Empresa inova e cria latas de vinho com café

Sabores como Chardonnay Café Cappuccino e Cabernet Café Expresso estarão no mercado em breve

Bebidas alcoólicas que mesclam o sabor do café com algumas variedades de uva são a inovação mais recente da empresa norte-americana Friends Fun Wine. A iniciativa busca interagir com o público adepto ao hábito de vida saudável que aspira por bebidas levemente alcoólicas. Uvas como Chardonnay e Cabernet foram as selecionadas para criar as novas opções do projeto, que devem estar no mercado ainda este ano.

A série de bebidas intitulada “Novo Drink” está sendo considerada pioneira no segmento de bebidas levemente alcoólicas. Dentre as opções, a empresa lançará no mercado o Chardonnay Café Cappuccino e Cabernet Café Expresso – esta última feita com uvas Cabernet, café sabor baunilha e toques de chocolate.

Estes dois sabores são vendidos em latas de 250 ml recicláveis, com rápida capacidade de resfriamento e apenas 6% de grau alcoólico. “Como criadores da categoria “Vinho da Diversão”, a adição de café expresso e cappuccino nas bebidas alcoólicas se aliam perfeitamente com nossa missão de mercado: oferecer uma experiência de consumo da diversão” informou o diretor executivo da Friends Fun Wine, Joe Peleg.

Além dos sabores citado, a série traz para o mercado americano opções como Red Sangría, Blanco Sangría, Rose Moscato, White Moscato, Strawberry Moscato e Peach Moscato.

Friends Fun Wine

Friends Fun Wine

 

Mulheres são o segmento chave para o consumo de vinho na Ásia

Estudo mostra a importância delas na hora da compra e também identifica o vinho tinto como preferência

O comportamento e o hábito de consumo de 2.810 mulheres de três países da Ásia foram analisados em um estudo da Vinexpo, que identificou um gosto em comum entre elas. Em sua maioria, o vinho tinto é preferência entre as consumidoras asiáticas (duas de cada três), diferentemente das inglesas e norte-americanas, que tendem a preferir os brancos.

China, Japão e Coréia do Sul foram os países estudados. E nesta analise, constatou-se que 40% das consumidoras no Japão degustam vinho mais de duas vezes por semana. Por outro lado, o estudo também revelou que o mundo vinícola deveria prestar atenção nas mulheres chinesas, que são grandes consumidoras de vinho.

Na China, 50% das mulheres entrevistadas disseram que são elas as encarregadas de fazer as compras de vinho, e que para isso, não se baseiam em recomendações para escolher um rótulo. Antagonicamente a elas, as japonesas compram a bebida seguindo sugestões dadas por terceiros.

A pesquisa mostrou também que 92% das japonesas e 74% das coreanas entrevistadas compram vinho porque gostam. Já para 38% das consumidoras chinesas, o consumo da bebida se deve aos seus benefícios à saúde, enquanto que 22% afirmou degustá-lo por gosto. “As mulheres asiáticas compram vinho independente do preço ou gosto”, informou o CEO da Vinexpo, Robert Beynat.

Outro estudo, realizado pela consultora Wine Intelligence, indica que as mulheres são as responsáveis por comprar 55% dos vinhos que se vendem no Reino Unido, todas motivadas pelo prazer e por razões sociais.

Mulheres são o segmento chave para o consumo de vinho na Ásia

Georges Duboeuf Moulin a Vent A.O.C, 2013

Moulin a Vent é uma das regiões mais importantes de Beaujolais.

Seus vinhos se destacam entre os outros Crus de Beaujolais (existem dez regiões consideradas Cru) pela grande capacidade de envelhecimento que eles têm.

Em termos gerais os vinhos de Beaujolais tem uma evolução muito rápida, devido que a uva Gamay, (que é a única que é permitida para elaborar os vinhos dessa região) tem uma pele muito fina, por tanto a concentração de polifenoles é mínima. Ou seja, a não ter uma grande concentração de taninos, os vinhos nascem macios e evolui muito rápido e a não ter uma grande concentração de antocianos, sua cor é muito clara.

