Posts

Pesquisadores desenvolvem ‘língua eletrônica’ para degustação de vinhos

Aparelho promete ser capaz de prever a percepção de sabores por parte dos sommeliers

Pesquisadores do Instituto de Indústrias do Futuro da University of South Australia desenvolveram um aparelho capaz de identificar as características químicas, a idade e até o tipo de barril em que o vinho foi envelhecido. Batizada de “língua eletrônica”, a nova tecnologia promete prever também os sabores percebidos pelos sommeliers.

Dispondo desse diferencial, espera-se que o dispositivo possa detectar em escala industrial a qualidade das bebidas, antes de serem colocadas à venda.

“Você não pode ter uma pessoa provando cem vinhos por dia, por isso o sensor será muito útil nessa tarefa”, comentou o pesquisador responsável pela inovação, Doutor Xavier Ceto Alseda.

Pesquisadores desenvolvem ‘língua eletrônica’ para degustação de vinhos

Pesquisadores desenvolvem ‘língua eletrônica’ para degustação de vinhos

Fabricado com eletrodos de ouro, platina e carbono, o dispositivo mede os sinais eletroquímicos de açúcar, fenóis e outros componentes do vinho para criar uma “impressão digital” para cada bebida.

O serviço já foi testado com 52 rótulos espanhóis da região de Catalunha, que serviram de base para os parâmetros do sensor.

 

Receita fácil de Salmão com molho de alcaparras

 

Para a noite especial, que tal preparar esta receita de Salmão com molho de alcaparras. É fácil e rápida de fazer…

Ingredientes

  • 200 g de filé de salmão
  • 1 dente de alho amassado
  • Sal a gosto
  • Pimenta do reino a gosto
  • 1 colher (sopa) de alcaparras
  • 1 colher (sobremesa) de cebolinha picadinha
  • 1 colher (sobremesa) de salsa picadinha
  • 2 colheres (sopa) de azeite de oliva
  • 1 colher (sopa) de suco de limão

Modo de preparo

  • Tempere o filé de salmão com sal, pimenta e alho e deixe tomar gosto.
  • Grelhe em frigideira com um fio de azeite ou asse envolto em papel alumínio em forno pré aquecido por 15 minutos.

Molho

  • Pique as alcaparras e misture com a cebolinha, a salsinha e o suco de limão.

Montagem

  • Transfira o salmão para o prato, e derrame delicadamente o molho sobre o
    filé grelhado.
  • Sirva com arroz integral e seleta de legumes, ou com arroz branco e brócolis.

 

Rendimento: 1 porção

 

Tempo de preparo: 20 minutos

Salmão com molho de alcaparras

Salmão com molho de alcaparras

Kim Jong-un encomenda garrafas de vinho de cobra para virilidade

 

O ditador norte-coreano Kim Jong-un passou a encomendar várias garrafas de vinho de cobra para tentar engravidar a sua esposa

De acordo com o Daily Star, o ditador da Coreia do Norte, Kim Jong-un, encomendou garrafas de um vinho que inclui uma cobra morta em conserva dentro da garrafa. As bebidas foram encaminhadas ao palácio dele e têm como objetivo aumentar a virilidade do ditador, que quer engravidar a sua esposa.

Há uma lenda que diz que o vinho de cobra possui propriedades medicinais que podem ajudar a estimular a fertilidade da mulher e a virilidade do homem. Jong-un e sua mulher Ri Jol-su estão tendo problemas para conceber um filho devido, em grande parte, ao sobrepeso do ditador.

Contudo, segundo fontes próximas ao déspota, o vinho de cobra parece não estar ajudando muito. Kim Jong-un já tem uma filha de dois anos chamada de Ju-ae.

Garrafas de vinho de cobra

Garrafas de vinho de cobra

Elemento radioativo pode ajudar a identificar idade dos vinhos

Segundo cientistas, elementos radiativos que se encontram no ambiente desde 1945 – começo da era nuclear – vão auxiliar a identificar a idade dos vinhos

Uma técnica que identifica a idade dos vinhos a partir da identificação de elementos radioativos, como o césio-137, presentes no meio ambiente desde 1945, ano do primeiro teste de armas nucleares vem sendo desenvolvida nos últimos anos e ela pode tornar mais fácil a identificação das safras e autenticidade dos vinhos.

De acordo com o professor do departamento de engenharia nuclear da Universidade da Califórnia, Peter Hosemann, o césio-137 provem de testes nucleares e é depositado pelo solo, chegando às plantas e frutos através de suas raízes. “No caso do vinho, pequenas quantidades do elemento se introduzem nas uvas e ficam presas no líquido durante o processo de engarrafamento”, explicou. “Provavelmente, todo o vinho engarrafado depois de 1945 contém traços do elemento”, completou.

