriculum Vitae Douro, 2008

É um dos melhores vinhos de Portugal que já provei, só para grandes momentos e paladares adestrados.

País Portugal
Propriedade da Vinícola 16 Hectares
Volume 750ml
Tipo Tinto
Safra 2008
Uva Touringa Nacional, Tinta Roriz e Tinta Barroca.
Teor Alcoólico 15,50%
Tipo de Uva Tinta Assemblage
Amadurecimento Envelhecido em barris de carvalho franceses por 21 meses.
Vinho CV Curriculum Vitae Douro, 2008

Vinho CV Curriculum Vitae Douro, 2008

 

Visual Cor rubi escuro profundo.
Olfativo O nariz denuncia uma profunda e territorial expressão, tem um perfil olfativo muito particular, impressiona por seu caráter elegante e apresenta-se ao olfato com groselhas e framboesas ao licor, sob notas de cedro, especiarias e café.
Gustativo Entra no paladar com potência, incrível concentração e marcante profundidade. Tem grande opulência, com sabores a chocolate, cedro e os frutos ao licor parecem se derreter na boca, mas diversos sabores que emergem ao paladar. Seus taninos são de fina textura, mas de uma potência inimaginável e estão presentes em abundância. O vinho é enorme e continua crescendo na boca, assim como é fantasticamente puro e bem delineado. É um dos melhores vinhos de Portugal que já provei, só para grandes momentos e paladares adestrados.
Dica de Harmonização Carré de cordeiro em crosta de azeitona.
Vitela braseada ao molho de vinho tinto com purê de mandioquinha.
Civet de veado com ervas aromáticas e tomate maduro.
Costela de javali com risoto de funghi.
Palliard ao Fettucine de risoto cremoso e molho de cassis.
Temperatura de Serviço 17º
Potencial de Guarda 20 anos
Nome da Vinícola Van Zeller Co.
Pontuação Winechef  

 

Cidade de Portugal envelhece vinhos no fundo do mar

No âmbito de um protocolo celebrado no dia 27 de julho entre a Câmara Municipal da cidade de Sines e a APVCA – Associação de Produtores de Vinho da Costa Alentejana, foram hoje colocadas nas águas do Porto de Recreio cerca de 700 garrafas de vinho dos produtores desta sub-região.

O pretexto imediato da iniciativa é a realização da Regata dos Grandes Veleiros (RDV Tall Ships Race) que passará por Sines entre 28 de abril e 1 de maio de 2017.

O objetivo, no entanto, é que passe a constituir um evento anual, destinado à promoção dos vinhos da Costa Alentejana, associada à promoção de Sines como um destino turístico que acrescenta aos seus variados produtos turísticos mais este produto, celebrando a qualidade dos vinhos da Costa Alentejana com uma experiência de maturação no fundo do mar.

Cidade de Portugal envelhece vinhos no fundo do mar

Cidade de Portugal envelhece vinhos no fundo do mar

Nesta primeira experiência, pretende a Câmara Municipal de Sines, com a colaboração dos produtores da APVCA, que oferecem os vinhos, e do Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP), que construiu os “cestos” para a colocação do vinho no mar, criar um presente original para oferecer às tripulações dos grandes veleiros que aportarão em Sines em 2017.

As garrafas ficarão a diferentes níveis de profundidade no Porto de Recreio e, durante o período em que ficarão no mar, cerca de seis meses, serão recolhidas amostras para avaliar o estado do vinho a cada fase da maturação.

No final da iniciativa, foram degustados vinhos da mesma produção dos que foram colocados no mar.

A iniciativa teve o apoio da Turismo do Alentejo e Ribatejo, da Administração dos Portos de Sines e do Algarve e da Ecoalga.