Beaujolais ou Bourgogne

Generalizando, poderíamos dizer que os vinhos de Beaujolais são parentes dos vinhos da Bourgogne, (que são produzidos com a uva Pinot Noir). Com a grande diferencia do que na Bourgogne os Pinot Noir se elaborados a traves de uma fermentação alcoólica tradicional e no caso dos vinhos de Beaujolais a técnica utilizada para fermentar o vinho é diferente.

No Beaujolais os vinhos são produzidos na maioria das vezes através de uma técnica chamada “maceração carbônica”, que consiste em colocar os grãos de uva inteiros na cuba aonde começa a fermentação intracelular, ou seja, dentro da própria baia, o que dá como resultado os vinhos de uma frescura a acidez inusual, muito frutados, deliciosos e refrescantes.

 Georges Duboeuf Moulin a Vent A.O.C, 2013

Degustei esse vinho háuns dias atrás, e ele consegue exemplificar de excelente maneira o que estou explicando, no sentido do estilo bem definido que os vinhos dessa região possuem, mas no caso deste Georges Duboeuf, ele provém do melhor dos dez Crus que existem em Beaujolais, o Moulin a Vent.  Os vinhos desta região são se comparamos com os outros vinhos de Beaujolais- muito mais estruturados, muito mais complexos e conseguem evoluir por muitos anos, uma década ou mais inclusive, são vinhos bem interessantes, parecidos de certa maneira aos vinhos da Bourgogne, mas com um preço bem mais em conta, se compararmos com os vinhos da mesma qualidade.

Georges Duboeuf Moulin a Vent

Georges Duboeuf Moulin a Vent

Ficha Técnica  Georges Duboeuf Moulin a Vent A.O.C, 2013

 

Uva 100% Gamay
Teor Alcoólico 13.50%
Região Beaujolais
Amadurecimento 12 Meses em barricas
Visual Coloração clara de alta intensidade.
Olfativo Olfativamente é um vinho muito interessante, que já começa a mostrar alguns elementos produtos da evolução. Se sentem notas a framboesas, mas é uma framboesa que já começa a ficar confeitada, com notas a especiarias e alguns matizes florais. É um vinho complexo, que mostra os seus aromas em diferentes camadas, os que certamente vão continuar evoluindo e melhorando nos próximos anos. Em definitiva, um aroma muito grato e de grande tipicidade.
Gustativo Na boca é um vinho realmente delicioso, de corpo meio com uma fruta suculenta e nítida. Tem muita fruta e muita acidez, e profundo e seus sabores são muito intensos, resultando num vinho extraordinariamente longo, deixando seus sabores no paladar por longos segundos após terminado o analises gustativo. É um Gran Cru de Beaujolais sobressaliente, dos melhores produzidos neste peculiar terroir da Bourgogne, que vai continuar melhorando nos próximos 5 a 10 anos.
Dica de Harmonização Tempurá de camarão sobre arroz yakimeshi.
Linguado grelhado na brasa, servido com risoto de creme de queijo e cenoura.
Tilápia ao molho tailandês com legumes salteados na manteiga de camarão.
Suflé de caranguejo com molho de framboesas.
Corvina grelhada com um cremoso molho de gorgonzola e batatas baby salteadas.
Temperatura de Serviço 14 – 15 ºC
Potencial de Guarda 10 anos
Pontuação Winechef

Georges Duboeuf Moulin a Vent A.O.C, 2013 - Winechef 91 Pontos

Georges Duboeuf Moulin a Vent A.O.C, 2013- Winechef 91 Pontos

Ano de Fundação da Vinícola 1964
Enólogo Responsável Georges Duboeuf

 

 

Como fazer o refrescante drink Clericot

Feito com vinhos e frutas, ele é leve e doce na medida certa.

Muito comum nas praias dos países latino-americanos, principalmente no Uruguai, o Clericot é um drink perfeito para dias de muito calor.

 

Ingredientes:

2 taças de vinho branco
1 dose de Contreau
3 lichias
1 maçã verde
1 rodela de abacaxi
3 morangos
1 laranja
1/2 cacho de uva verde sem caroço
500 ml de refrigerante de limão (pode ser zero)
2 colheres de xarope de açúcar

 

Receita: Como fazer o refrescante drink Clericot

Receita: Como fazer o refrescante drink Clericot

 

Modo de fazer:
Em uma jarra, coloque as frutas picadas em metades e acrescente gelo.