Elemento radioativo pode ajudar a identificar idade dos vinhos

Elemento radioativo pode ajudar a identificar idade dos vinhos

Pesquisadores da Agricultural University of Athens concordam com a eficácia dessa técnica. Tal visão está relatada em um artigo publicado em 2012 em que determinavam a origem geográfica dos alimentos ao analisar elementos raros presentes nos solos, como partículas radioativas.

De acordo com o artigo, as diferenças dos elementos de alimentos coletados de diferentes regiões têm sido correlacionadas, não só com as condições climáticas, mas também com as práticas culturais utilizadas nas vinhas, bem como nas tecnologias usadas no processo de vinificação.

Os cientistas estão otimistas com a técnica por conta de sua capacidade de auxiliar no combate à fraude de alimentos raros e bebidas. “A análise de isótopos como principal elemento torna o método muito robusto e à prova de falsificação, uma vez que uma modificação artificial é muito difícil”, explicou um artigo publicado na revista Food Chemistry.

 

Lançado “vinho” para mulheres grávidas

 

Vinhos da marca 9Months (9 meses) não são fermentados

A ex-consultoura de vinhos da Carolina do Norte, Carrie Marvin, acaba de lançar uma marca de “vinhos” pensada para gestantes. A 9Months (9 meses, em referência ao tempo gestacional das mulheres) produz espumantes não alcoólicos com uvas australianas, cujo suco é mantido à 0°C, para prevenir a fermentação antes de ser filtrado, pasteurizado e carbonatado. Tornando-se, assim, uma bebida segura para todas as futuras mamães e seus filhos no ventre – já que é altamente contraindicado ingerir bebidas alcoólicas durante a gestação.

Segundo Carrie, a ideia surgiu pois “as mulheres grávidas não querem ficar excluídas e também querem fazer parte das celebrações”.

Até agora foram feitos dois espumantes, ambos com base em Muscat e com preço ao redor de US$ 16,50 por garrafa. “Não é porque logo você vai estar preparando garrafas de diferentes variedades que não pode desfrutar de uma garrafa de nosso delicioso espumante não-alcoólico. Você merece!”, diz o bem humorado site da marca.

Segundo dados da consultoria Nielsen, a venda de bebidas não-alcoólicas nos Estados Unidos cresceu 5,6% nos últimos 12 meses, alcançando valor pouco abaixo de US$ 100 milhões.

Lançado vinho para mulheres grávida

Lançado vinho para mulheres grávida

 

 

Empresa inova e cria latas de vinho com café

Sabores como Chardonnay Café Cappuccino e Cabernet Café Expresso estarão no mercado em breve

Bebidas alcoólicas que mesclam o sabor do café com algumas variedades de uva são a inovação mais recente da empresa norte-americana Friends Fun Wine. A iniciativa busca interagir com o público adepto ao hábito de vida saudável que aspira por bebidas levemente alcoólicas. Uvas como Chardonnay e Cabernet foram as selecionadas para criar as novas opções do projeto, que devem estar no mercado ainda este ano.

A série de bebidas intitulada “Novo Drink” está sendo considerada pioneira no segmento de bebidas levemente alcoólicas. Dentre as opções, a empresa lançará no mercado o Chardonnay Café Cappuccino e Cabernet Café Expresso – esta última feita com uvas Cabernet, café sabor baunilha e toques de chocolate.

Estes dois sabores são vendidos em latas de 250 ml recicláveis, com rápida capacidade de resfriamento e apenas 6% de grau alcoólico. “Como criadores da categoria “Vinho da Diversão”, a adição de café expresso e cappuccino nas bebidas alcoólicas se aliam perfeitamente com nossa missão de mercado: oferecer uma experiência de consumo da diversão” informou o diretor executivo da Friends Fun Wine, Joe Peleg.

Além dos sabores citado, a série traz para o mercado americano opções como Red Sangría, Blanco Sangría, Rose Moscato, White Moscato, Strawberry Moscato e Peach Moscato.

Friends Fun Wine

Friends Fun Wine

 

Dress Wine: Tecido, vestidos feitos com vinho

Os pesquisadores criaram em tecido produzido com vinho, conhecido como “Bioalloy Micro’be” ou apenas “Micro’be”.

É que Bioalloy é como é chamado o grupo que desenvolveu os primeiros experimentos a partir da fermentação que gerou tecido semelhante ao algodão e que também pegou carona no esquema de biotecnologia, sustentabilidade e tudo mais.

A bactéria Acetobacter é a mesma adicionada ao vinho para fabricar vinagre por fermentação. Então, se forma uma camadinha de tecido, gradativamente. Daí, o tecido é recolhido e seco sobre um manequim. Mas precisa se manter úmido para não rasgar.