Veja Também:

 

 

Vendas do setor vitivinícola recuam 4,35% no semestre

Apesar da retração verificada no desempenho geral, a comercialização de vinhos finos está positiva desde o ano passado, crescendo quase 10% no período

A quebra na safra de uva deste ano, que aumentou o custo da matéria-prima, aliada à elevação dos insumos e ao aumento da tributação nos vinhos, impactaram negativamente o desempenho comercial dos principais produtos vinícolas no primeiro semestre de 2016. Em praticamente todas as categorias se verificou a subida de preços e, por consequência, o recuo nas vendas. A exceção foi o vinho fino, que vem mantendo os resultados positivos desde o ano passado mesmo com tabelas reajustadas. No total global do setor, a comercialização dos primeiros seis meses do ano foi 4,35% menor em relação ao mesmo período de 2015.

“O setor vitivinícola não está desconectado da  situação econômica nacional. Mas, comparando com outros segmentos, o recuo não foi tão drástico. Talvez, se tivéssemos conseguido reverter a elevação do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados), poderíamos estar alcançando o mesmo resultado do ano passado”, observa o presidente do Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin), Dirceu Scottá. O dirigente se refere à elevação de alíquota do IPI de um valor máximo de R$ 0,73 por litro, para um percentual de 10% sobre o valor de venda da garrafa, que entrou em vigor em 1º de dezembro de 2015.

 

Vendas do setor vitivinícola recuam 4,35% no semestre

Vendas do setor vitivinícola recuam 4,35% no semestre

 

A despeito de haver recuo de 5,73% no vinho de mesa, de 9,65% no espumante e de 5,85% no suco 100% pronto para consumo, o vinho fino teve alta de 9,33%. Como a importação também se apresenta positiva, em 5,09%, observa-se que consumo da categoria no país, somado aos nacionais, nesse primeiro semestre, ampliou em 6%, representando 2,5 milhões de litros a mais ante o mesmo período do ano passado.

Em contrapartida, a retração na importação de espumantes chegou a 30%. Somando com o resultado dos rótulos nacionais, a categoria encolheu em 14,45%, representando 942.263 litros.
Para o setor, dois fatores contribuíram para o desempenho menor dos espumantes. O primeiro foi a antecipação de compras pelo mercado ainda no final de 2015, para evitar a aquisição de produtos com valores onerados pela alíquota maior de IPI. O segundo foi o frio mais intenso verificado esse ano, que impulsionou o consumo de vinhos tranquilos em detrimento dos espumantes. A venda de vinhos finos tintos, por exemplo, cresceu 13,5%. O setor, entretanto, avalia que poderá ocorrer retomada das vendas nos próximos meses.  

“Como o grande volume de comercialização se verifica no segundo semestre, há condições de reverter esse desempenho”, acredita o vice-presidente do Ibravin, Oscar Ló.

 


A mesma previsão não deve se verificar para o vinho de mesa e para o suco, que devem chegar ao final do ano com baixa nas vendas. “O vinho de mesa tem um público-consumidor que é bastante sensível a preço e também houve uma redução na oferta disponível no mercado. O suco de uva 100% também deve ter recuo nas vendas em comparação com o que vinha apresentando nos últimos anos. Mas na próxima safra, havendo uma boa colheita, essa situação pode se estabilizar”, observa Ló.
Para a segunda metade do ano, Scottá explica que a reversão da medida que elevou o imposto sobre os vinhos será crucial para o setor. “Se conseguirmos negociar uma alíquota menor para o IPI, talvez consigamos recuperar uma percentagem do que caiu no vinho de mesa e ter um resultado ainda melhor no fino, pois ele tem impacto direto no preço. Mas ainda é cedo para qualquer prognóstico”, resume o presidente.

Principais resultados no desempenho comercial das vinícolas do RS do semestre:

Principais resultados no desempenho comercial das vinícolas do RS do semestre

Principais resultados no desempenho comercial das vinícolas do RS do semestre

 

 

 

Pesquisa confirma: uma cerveja ‘deixa as pessoas mais sociáveis’

Pesquisadores na Suíça confirmaram o que muita gente já desconfiava: beber um copo de cerveja pode deixar as pessoas mais sociáveis.

Os experimentos, feitos pelo hospital da Universidade da Basileia, envolveram 60 pessoas, com um número igual de homens e mulheres consumindo cerveja com álcool e sem álcool.

