Papa Francisco ganha diploma de Sommelier

 

Na última semana, o papa Francisco ganhou uma designação honorário de sommelier.

O diploma foi concedido durante a visita de Franco Maria Ricci, presidente da Associação Italiana de Somemeliers, e de uma delegação composta por 180 produtores de vinho, sommelier e críticos. “Eu bebo um pouco de vinho italiano e de outros países. Mas só um pouco”, disse o papa ao site Breitbart, que já disse em um evento no último ano que “sem vinho, não há festa. Imagine terminar um banquete só com chá!”.

Ricci teve a ideia de pedir uma reunião com o papa depois das inúmeros declarações de Francisco falando bem da bebida. “É uma honra e encorajamento para nosso trabalho”, disse ele. Na Bíblia, há 224 referências a vinho – talvez por isso, Francisco não seja o único papa a falar sobre a bebida. Seu antecessor, Bento XVI, também falava constantemente sobre vinho e mencionou a bebida em seu primeiro discurso como sumo-pontífice – ele disse “sou um simples e humilde trabalhador na vinícola do Senhor”.

 

Papa Francisco ganha diploma de Sommelier

Papa Francisco ganha diploma de Sommelier

 

Fonte: Estadão

Hubert Weber Xylo Blend: O ganhador da guia Descorchados como Super Preço da Argentina

 

Hubert Weber mais uma vez me surpreendeu com um vinho de excelente relação preço-qualidade.

O vinho foi classificado pelo Guia de Vinhos Descorchados 2013 como o melhor blend da Argentina na categoria que todos nós adoramos – “Super Preço”.  Xylo aparece como o “Blend Super Preço da Argentina”, isso para começar…

1-Vinho Hubert Weber Xylo

Tipo Tinto
Safra 2011
Volume 750ml
País Argentina
Região Mendoza
Pontuação Winechef

Winechef 91 Pontos

Winechef 91 Pontos

Uva 60% Bonarda, 25% Syrah, 15% Tempranillo
Teor Alcoólico 13,5%
Tipo de Uva Tinta Assemblage
Amadurecimento 3 meses cubas de cemento
Visual Sua cor está levemente evoluída, mas com um lindo tom cereja.
Olfativo No nariz, o aroma dominante é de cerejas vermelhas, que aparecem com muita nitidez à medida que o vinho começa a abrir na taça. Acompanham outros aromas da mesma família, cherris, marrosquinos, ou seja, um cenário bem frutado, tão agradável que dá vontade de ficar só sentindo o aroma por vários minutos. Além da deliciosa frutosidade, também há algum tons terrosos, tipo “sois boi” (terra úmida), corteça (casca) de árvore, suaves e delicados tons de lavanda e menta, que só enriquecem mais um nariz cativante.
Gustativo A performance olfativa é excelente, mas é no paladar onde este vinho mostra seus melhores atributos. Seu corpo é meio e, particularmente, delicado, seus taninos são suaves como a seda, mostrando uma textura que se desliza no paladar. As notas da fruta soam mais uma vez intensas, principalmente as cerejas, aportando magia num vinho fresco e juvenil, que com certeza vai apaixonar muitos paladares brasileiros. O único problema deste vinho é que e ele é viciante…e a taça fica vazia sem que a gente perceba, parece que o vinho se evapora na taça…. Como dica, recomendo sempre ter uma outra garrafa a mão.
Dica de Harmonização Corvinha grelhada com um cremoso molho de gorgonzola.
Risoto de camarão com aspargos frescos e banana da terra chip’s.
Lasanha ao creme de cogumelos com verduras.
Pato confitado com purê de batatas e maçã caramelizada.
Carnes vermelhas delicadas
Churrasco típico brasileiro
Tipo de Comida Massas e Carnes
Temperatura de Serviço 16 graus
Potencial de Guarda 5 anos
Nome da Vinícola Hubert Weber
Propriedade da Vinícola Vinho de Autor
Produtor Hubert Weber

Colheita 2015 em Bento Gonçalves será pano de fundo para documentário

 

Entre os meses de janeiro e fevereiro, o interior de Bento Gonçalves recebe as gravações de “À sombra das Videiras”

A colheita de uvas no Rio Grande do Sul já começou e, como sempre, deve seguir até março. Neste ano, porém, além de todo o trabalho e festividades que acompanham essa época, uma equipe de filmagem estará acompanhando a vindima para produzir um documentário chamado “À Sombra das Videiras”.

O projeto é da Faculdade Cenecista, por meio do Núcleo Audiovisual Cenecista (NAC), e as gravações vão ocorrer entre os meses de janeiro e fevereiro deste ano na Linha Paulina, no interior do município de Bento Gonçalves. A ideia é mostrar os reflexos das migrações sazonais de trabalhadores e o contraste cultural entre empregados e pequenos produtores durante a colheita de uva.

​​”O homem e a mulher do campo são responsáveis pela principal etapa no processo agroindustrial vitivinícola. Embora a cadeia produtiva se expanda, a produção das uvas na Serra Gaúcha ainda depende dos pequenos produtores, das famílias e de seu cuidado com os parreirais. Ao sol ou à sombra, eles mantém essa riqueza cultural no sul do Brasil, num esforço de permanência no campo como uma opção de qualidade de vida e oportunidade para seus descendentes”, comenta Boca Migotto, diretor do documentário.