Ainda em fase de experimentação, o grupo Bioalloy, em parceria com a artista plástica Donna Franklin, já desenvolveu artigos como camisetas e roupas de banho. A artista trabalha com fermentação alcoólica há dez anos e em 2007, criou um vestido com fungos que mudavam de cor.

 

Dress Wine: Tecido, vestidos feitos com vinho

Dress Wine: Tecido, vestidos feitos com vinho

 

 

Saiba como trazer garrafas de bebida na mala de viagem sem quebrar

Ainda que o câmbio não esteja favorável para os brasileiros, em muitos destinos internacionais ainda vale a pena investir em bebidas alcoólicas. Não só pelo preço atraente, mas pela variedade de rótulos encontrados no exterior.

Para quem pode, encher a mala de garrafas é perfeitamente possível, basta atentar-se a algumas regras e cuidados, que vão garantir que as bebidas cheguem intactas ao barzinho de casa. Confira algumas dicas a seguir.

 

Principais cuidados

 

Quantidade de garrafas de vinho permitida

Em voos domésticos, é possível levar na mala de mão até cinco garrafas de bebida alcoólica de, no máximo, um litro cada. Elas precisam estar lacradas e devem ter teor alcoólico inferior a 70%. Nos voos internacionais, é preciso despachar as bebidas. O limite por pessoa é de 12 litros, o que corresponde a 16 garrafas de vinho ou 36 garrafas de 330 ml de cerveja.

No duty free

Além dos 12 litros permitidos por pessoa, é possível comprar mais 24 garrafas de bebidas alcoólicas no duty free de desembarque no Brasil. A quantidade máxima por categoria é de 12 unidades. Ou seja, você pode levar 12 vinhos e 12 whiskies, por exemplo. As bebidas precisam estar embaladas em sacola selada e acompanhadas das notas fiscais do dia do voo.

Saiba como trazer garrafas de bebida na mala de viagem sem quebrar

Saiba como trazer garrafas de bebida na mala de viagem sem quebrar

 

Quanto mais variedade, melhor

Evite trazer muitas garrafas de um mesmo rótulo, porque o fiscal da alfândega pode deduzir que as bebidas serão comercializadas e não consumidas por você, o que coloca em risco a isenção de taxas em compras, que somam US$ 500 por pessoa. Além disso, é seguro guardar as notas das compras para mostrar aos fiscais, casos eles questionem o custo de cada garrafa.

Caixa no lugar de mala

Se optar por comprar uma caixa de bebidas fora do Brasil e decidir despachá-la como volume, e não dentro da mala, o conjunto de rótulos valerá como uma bagagem. Portanto, se o voo permitir, por exemplo, duas malas por passageiro, a caixa de bebidas será considerada a segunda mala.

Como carregar

Ao despachar as bebidas, é preciso ficar atento ao peso da mala, que não pode ultrapassar a franquia permitida pela companhia. Para proteger os vidros, as malas rígidas são mais eficientes do que as de tecido. Mas, ainda assim, é preciso ter certeza de que uma garrafa não vai bater na outra.

Para aumentar a segurança, vale usar algumas medidas caseiras: embrulhar as garrafas em plástico filme, plástico bolha, em roupas de lã ou moletons e até em fraldas descartáveis de bebê. Dê preferência para o centro da mala ao arrumar as garrafas. O ideal é que elas não fiquem balançando dentro da bagagem.

Saiba como trazer garrafas de bebida na mala de viagem sem quebrar

Saiba como trazer garrafas de bebida na mala de viagem sem quebrar

Peça ajuda ao vendedor

Se quiser ainda mais segurança, avise o vendedor da loja de bebidas que pretende despachá-las na bagagem, já no momento da compra. Ele certamente oferecerá alguma embalagem capaz de absorver o impacto.

Guia de compras

 

Mala para transportar garrafas

Comporta até 12 garrafas de vinho, sendo que as divisórias são removíveis. É estruturada em alumínio, com tecnologia anti-impacto, que protege as garrafas e ameniza as oscilações de temperatura. Custa R$ 1.680* no site www.winefitstore.com.br

The Jet Bag

É uma embalagem revestida com material absorvente, desenvolvida para transportar vinhos, mas que também acomoda outras garrafas maiores. Custa a partir de US$ 19,99* (R$ 66) a embalagem com três unidades. A venda é feita pelo site www.thejetbag.com

Wine Skin

É um recorte de plástico bolha no formato de uma garrafa de vinho, com adesivo embaixo, para fechar a embalagem. Custa a partir de US$ 3,50* (R$ 12) e está à venda no site www.wineskin.net

Fontes consultadas: Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), Abear (Associação Brasileira das Empresas Aéreas) e Henrique Mol, diretor executivo do site Encontre Sua Viagem.
* Preços consultados em junho de 2016 e convertidos para reais em 05/07/2016.