Adicione a dose de contreau e as duas taças de vinho branco.

Mexa com uma colher de bar e por fim, adicione o refrigerante de limão e está pronto.

Se quiser, adicione duas colheres de xarope de açúcar, que pode ser feito em casa.

Basta diluir quatro colheres de açúcar em uma xícara de água.

Domingo Molina Palo Domingo, 2002

País Argentina
Propriedade da Vinícola 100 Hectares
Volume 750ml
Tipo Tinto
Safra 2002
Sub-Região Vale de Cafayate
Uva 80% Malbec e 20% Cabernet Sauvignon
Teor Alcoólico 14,7%
Tipo de Uva Tinta Assemblage
Amadurecimento 12 meses em barricas, 100% roble francês.
Domingo Molina Palo Domingo, 2002

Domingo Molina Palo Domingo, 2002

 

Visual Rubi evoluido, muito concentrado tendendo ao granada.
Olfativo Bouquet complexo e elegante, destacando-se pelas notas de frutas secas, ameixas, morango e compota de cereja, mais alguns tons defumados aportados pelo estágio em barrica francesaresultando numa nariz de grande nivel de qualidade.
Gustativo No paladar entra envolvente e macio, com taninos muito delicados que já estão completamente maduros e sugerem doçura. Está na plenitude, com muita elegância e equilíbrio, maravilhoso, concentradíssimo, e extremamente aveludado e sedoso. O vinho é enorme no final de boca, assim como incrivelmente puro e bem delineado. Para beber nos próximos 2 anos.
Dica de Harmonização Carré de Borrego com crosta de alecrim, batata gratinada e creme de castanhas.
Mignon em crosta de vitelo e foie gras ao molho de vinho do Porto
Jarret de vitela assado lentamente no próprio caldo, com batatas assadas.
Magret de marreco ao molho de vinho tinto com arroz de brócolis e batatas coradas.
Lombo de cordeiro com purê e molho de pimenta verde.
Ragoût de rabada com mousseline de cará e cebolas crocantes.
Mil folhas de rabo de boi com arroz de alho poró e purê de batatas ao zafferano.
Temperatura de Serviço 16º
Potencial de Guarda 15 anos
Nome da Vinícola Domingo Hermanos
Ano de Fundação da Vinícola 1960
Enólogo Responsável Osvaldo Domingo
Pontuação Winechef

Domingo Molina Palo Domingo, 2002 – 93 pontos Winechef

Domingo Molina Palo Domingo, 2002 – 93 pontos Winechef

 

Aprenda a preparar um bolo de chocolate com vinho tinto

Vinhos podem ser usados em pratos salgados, mas também em sobremesas, como no caso do bolo de chocolate onde a água da receita inicial foi substituída por vinho tinto.  “Ao utilizarmos o vinho, teremos um bolo mais macio, por conta da acidez que ele carrega, e mais saboroso, por conta dos compostos voláteis”, explica a confeiteira Joyce Galvão, proprietária do Essência Studio. Por outro lado, “o excesso de álcool atrapalha a estrutura do bolo, pois o álcool não desenvolve tanto o glúten como a água”. Isso significa que o bolo perde um pouco em elasticidade, mas fica tão macio e úmido que acaba compensando. E para finalizar, uma calda de chocolate com…vinho tinto, é claro.

Antes de adquirir os ingredientes para o doce, uma dica: opte por vinhos de preço médio a baixo, já que a bebida irá perder seus aromas e sutilezas no processo de cocção. E mais: o bolo de chocolate é o companheiro perfeito de uma tacinha de vinho do porto.

Confira a receita abaixo!

Bolo de chocolate com vinho

INGREDIENTES – MASSA:
75g de manteiga sem sal derretida
1 e 1/2 xícaras (chá) de açúcar
1 e 1/4 xícaras (chá) de farinha de trigo
1/2 xícara (chá) + 2 colheres (sopa) de cacau em pó
1 colher (chá) de fermento biológico
1 colher (chá) de bicarbonato de sódio
1/4 de colher (chá) de sal
2 ovos grandes
1 xícara (chá) de vinho tinto
1/2 de xícara (chá) de leite integral morno

 

Aprenda a preparar um bolo de chocolate com vinho tinto

Aprenda a preparar um bolo de chocolate com vinho tinto

 

INGREDIENTES – COBERTURA:
240g de chocolate meio-amargo picado finamente
1/4 de xícara de manteiga sem sal cortada em pequenos pedaços
1/2 colher (chá) de sal
1/2 xícara (chá) de açúcar de confeiteiro
1/2 xícara (chá) de vinho tinto

 

MODO DE PREPARO – MASSA:
1. Preaqueça o forno a 180°C e unte uma forma de 20cm com fundo removível usando manteiga e cacau em pó.
2. Em uma tigela grande, misture o açúcar, a farinha, o cacau em pó, fermento, bicarbonato de sódio e sal. Misture bem.
3. Nessa mesma tigela, junte a manteiga derretida, os ovos e o vinho tinto. Misture com um fouet ou colher de pau até obter uma mistura homogênea.
4. Por último, acrescente o leite morno e misture bem. Ela ficará bem líquida, nano se assuste.
5. Despeje a massa na forma e asse por 40-45 minutos ou até que ao enfiar um palito no centro ele saia limpo.
6. Tire do forno e deixe esfriar antes de desenformar. Tome cuidado, pois este bolo é mais delicado, dado que tem menos elasticidade por conta do vinho.

 

MODO DE PREPARO – COBERTURA:
1. Derreta o chocolate, a manteiga e o sal em banho-maria.
2. Retire do fogo e acrescente o açúcar de confeiteiro e misture bem.
3. Acrescente o vinho e misture até obter uma mistura homogênea. Despeje sobre o bolo até cobri-lo. Está pronto!

 

Marca lança fórmula de chocolate anti-barriga

Galena apresentou lançamento fitness que promete reduzir 50% da gordura abdominal

Já pensou em comer um chocolate que emagrece? O mais novo lançamento da Galena, empresa que importa e distribui ativos para farmácias de manipulação, promete justamente isso.

A novidade é o “Chocolate Anti-Barriga“, um alimento com Morosil – ativo extraído das laranjas vermelhas moro (cultivadas exclusivamente na área em torno do vulcão Etna, na Sicília, Itália), que possui excelente ação antioxidante, além de reduzir a gordura abdominal de 25% a 50%. Entre os outros benefícios do Morosil, estão o aumento da sensibilidade à insulina, a redução de níveis de triglicerídeos e colesterol. Ele pode ser manipulado com chocolate 70% cacau (onde a proporção deve ser 0,25g de Morosil para cada 3,5g de chocolate).

“Deve-se fundir o chocolate e adicionar o Morosil durante a fase de resfriamento, quando o chocolate derretido estiver em uma temperatura inferior a 45ºC, depois é só colocar na forma desejada”, explica Claudia Coral, vice-presidente da Galena. Mas para que o “Chocolate Anti-Barriga” funcione, ela alerta: “é indicada a ingestão de 7g de chocolate por dia, pois em 7g conseguimos a dosagem usual do Morosil que é de 400mg a 500mg ao dia”.

Por outro lado, nem todos os especialistas acreditam no efeito da novidade.

“Não há nenhum artigo cientifico sobre esse estudo que comprove que o chocolate é uma anti-barriga”, declarou Ana Maria Gonçalves, nutricionista e coordenadora do Curso de Gastronomia do IBMR e nutricionista. “A única verdade, na minha opinião, é se for uso tópico utilizado com massagens, máscaras e outros cosméticos, pois o chocolate tem alto poder hidratante”, conclui.

Marca lança fórmula de chocolate anti-barriga

Marca lança fórmula de chocolate anti-barriga

Ossobuco ao vinho tinto

Molho que acompanha a receita da carne pode ser aproveitado em massas e risotos

Ingredientes

6 colheres (sopa) de manteiga

Óleo

1.5kg de ossobuco

½ cebola picada

Tomilho a gosto

1 xícara de vinho tinto

½ xícara de caldo de legumes

1 talo de salsão picado

1 cenoura picada

2 colheres (sopa) de extrato de tomate

Flor de sal a gosto

Pimenta-do-reino a gosto

Farinha de trigo para polvilhar

 

Ossobuco ao vinho tinto

Ossobuco ao vinho tinto

 

Modo de preparo

Derreta a manteiga e o óleo em uma panela grande.

Leve o ossobuco para a panela e cozinhe bem, virando, até que esteja dourado. Retire da panela e adicione a flor de sal e a pimenta do reino à gosto.

Na mesma panela, adicione a cebola, o salsão e a cenoura. Refogue rapidamente, polvilhe a farinha de trigo para engrossar e mexa até dourar. Volte com o ossobuco.

Adicione o vinho, o caldo de legumes, o extrato de tomate e o tomilho, se quiser. Deixe cozinhar.

Quando o tutano do ossobuco estiver se soltando, retire novamente o ossobuco e processe o caldo restante para engrossar o molho.

Sirva em seguida.

 

A acidez dos azeites

O que realmente significa a graduação de acidez de um óleo de oliva?

Um suco oleoso. É assim que podemos chamar um azeite de oliva de qualidade, obtido a partir de um fruto fresco, em boas condições de maturação, evitando qualquer tipo de manipulação ou tratamento que venha a alterar a natureza química de seus componentes. Por isso, pode-se considerar um suco, e de polpa, como outros tantos, da polpa da oliva prensada, alcançando porcentagens que vão de 15% a 25%.

O nosso suco dourado, assim como a laranjada, rica em vitamina C, também possui seus componentes químicos. Ele é composto por ácidos graxos, vitaminas, alguns componentes voláteis e outros hidrossolúveis, além de microscópicos pedaços do fruto.

Existem dois principais grupos de componentes no azeite de oliva: os triglicerídeos, ácidos graxos, que representam entre 98,5% e 99,5% do total de componentes; e os componentes voláteis, hidrocarbonetos, antioxidantes e alcoóis, que são os responsáveis por nosso prazer, ou seja, pelas características organolépticas do óleo.

O principal ácido graxo encontrado no azeite de oliva é o ácido oleico, monoinsaturado, constituindo mais de 80% do total. Ele é responsável pela formação das lipoproteínas de alta densidade (HDL – high density lipoproteins), que transportam uma parte importante do colesterol dos vasos até o fígado, para ser eliminado.

Além disso, há ácidos poliinsaturados, como o linoleico – que pertence a série ômega-6 -, e o linolênico – pertencente à série omega-3 -, que possuem proporção entre 5% e 10%. Eles desempenham funções essenciais no corpo. O restante da composição dos azeites é de ácidos saturados.

Lembrando que, quanto maior o índice de insaturação, maior será a instabilidade do óleo, danificando-se com facilidade. Daí os outros óleos, extraídos de sementes, terem uma instabilidade muito maior, porque possuem altos índices de poliinsaturados.

Continua…

Acidez dos azeites

Acidez dos azeites

 

Salmão ao Molho de Maracujá

Ingredientes

4 postas médias de salmão;

4 colheres de sopa de manteiga;

Sal a gosto;

Suco de 2 limões;

Polpa de 4 maracujás;

1 xícara de suco de laranja;

8 colheres de sopa de maionese para o molho;

2 colheres de sopa de suco de limão;

1 pitada de açúcar.

 

Salmão ao Molho de Maracujá

Salmão ao Molho de Maracujá

 

Modo de Preparo

Tempere as postas de salmão com suco de limão e sal a gosto.

Grelhe-as por 10 minutos com a manteiga até o peixe dourar dos dois lados.

Retire do fogo e reserve.

Bata no liquidificador a polpa dos maracujás e o suco de laranja.

Coe o suco e acrescente a maionese, mexendo bem até conseguir uma mistura homogênea.

Adicione 2 colheres de sopa de suco de limão, o açúcar, o sal e misture bem.

Coloque o peixe no prato e cubra com um pouco do molho.

Decore com sementes de maracujá e fatias de laranja.

Sirva a seguir!

 

Para harmonizar escolha algum vinho branco, de preferencia jovem e sem madeira. Um Sauvignon Blanc chileno seria uma boa pedida!