Depois, os participantes foram submetidos a uma série de testes, incluindo reconhecimento de feições, empatia e excitação sexual.

As pessoas que ingeriram bebida alcoólica demonstraram mais desejo de estar na companhia de outras pessoas, em um ambiente aberto, animado e de conversa. A diferença foi mais perceptível entre as mulheres e as pessoas naturalmente mais inibidas.

A cerveja também fez com que os participantes reconhecessem feições alegres mais facilmente e reforçou sua empatia emocional – particularmente entre as pessoas com baixos níveis iniciais de empatia.

Depois, os pesquisadores mostraram aos participantes imagens de conteúdo sexual explícito.

Os participantes que consumiram cerveja sem álcool classificaram essas imagens como menos agradáveis que fotos de conteúdo neutro. Já as pessoas que consumiram álcool consideraram as fotos como mais agradáveis.

A diferença foi mais marcante entre as mulheres, mas os pesquisadores não notaram necessariamente um maior nível de excitação sexual.

 

Pesquisa confirma: uma cerveja 'deixa as pessoas mais sociáveis'

Pesquisa confirma: uma cerveja ‘deixa as pessoas mais sociáveis’

 

Álcool e emoções

O coordenador da pesquisa, Matthias Liechti, disse que o estudo vem preencher uma lacuna nesse campo do conhecimento.

“Embora muita gente beba cerveja e conheça os seus efeitos por experiência própria, existem surpreendentemente poucos dados científicos sobre os efeitos (do álcool) no processamento de informações emocionais e sociais”, afirmou.

A pesquisa foi detalhada na publicação científica Psychopharmacology e apresentada na Conferência do Congresso Europeu de Neuropsicofarmacologia (ECNP), voltado para pesquisas sobre as doenças que afetam o cérebro.

Para o ex-diretor do comitê científico do ECNP Wim van den Brink, o estudo “confirma a sabedoria tradicional de que o álcool é um lubrificante das relações sociais, e que o uso moderado do álcool deixa a maioria das pessoas mais felizes, mais sociáveis e menos inibidas quando se trata de sexo”.

Para ele, “as diferenças entre os sexos nas conclusões podem ser explicadas ou pela diferença nas concentrações de álcool no sangue de homens e mulheres que ingeriram a mesma quantidade de bebida, diferenças em relação à tolerância devido ao uso anterior de álcool, ou fatores sócio-culturais”.

Van den Brink também apontou que “as emoções relacionadas ao álcool que aparecem nos estudos não são sempre consistentes com os comportamentos na realidade”.

 

Recomendação

O Ministério da Saúde considera como consumo abusivo a ingestão de quatro ou mais doses de álcool para mulheres (em única ocasião, nos últimos 30 dias) ou cinco ou mais doses para homens (em única ocasião, nos últimos 30 dias).

Uma dose corresponde a uma lata de cerveja, uma taça de vinho ou dose de destilado.

Essa referência corresponde à quantidade capaz de produzir concentração de álcool no sangue suficiente para causar alterações neuromotoras.

Porém, fatores como peso corporal, beber de estômago vazio e composição de gordura no corpo podem determinar como cada indivíduo reage às mesmas doses da substância.

Por isso, desde o início da Lei Seca no Brasil, por exemplo, é proibido beber qualquer quantidade de álcool e dirigir.

Alguns países também fazem recomendações para uso semanal e diário de álcool.

No Reino Unido, o conselho é que homens e mulheres limitem sua ingestão de bebidas alcóolicas a menos de dois copos de cerveja ou uma taça de vinho por dia. Essa recomendação leva em conta evidências ligando álcool a alguns tipos de câncer, como câncer de mama.

Alguns especialistas também alertam para os riscos de beber álcool todos os dias, ainda que moderadamente, e recomendam pelo menos dois dias por semana de hiato sem consumo nenhum.