O roteiro tem três elementos fundamentais: a chegada dos migrantes a Bento Gonçalves e a recepção por parte dos produtores – representados no documentário por três famílias de Bento Gonçalves; os dias de colheita e o desenrolar das refeições e conversas entre produtores e trabalhadores; e a despedida.

Colheita 2015 em Bento Gonçalves

Colheita 2015 em Bento Gonçalves

Fonte: Revista Adega.

Templar Knight. O Cavaleiro Templário da Bulgaria

 

Templar Knight Cabernet Sauvignon  safra 2006

Os verdadeiros amantes do vinho sempre estão disponíveis para descobrir novos aromas e sabores. Todos concordamos que a degustação constante é a única forma de ampliar nossos conhecimentos. Há uns dias degustei um vinho de esses que não sempre temos a possibilidade.

Quando soube que se tratava de um vinho da Bulgária, já achei interessante, mais quando vi que era um Cabernet Sauvignon e da safra 2006, fiquei ainda mais entusiasmado. Claro, assim como muitos apaixonados por vinho, adoro a versatilidade da uva Cabernet Sauvignon, e como é uma uva que tem textura de taninos que precisa de tempo, o fato de já ter mais de 8 anos, era um bom sinal.

O nome do vinho e o rótulo me deixaram ainda mais curioso: Templar Knight (Cavaleiro Templário) me surpreendeu muito positivamente. Este vinho foi lançado em julho na Buywine.

Assim que você tiver a possibilidade de provar uma garrafa, entenderá porque achei necessário fazer um post particularmente sobre este vinho. Agora, a má noticia é que foram importadas apenas 120 garrafas.

Deixo abaixo uma descrição sensorial deste vinho, para animá-los ainda mais e garanto que não vão se arrepender.

Vinho Templar Knight da Bulgaria

Vinho Templar Knight da Bulgaria

 

 

Vinho Templar Knight da Bulgaria
Tipo Tinto
Safra 2006
Volume 750ml
Pontuação Alex Ordenes 

Winechef 93 Pontos

Winechef 93 Pontos

País Bulgária
Região Suhindol
Uva 100% Cabernet Sauvignon
Teor Alcoólico 12%
Amadurecimento 12 meses em barricas francesas e americanas, de 225 litros e 6 meses em garrafa.
Visual Vermelho muito concentrado com leves tons da evolução.
Olfativo Excelente em sua fase aromática, onde começa a mostrar diferentes camadas olfativas. Primeiro, os aromas balsâmicos aportados pela guarda em madeira. Algumas notas de cedro à tabaco, suaves notas a regaliz e com a oxigenação do vinho na taça, começam a mostrar cada vez um lado mais guloso e sedutor. A fruta confeitada completa a cena olfativa com notas de ‘amoras ao licor’, que aparecem incrivelmente harmonizadas com os outros elementos. É uma nariz de grande nível, com um alto padrão de complexidade e em plena evolução.
Gustativo Mantém um alto nível também no paladar. Entra com muito volume devido a sua ótima concentração. Seus taninos estão aí, bem presentes, mas são de um nível de maciez sobressaliente. Tem densidade, profundidade e principalmente equilíbrio. A sua acidez é intensa, mas sempre perfeitamente bem integrada ao conjunto.
Dica de Harmonização Tournedos de Filé Mignon
Carré de cordeiro assado com tomates e alcachofras confit.
Ragu de javali com gnocchi (nhoque) de mandioquinha e broto de beterraba.
Costela de boi cozida no vapor com molho bordelaise e purê de batata.
Carne bovina cozida no vinho Cabernet.
Nome da Vinícola Templar Knight

Aprenda como abrir garrafa de espumante chacoalhado

 

Segundo cientistas, a pressão da garrafa agitada até mesmo diminui, reduzindo o risco de o líquido “explodir”, depois de cerca de 3 minutos de espera

Uma pesquisa da Universidade de Reims, na região de Champagne, França, mostrou que não é preciso ter medo de abrir um espumante depois de agitá-lo com receio de que a rolha voe longe e o líquido “exploda” em um spray de espuma. Aliás, segundo os cientistas, chacoalhar vigorosamente a garrafa pode até diminuir esse risco de explosão durante a abertura.

A explicação para isso estaria nas bolhas. Quando a garrafa está fechada, o dióxido de carbono  no líquido e o do gargalo são proporcionais. Ao agitar a garrafa, criam-se bolhas grandes durante a mistura do gás com o líquido. No entanto, quando essas bolhas se rompem, um pouco do dióxido de carbono é absorvido pelo líquido, reduzindo levemente o total de gás na garrafa.

Contudo, a diminuição na pressão depende do tempo. Se a garrafa for aberta logo após ser chacoalhada, sairá aquele spray de espuma com que os pilotos de Fórmula 1 costumam comemorar. Porém, se a garrafa for deixada em paz por alguns minutos (os pesquisadores apontam 2 minutos e 40 segundos como o tempo ideial), a dissipação das bolhas causam uma queda de pressão que dura cerca de 30 segundos.

De acordo com Gérard Liger-Belair, co-autor do estudo, “a diminuição de pressão é realmente muito pequena e detecta apenas em sensores de alta precisão”. Ele acredita que, por isso, “a maneira mais segura de abrir uma garrafa de espumante é fazer isso gentilmente, sem sacodi-la”.

Aprenda como abrir garrafa de espumante chacoalhado

Aprenda como abrir garrafa de espumante chacoalhado