 

Saiba como trazer garrafas de bebida na mala de viagem sem quebrar

Saiba como trazer garrafas de bebida na mala de viagem sem quebrar

 

Fonte: Uol

Saber se sua garrafa  de vinho é falsificada agora é possível

Especialista em falsificações afirma: “Modo mais seguro de evitar fraudes em vinho já existe, mas não é usado”

Segundo Nick Bartman, códigos já existentes nas garrafas são o segredo para impedir as falsificações

Um experiente investigador de fraudes industriais, entre elas falsificação de vinhos, Nick Bartman, afirmou, em entrevista à revista Winespectator, que o modo mais seguro e eficaz de combater imitações fraudulentas em vinhos já existe, mas ainda não foi implementado pelos produtores do mundo. Segundo ele, o identificador mais eficaz de autenticidade já está no fundo de cada garrafa.

Ao observar atentamente uma garrafa de vinho, você verá, na base, pequenas insígnias, números e uma sequência estranha de pontos salientes moldados no vidro que parecem uma linguagem em Braile. Esses códigos são usados pelos fabricantes para rastrear as garrafas e seus respectivos lotes, caso apresentem algum problema. Esses números e símbolos revelam o fabricante, a região ou país, o molde utilizado, o volume de líquido contido no frasco, e a distância entre o topo do gargalo da garrafa e a parte superior do vinho.

Tem certeza que seus melhores vinhos não som falsificados

Tem certeza que seus melhores vinhos não som falsificados

Segundo Bartman, o mais importante, porém, é o código de pontos. “Há um número aproximado de 13 pontos em uma garrafa que proporcionam um código; as combinações de quantidade de pontos, as suas posições e espaçamentos podem variar”, explicou. Esse código pode ser rastreado.

Então, se houvesse um sistema para registrar quais vinhos são colocados em quais garrafas, a combinação de insígnias, números e pontos, juntamente com a complexidade de copiar a qualidade e a cor do vidro, seria uma forma de unir a garrafa, o vinho e a marca juntos de tal forma  que o transformaria em um “alvo em movimento” para os fraudadores.

Tem certeza que seus melhores vinhos não som falsificados

Tem certeza que seus melhores vinhos não som falsificados

“Isso torna o trabalho do falsificador quase impossível”, alega Bartman. Para a idéia funcionar, os fabricantes de garrafas devem compartilhar com seus clientes detalhes dos códigos nos lotes entregues. Na linha de engarrafamento dos produtor de vinhos, iriam ser gravadas as informações vinculadas a um lote específico e os rótulos utilizados. A informação pode ser armazenada numa base de dados que pode ser  acessada anos mais tarde.

Para Bartman, esse método, se implementado, seria o mais seguro já usado, pois torna o trabalho do falsificador muito completo e caro. “Os criminosos teriam que convencer um fabricante de garrafas de vidro a copiar um lote de garrafas. Isso torna o trabalho muito mais difícil, quase impossível”, alega, já que o custo dos moldes é proibitivo e replicar apenas um molde iria inundar o mercado com muitas garrafas semelhantes, acionando alarmes. Outro ponto é que a indústria das garrafas é dominado por empresas gigantes, que teriam muito a perder com a falsificação. “Para executar o crime perfeito, primeiro ele deve encontrar um fabricante  preparado para falsificar uma garrafa de um concorrente”, diz Bartman.

Saber si sua garrafa de vinho é falsificada agora é possível

Saber si sua garrafa de vinho é falsificada agora é possível

Vinícola norte-americana começa a usar rolha feita de cana-de-açúcar

 

Produto foi anunciado no ano passado e agora algumas vinícolas estão adotando a novidade

Em abril de 2013, a empresa Nomaroc anunciou o lançamento de rolhas feitas de cana-de-açúcar – na verdade, de um polímero derivado dessa planta renovável – para criar uma linha chamada Select Bio. Até então, apesar de alguns produtores terem dito que adotariam o novo tipo de vedante, somente agora uma vinícola norte-americana definiu que usará a rolha em seus vinhos.

A Avalon Winery decidiu que suas mais de 240 mil caixas de seu vinho Cabernet Sauvignon irão receber a nova rolha. “A mudança de um produto à base de petróleo para um produto à base de plantas foi muito atraente para nós”, contou a vice-presidente executiva de marketing vinícola, Lisa Ehrlich.

A empresa já adotou outras medidas ecológicas, como a instalação de um sistema de cogeração solar de 232 quilowatts para aquecer a água e proteger um fluxo de desova de salmão adjacente. Como outros dispositivos de fecho da série Select Bio, a nova rolha é apresentada como opção sustentável por ser reciclável. “Para nós, não é apenas uma solução verde, mas uma solução com qualidade” informou Lisa.

No ano passado, a vinícola italiana Allegrini também havia anunciado que usaria esse tipo de vedante.

Cursos de Vinhos em Vitoria Vix