Veja Também;:

 

 

Fonte: UOL

Cidade belga inaugura “cervejoduto” e promete bebida grátis

A cidade belga de Bruges inaugurou o primeiro cervejoduto do mundo na última sexta-feira (16 de setembro), abrindo a rota ao futuro e, para seus cidadão, ao caminho do bar. Os dutos possuem cerca de três quilômetros de extensão e saem do centro da cidade, do bar De Halve Maan, até a engarrafadora localizada no subúrbio da cidade.

A cervejaria De Halve Maan é uma das mais antigas do país e para construir o cervejoduto, que custou aproximadamente US$ 4,5 milhões, recorreu a um método diferente: prometer cerveja grátis para quem doasse para o projeto.

Como resultado, mais de 500 pessoas doaram na campanha de crowdfunding, uma espécie de “vaquinha” online. Cada um deles irá receber a bebida grátis pelo resto da vida, promete a cervejaria. Tudo, porém, de acordo com o investimento.

 

Cidade belga inaugura "cervejoduto" e promete bebida grátis

Cidade belga inaugura “cervejoduto” e promete bebida grátis

 

“Quem fez um pequeno investimento, por exemplo, talvez receba apenas algumas latas de cerveja todos os anos no dia do aniversário”, explica Xavier Vanneste, diretor da De Halve Maan. “Porém, quem pagou a cota máxima pode receber uma garrafa de cerveja diária pelo resto da vida”, complementa.

A ideia dos dutos, ainda segundo Vanneste, foi reduzir os gastos com transportes, principalmente pelo fato de Bruges, uma cidade medieval, contar com ruas apertadas e receber cerca de 2 milhões de turistas anualmente, o que dificulta o transporte de mercadorias, especialmente pelo centro, região em que fica a empresa criada no século 16.

Veja Também:

 

 

Exportações de vinhos brasileiros crescem 33% em valor no semestre

Vendas para o Exterior também se ampliaram em volume e preço médio por litro

Com US$ 2,2 milhões exportados em vinhos e espumantes nos primeiros seis meses do ano, o setor vitivinícola brasileiro ampliou em 33,27% o desempenho registrado no mesmo período de 2015.

Em volume, as vendas para o Exterior cresceram 26% com a remessa de 835,5 mil litros. O setor também verificou uma melhora no valor médio por litro, passando de US$ 2,51 para US$ 2,65. Os dados foram apurados pelo Wines of Brasil, projeto realizado pelo Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin) em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) para promoção no mercado internacional.

Segundo o presidente do Ibravin, Dirceu Scottá, a visibilidade dada ao País por sediar as Olimpíadas contribuiu para fortalecer a imagem dos produtos brasileiros.

O presidente avalia ainda que, além da exposição em função dos jogos, o crédito do resultado obtido na primeira metade do ano se deve a uma soma de fatores, como o ajuste na estratégia de parceria comercial e ações promocionais no mercado norte americano, a retomada nas vendas no Reino Unido após o fim dos estoques acumulados no período pós-Copa do Mundo, e ao amadurecimento na atuação de mercados tradicionais, como o Paraguai, pelas vinícolas exportadoras.

“As vinícolas hoje estão com distribuidores mais alinhados ao perfil de produto brasileiro. Com isso, passaram a ter mais relevância dentro do portfólio que é trabalhado no Exterior”, complementa Scottá.

 

Exportações de vinhos brasileiros crescem 33% em valor no semestre

Exportações de vinhos brasileiros crescem 33% em valor no semestre

 

No primeiro semestre, os vinhos brasileiros foram exportados por 17 vinícolas para 28 países. Entre os mercados-alvo do Wines of Brasil, o destaque foi o Reino Unido, que praticamente triplicou o volume adquirido, passando de 29,7 mil litros para 83,3 mil litros. Nos Estados Unidos, o incremento foi de 23% em volume, saltando de 117,5 mil litros para 144,7 mil litros. Entretanto, em valor, as exportações cresceram 42%, atingindo US$ 444,6 mil. Scottá cita que uma ação promocional com a cadeia de restaurantes Seasons 52, por exemplo, abriu distribuição dos rótulos verde-amarelos em 42 estados americanos.

Para o próximo semestre, tendo em vista os negócios sinalizados pelas vinícolas exportadoras, a tendência é de que o desempenho se mantenha nesse patamar.

“O resultado das exportações ainda é pequeno, mas extremamente importante para a construção de parcerias mais sólidas no mercado internacional e para o posicionamento do Brasil como produtor mundial de vinhos de qualidade”, conclui Scottá.

Saiba mais

O Wines of Brasil é um projeto de promoção comercial dos vinhos, espumantes e suco de uva brasileiro no mercado internacional, realizado pelo Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin), em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil). O projeto conta atualmente com a participação de 30 vinícolas e tem como mercados-alvo os Estados Unidos, Reino Unido e China.

Exportações de vinhos brasileiros crescem 33% em valor no semestre

Exportações de vinhos brasileiros crescem 33% em valor no semestre

Exportação de vinhos brasileiros:

Período: janeiro a junho 2015/2016

                                                2015               2016                Crescimento %

Em volume (litros)         662.496           835.513                   26,11%

Em valor (US$/FOB)  1.660.524,00      2.213.043,00          33,27%

Preço médio (US$/litro)   2,51                 2,65                        5,58%

Total de países                         27                    28

 

Exportações de vinhos brasileiros crescem 33% em valor no semestre

Exportações de vinhos brasileiros crescem 33% em valor no semestre

 

Ranking dos países compradores em 2016:

                        Volume           Valor US$        US$/L

1º Paraguai               331.303           510.717,00        1,54

2º Estados Unidos   144.751           444.673,00         3,07

3º Reino Unido         83.306             335.416,00         4,03

4º Colômbia              111.590           278.976,00         2,50

5º China                     19.062             89.235,00           4,68

6º Finlândia              15.139             76.951,00            5,08

7º Alemanha             13.355             65.688,00            4,92

8º Canadá                  10.292             56.813,00            5,52

9º Japão                     18.224             55.791,00            3,06

10º Bolívia                 12.338             39.676,00             3,22

 

Fonte: Instituto Brasileiro do  Vinho

Pirlo ganha chuteira especial da Nike por sua paixão por vinhos

Um dos jogadores mais clássicos do futebol atual, o meia italiano Andrea Pirlo ganhou uma edição da chuteira clássica da Nike, a Tiempo, que homenageia a paixão do jogador pela vinicultura.

A própria cor da chuteira é vinho (Merlot segundo a Nike), preto e branco. A paixão de Pirlo pelo vinho começa em sua infância em Flero, onde ele passou grande parte do tempo pegando uvas em vinícolas da região. O amor cresceu, e ele e seus familiares abriram uma marca de vinhos chamada Pratum Coller.

A Nike Tiempo Legend 6 feita para o Pirlo vem numa caixa de madeira, similar às que estocam vinho. A palmilha tem design de cortiça, similar às rolhas de garrafa, com a inscrição ‘Aged Since ’94’ (envelhecido deste 94), ano em que a Tiempo, modelo mais antigo da Nike, foi lançado.

Pirlo ganha chuteira especial da Nike por sua paixão por vinhos

Pirlo ganha chuteira especial da Nike por sua paixão por vinhos

Essa edição especial para Pirlo tem uma língua cortada em diagonal para ter menor atrito com o peito do pé. O cabedal é feito em couro de canguru macio. Leva quatro estrelas douradas na sola e no calcanhar, em homenagem aos quatro títulos mundiais da seleção italiana.

Nesta terça-feira, foi apresentada a versão para futsal chamada FootballX, também com couro de canguru no cabedal e ao preço de US$175. Os modelos estarão disponíveis a partir do dia 19 de setembro.  O modelo ainte terá as versões para society e travas para gramado artificial em campo de tamanho oficial. Ainda não há informações de esses modelos virão ao Brasil e, até o fechamento dessa notícia, ainda não tinha essa linha na loja online da Nike no Brasil.

 

Veja Também: