Posts

Sai a lista dos 50 melhores restaurantes do mundo 2016

A revista britânica The Restaurant divulgou a lista dos 50 melhores restaurantes do mundo na noite desta segunda-feira, numa cerimônia para convidados em Nova York. No topo da lista, estreou a Osteria Francescana, do chef italiano Massimo Bottura, que fica em Modena. Há muito tempo não se via um restaurante italiano no topo da lista. Tivemos os espanhóis e dinamarqueses. Agora, é o retorno da Itália.

Em segundo lugar, veio El celler de can Roca, dos irmãos Roca, que no ano passado também ficou neste lugar no ranking. O único brasileiro da lista é o chef Alex Atala, que caiu do nono para o 11º lugar.

 

Sai a lista dos 50 melhores restaurantes do mundo 2016

Sai a lista dos 50 melhores restaurantes do mundo 2016

 

Confira a lista 50 melhores restaurantes do mundo 2016:

 

1º Osteria Francescana (Itália)
2º El Celler de Can Roca (Espanha)
3º Eleven Madison Park (EUA)
4º Central (Peru)
5º Noma (Dinamarca)
6º Mirazur (França)
7º Mugaritz (Espanha)
8º Narisawa (Japão)
9º Steirereck (Áustria)
10º Asador Etxebarri (Espanha)
11º D.O.M. (Brasil)
12º Quintonil (México)
13º Maido (Peru) —restaurante que mais subiu na lista (era o 44º colocado em 2015)
14º The Ledbury (Inglaterra)
15º Alinea (EUA)
16º Azurmendi (Espanha)
17º Piazza Duomo (Itália)
18º White Rabbit (Rússia)
19º Arpege (França) —o chef Alain Passard foi homenageado pelo conjunto da obra
20º Amber (Hong Kong)
21º Arzak (Espanha)
22º The Test Kitchen (África do Sul)
23º Gaggan (Tailândia)
24º Le Bernardin (EUA)
25º Pujol (México)
26º The Clove Club (Inglaterra) —a entrada mais alta
27º Saison (EUA)
28º Geranium (Dinamarca)
29º Tickets (Espanha)
30º Astrid y Gastón (Peru)
31º Nihonryori RyuGin (Japão)
32º Restaurant Andre (Singapura)
33º Attica (Austrália)
34º Tim Raue (Alemanha)
35º Vendôme (Alemanha)
36º Boragó (Chile)
37º Nahm (Tailândia)
38º De Librije (Holanda)
39º Le Calandre (Itália)
40º Relae (Dinamarca) —vencedor na categoria “restaurante sustentável”
41º Fäviken (Suécia)
42º Ultraviolet by Paul Pairet (China)
43º Biko (México)
44º Estela (EUA)
45º Dinner by Heston Blumenthal (Inglaterra)
46º Combal Zero (Itália)
47º Schloss Schauenstein (Suíça)
48º Blue Hill at Stone Barns (EUA)
49º Quique Dacosta (Espanha)
50º Septime (França)

 

Os melhores vinhos tintos chilenos do ano segundo Descorchados 2016

Foram revelados os resultados da guia Descorchados e estes são os ganhadores da categoria vinhos tintos.

 

98 Pts. CONO SUR SILENCIO C. SAUVIGNON 2011 ALTO MAIPO
97 Pts. COUSIÑO MACUL LOTA C. SAUVIGNON MERLOT 2010 ALTO MAIPO
97 Pts. SEÑA C. SAUVIGNON CARMENÈRE MALBEC MERLOT P. VERDOT 2013 ACONCAGUA
97 Pts. CLOS QUEBRADA DE MACUL DOMUS AUREA 2011 ALTO MAIPO
97 Pts. SANTA CAROLINA LUIS PEREIRA C. SAUVIGNON 2013 CHILE
96 Pts. CONCHA Y TORO TERRUNYO LOT 1 CARMENÈRE 2013 PEUMO
96 Pts. DE MARTINO SINGLE VINEYARD LIMÁVIDA MALBEC 2013 MAULE
96 Pts. TABALÍ ROCA MADRE MALBEC 2014 LIMARI
96 Pts. MAYCAS DEL LIMARÍ LOS ACACIOS SYRAH 2014 LIMARÍ
96 Pts. AQUITANIA LAZULI C. SAUVIGNON 2012 ALTO MAIPO
96 Pts. CALCU FUTA C. SAUVIGNON 2011 MARCHIGUE
96 Pts. ALMAVIVA 2013 ALTO MAIPO
96 Pts. ERRÁZURIZ THE RED BLEND 2013 ACONCAGUA
96 Pts. NEYEN CARMENÈRE C. SAUVIGNON 2011 APALTA

Os melhores vinhos brancos chilenos do ano segundo Descorchados 2016

 

Os melhores vinhos tintos do ano segundo Descorchados 2016

Os melhores vinhos tintos do ano segundo Descorchados 2016

Antiyal Carménère, 2010

Antiyal Carménère, 2010: Extraordinário nível de qualidade, entre os melhores  Carménère´s do Chile

 

País Chile
Propriedade da Vinícola 8 Hectares
Volume 750ml
Tipo Tinto
Safra 2010
Sub-Região Maipo Alto
Uva 100% Carménère
Teor Alcoólico 14,50%
Tipo de Uva Tinta Carménère
Amadurecimento 14 meses em barricas
Antiyal Carménère, 2010

Antiyal Carménère, 2010

 

Visual Coloração vermelho rubi com tons violetas.
Olfativo Seduz pelo olfato rico e complexo a especiarias, chocolate ao leite e frutas negras maduras, cerejas e pimentão assado, enobrecidas por alcaçuz, ervas e uma grande tipicidade da uva emblemática do Chile: a Carménère, o “Grande Vidure” que é o sinônimo desta uva e que Álvaro Espinoza (proprietário e enólogo de Antiyal) usava para denominar os vinhos que naquela época ele elaborava com a vinícola Carmen (nos começos dos anos 90s), inclusive antes desta uva ser descoberta no Chile (1994).
Gustativo Na boca é um vinho espetacular, muito saboroso e sedutor. Tem um intenso ataque, entrando no paladar com uma textura macia, mas ao mesmo tempo enche de sabores, com frutas negras maduras com ainda maior nitidez, tudo amparado por uma ótima acidez mantendo um destacável frescor. É um Carménère de extraordinário nível de qualidade, entre os melhores do Chile (então podemos falar entre os melhores do mundo, já que “quase” só o Chile produz vinhos mono varietais desta variedade de uva).
Dica de Harmonização Bacalhau assado com molho bechamel.
Cauda de lagosta grelhada com molho de vinho de uva Carménère.
Peixe assado ao molho de côco.
Filé de truta grelhada com molho de ervas.
Peru assado recheado com frutas secas, ao molho de cogumelo.
Filé ao molho de pimentão vermelho e cassis com arroz de parmesão.
Pernil suíno assado com molho de ameixa.
Faisão assado ao molho de frutas vermelhas e arroz trufado.
Temperatura de Serviço 16º
Potencial de Guarda 8 anos
Nome da Vinícola Antiyal
Ano de Fundação da Vinícola 1996
Tipo de vinho Vinho de Autor, Vinho Biodinâmico, Vinho Orgânico
Enólogo Responsável Alvaro Espinoza
Pontuação Winechef

Vinho Antiyal Carménère, 2010 - 94 pontos Winechef

Vinho Antiyal Carménère, 2010 – 94 pontos Winechef

 

Revelado o nome do melhor vinho do ano 2015 da Wine Spectator

Um pequeno vinhedo com vinhas antigas, plantadas em 1988 num lugar anteriormente pouco conhecido (em Oakville  no Distrito de Napa Valley) tem produzido o vinho que acaba de ser escolhido pela revista Wine Spectator, como o melhor vinho do planeta.

O grande ganhador foio Peter Michael Cabernet Sauvignon Oakville Au Paradis 2012, do qual foram produzidas 1785 caixas, o que no contexto mundial pode ser considerados como uma pequena quantidade.

O preço, claro, antes de ganhar este premio era de u$ 195, mais agora, depois de ter sido escolhido como o número 1, certamente o valor desse vinho mudo, de fato, vai ser muito difícil poder encontrar uma garrafa.

Michael Cabernet Sauvignon Oakville Au Paradis 2012

Michael Cabernet Sauvignon Oakville Au Paradis 2012

Michael Cabernet Sauvignon Oakville Au Paradis 2012

Veja a lsita dos TOP 10

 

Os 100 Melhores Vinhos de 2015, segundo James Suckling

James Suckling acaba de revelar sua lista com os melhores 100 vinhos do ano 2015.

Tal como ele descreve no seu site “este ano na lista os meus top 100 estão inclusos os grandes Brunellos 2010, os fantásticos super toscanos 2012, os top brancos e tintos espanhóis, como também os excelentes vinhos de Chile, Argentina e Alsace”

A lista também inclui alguns grandes vinhos brancos da Nova Zelândia, Austrália e Champagne.

O chileno Montes Syrah Valle de Apalta Montes Folly 2011 esta na quarta posição.

Montes Folly 2011

Montes Folly 2011

 

100 Melhores Vinhos de 2015, James Suckling

 

  1. Marchesi de Frescobaldi Brunello di Montalcino Castelgiocondo 2010
  2. Muga Rioja Prado Enea Gran Reserva 2006
  3. Bodegas Caro Caro Mendoza 2012
  4. Montes Syrah Valle de Apalta Montes Folly 2011
  5. Ata Rangi Pinot Noir Martinborough 2013
  6. FE Trimbach Riesling de Alsacia Grand Cru Geisberg 2009
  7. Ciacci Piccolomini d’Aragona Brunello di Montalcino Pianrosso 2010
  8. Hugel & Fils Riesling de Alsacia Grossi Laue 2010
  9. Flametree Chardonnay Margaret River SRS 2014
  10. Fattoria Le Pupille Toscana Saffredi 2012
  11. Nelson Neudorf Moutere Chardonnay 2014
  12. Abremundos Valle de Uco Pagina 1 2012
  13. Marqués de Murrieta Rioja Castillo Ygay Gran Reserva Especial 2007
  14. Luce della Vite Brunello di Montalcino 2010
  15. Marqués de Riscal Rioja 150 Aniversario de Marqués de Riscal 2004
  16. Siro Pacenti Brunello di Montalcino 2010
  17. El Enemigo Cabernet Franc Gualtallary Valle de Uco Gran Enemigo 2010
  18. Duemani Cabernet Franc Costa della Toscana 2012
  19. Château d’Esclans Côtes de Provence Rosé Garrus 2014
  20. Taylor Fladgate Duero Individual Cosecha Puerto 1863
  21. Giacomo Conterno Barolo Monfortino Riserva 2010
  22. Bodega Noemía Patagonia Malbec 2013
  23. Albert Mann Pinot Noir Alsace Grand H 2012
  24. Peter Michael Bodega Oakville Napa Valley Au Paradis 2012
  25. Livio Sassetti Brunello di Montalcino 2010
  26. Seña Valle de Aconcagua 2013
  27. San Polino Brunello di Montalcino Helichrysum 2010
  28. Maison Louis Jadot Grand Cru Chapelle-Chambertin 2013
  29. Le Ragnaie Brunello di Montalcino Ragnaie VV 2010
  30. Muré Riesling de Alsacia Grand Cru Vorbourg Clos Saint Landelino 2013
  31. Valdicava Brunello di Montalcino 2010
  32. Diamond Creek Napa Valley Red Rock Terraza 2012
  33. Bruno Giacosa Barbaresco Asili Riserva 2011
  34. Masseto Toscana 2012
  35. Dana Estates Cabernet Sauvignon Napa Valley Helms Vineyard 2012
  36. Niepoort Douro Valley Turris 2013
  37. Tua Rita Toscana redigaffi 2013
  38. Sette Ponti Toscana Oreno 2013
  39. Joseph Drouhin Beaune 1er Cru Clos des Mouches Blanca 2010
  40. Catena Zapata Chardonnay Gualtallary Valle de Uco White Bones 2012
  41. Dominio de Pingus Ribera del Duero Pingus 2012
  42. Remelluri Rioja Blanco 2012
  43. Casanova di Neri Brunello di Montalcino Tenuta Nuova 2010
  44. El Enemigo Cabernet Franc Gualtallary Valle de Uco Gran Enemigo 2010
  45. Billecart-Salmon Champagne Cuvée Nicolas François Billecart
  46. ​​Pio Cesare Barolo Ornato 2011
  47. Ornellaia Toscana Bianco 2013
  48. Te Mata Cabernet Sauvignon de Hawke Bay Coleraine 2013
  49. Contino Rioja Gran Reserva 2007
  50. Viñedo Chadwick Cabernet Sauvignon Valle de Maipo 2011
Os 100 Melhores Vinhos de 2015, segundo James Suckling

Os 100 Melhores Vinhos de 2015, segundo James Suckling

  1. Henschke Shiraz Eden Valley Cerro de Gracia 2010
  2. La Spinetta Barolo Campe 2011
  3. Castello di Ama Chianti Classico Vigneto la Casuccia Gran Selezione 2011
  4. Granja Nuestra Señora de Remelluri Rioja Granja Remelluri Reserva 2010 Gran
  5. Olivier Rivière Rioja Mirando al Sur 2013
  6. Dominus Napa Valley 2012
  7. Morris de Rutherglen Antiguo premium Rare Licor Moscatel NV
  8. Clonakilla Syrah Canberra Distrito 2013 59. Artadi Rioja El Pisón 2012
  9. Screaming Eagle Cabernet Sauvignon Napa Valley 2012
  10. Petrolo Toscana Galatrona 2013
  11. Louis Latour Chevalier-Montrachet Grand Cru Les Demoiselles 2013
  12. Bodega Chacra Pinot Noir Patagonia Treinta y Dos 2012
  13. Livio Felluga Rosazzo 100 2013
  14. Moët & Chandon Champagne Dom Pérignon 2005
  15. Mazzei Toscana Siepi 2012
  16. Errázuriz Pinot Noir Aconcagua Costa Pizarra 2014
  17. Marchesi Antinori Toscana Solaia 2012
  18. Trinidad Colina Syrah Hawkes Bay Homenaje 2013
  19. Opus One Napa Valley 2012
  20. Bond Napa Valley Melbury 2012
  21. Jacquesson Champagne Avize-Champ Caïn Extra Brut 2005
  22. Marqués de Riscal Rioja Gehry 2012
  23. Jean-Baptiste Adam Pinot Gris Alsacia Sélection de Grains Nobles 2010
  24. Domaine Faiveley Corton-Charlemagne Grand Cru 2013
  25. Valentin Zusslin Riesling de Alsacia Grand Cru Pfingstberg 2012
  26. Quintodecimo Taurasi Vigna Quintodecimo Riserva 2010
  27. Castello dei Rampolla Toscana d’Alceo 2011
  28. Caín Napa Valley Spring Mountain Distrito Cinco Caín 2012
  29. Bilancia Syrah Hawkes Bay La Collina 2013
  30. Château Mouton-Rothschild Pauillac 2013
  31. Almaviva Puente Alto 2013
  32. San Polino Brunello di Montalcino 2010
  33. Penfolds Shiraz St. Henri Sur Australia 2012
  34. Spottswoode Cabernet Sauvignon St. Helena Napa Valley Estate 2012
  35. Castello di Ama Toscana L’Apparita 2011
  36. Viña Cobos Malbec de Luján de Cuyo Cobos 2012
  37. Lucien Lemoine Chateauneuf-du-Pape Arioso 2011
  38. Olivier Leflaive Montrachet Grand Cru 2012
  39. Billecart-Salmon Champagne Brut Blanc de Blancs 2004
  40. Château L’Si San-Emilion 2012
  41. Domaine Zind-Humbrecht Gewurztraminer Alsace Grand Cru 2013
  42. Silvio Nardi Brunello di Montalcino Manachiara 2010
  43. Giacomo Conterno Barolo Cascina Francia 2011
  44. Renato Corino Barolo Rocche dell’Annunziata 2011
  45. Joseph Phelps viñedos de Napa Valley Insignia 2012
  46. Penfolds Cabernet Sauvignon Coonawarra Bin 169 2012
  47. Riecine Toscana 2011
  48. Roberto Voerzio Barbera d’Alba Riserva Vigneto Pozzo dell’Annunziata 2011
  49. Cantina Terlano Alto Adige Terlaner me Grande Cuvée 2012

 

50 melhores Carménère´s chilenos da história por Robert Parker

 

Ranking dos 50 melhores Carménère´s do Chile segundo Robert Parker

Desde que a Carménère foi redescoberta no Chile já passaram mais de 20 anos. O que parecia ser mais uma variedade de uva se transformou nesse período na uva emblemática desse país, a tal ponto, que até hoje para o maior e mais conceituado crítico de vinhos do mundo (Robert Parker), as máximas pontuações para vinhos chilenos são para vinhos elaborados a base dessa uva.

Na lista abaixo estão só os vinhos que no próprio site de Robert Parker (http://www.erobertparker.com/members/home.aspx ) estão catalogados como Carménère´s, mas vale destacar que além dos dois vinhos que compartem o primeiro lugar no topo da lista com nada menos que 97 pontos, tem outro chileno, o Von Siebenthal Tatay 2007 que também é elaborado a base de Carménère e que obteve a mesma pontuação, só que no site de Robert Parker esta catalogado como um blend, de fato, os Terrunyo´s da Concha y Toro também são blend´s. A diferencia é que o Tatay é um blend de três uvas, e os Concha y Toro Terrunyos só de duas, então imagino que no site de Robert Parker podem ter usado a quantidade de uvas que formam o blend para dividir as categorias.

Enfim, veja a lista, anote e se achar um desses vinhos por ai, provavelmente compartilhará a opinião (e tal vez até a pontuação), entregada por RP.

Robert Parker e os 50 melhores Carménère´s chilenos da história

Robert Parker e os 50 melhores Carménère´s chilenos da história

Robert Parker e os 50 melhores Carménère´s chilenos da história

SAFRA                                       VINHO                                                      PONTUAÇÃO

2003
Concha y Toro Carmin de Peumo Carmenere Peumo Vineyard
97
2005
Concha y Toro Carmin de Peumo Carmenere Peumo Vineyard
97
2007
Concha y Toro Carmin de Peumo Carmenere Peumo Vineyard
96
2008
Concha y Toro Carmin de Peumo Carmenere Peumo Vineyard
95
2004
Terrunyo Carmenere Peumo Vineyard
95
2006
Terrunyo Carmenere Peumo Vineyard
94
2008
Antiyal Carmenere Alto del Maipo Valley
93
2005
Casa Silva Carmenere Micro Terroir
93
2008
Casa Silva Carmenere Micro Terroir
93
2007
Terrunyo Carmenere Peumo Vineyard
93
2008
Terrunyo Carmenere Peumo Vineyard
93
2005
Terrunyo Carmenere Peumo Vineyard
93
2005
Arboleda Carmenere
92
2005
J & F Lurton Alka
92
2005
Santa Rita Carmenere Pehuen
92
2008
Terra Noble Carmenere Ca2 Costa
92
2011
Terrunyo Carmenere Peumo Vineyard
92
2007
Viu Manent Carmenere El Incidente
92+
2011
Antiyal Carmenere Vinedo Escorial
91
2005
Casa Silva Carmenere Los Lingues Estate
91
2009
Concha y Toro Carmenere Marques de Casa Concha
91
2007
Concha y Toro Carmenere Marques de Casa Concha
91
2009
De Martino Carmenere Alto de Piedra
91
2011
De Martino Carmenere Alto de Piedra
91
2007
De Martino Carmenere Alto de Piedra
91
2006
Errazuriz Carmenere Don Maximiliano Estate
91
2007
J & F Lurton Alka
91
2007
La Playa Axel Carmenere
91
2008
Montes Alpha Carmenere
91
2007
Montes Alpha Carmenere
91
2009
Montes Alpha Carmenere
91
2008
Santa Rita Carmenere Pehuen
91
2008
Terra Noble Carmenere Ca1 Andes
91
2009
Terra Noble Carmenere Ca2 Costa
91
2007
Undurraga Carmenere Founder’s Collection
91
2007
Vina Morande Carmenere Edicion Limitada
91
2008
Vina Ventisquero Queulat Gran Reserva
91
2010
Antiyal Carmenere Viñedo Escorial
90
2003
Apaltagua Grial Carmenere
90
2012
Apaltagua Carmenere Envero
90
2007
Caliterra Carmenere Tributo
90
2009
Caliterra Tributo Carmenere Single Vineyard
90
2009
Casa Silva Carmenere Reserva
90
2013
Casa Silva The Carmenere Project
90
2005
Casa Silva Carmenere Reserva
90
2011
Casa Tamaya T Carmenere
90
2009
Casa Tamaya Carmenere
90
2009
Casas del Bosque Carmenere Reserva
90
2007
Chono Carmenere Reserva
90
2009
Clos Ouvert Carmenere
90

O que nunca ninguém conseguiu explicar. A mudança na cor dos vinhos

 

Aprenda neste post de Winechef como e por que os vinhos mudam de cor.

Na hora de fazer a análise visual, devemos considerar que existem algumas uvas que já entregam desde um princípio uma coloração mais escura ou mais dourada, e também influencia o momento de madures na hora da colheita, o grau de acidez PH do vinho, e a quantidade de S2O (anidrido sulfuroso) utilizado na elaboração (quanto maior é a concentração, maior é a transparência e a fixação da cor). Então temos sempre que estar atentos para não errar na hora de fazer análises visuais.

Outro ponto importante que tenho que mencionar é que os vinhos que passam em barrica têm uma mudança considerável na cor. Assim, um vinho branco pode ser jovem e ter uma cor mais dourada, mas neste caso a causa foi a guarda em madeira (aí vamos ao nariz sentir o aroma da madeira).

No caso dos vinhos tintos acontece algo parecido. Ou seja, o aspecto visual vai estar em constante evolução, o que se explica pela polimerização dos taninos e as antocianos (pigmentos que estão na pele e que entregam a cor do vinho tinto), através da união de suas moléculas que se transformam e juntam, ficando de um tamanho maior – razão pela qual estas ficam com peso maior e precipitam, ficando no fundo da garrafa com um aspecto de “lama”, erroneamente chamadas de “borras”.

Esta evolução permite que a mudança de cor seja muito evidente e funciona da seguinte maneira: os vinhos tintos, quando são jovens, têm sempre um coloração violeta e intensa (independente da concentração). Deve-se considerar os mesmos dois aspectos que mencionamos com o exemplo dos vinhos brancos, ou seja, quando os vinhos tintos passam por madeira, esta acelera a polimerização dos taninos e as antocianos, portanto a cor muda de maneira mais rápida.

Também temos que lembrar que existem uvas com diferentes potenciais de cor. Um bom exemplo é a uva Pinot Noir, que dentro da composição celular de sua pele tem uma baixíssima quantidade de antocianos, razão pela qual seus vinhos têm uma coloração muito mais clara que a média das uvas tintas.

A mudança na cor dos vinhos

A mudança na cor dos vinhos

 

A uva Tintorera

Contrariamente existe uma uva que se chama “tintorera” e que tem uma concentração extraordinária de cor, que é um grande diferencial frente às outras uvas tintas por ter estes pigmentos de cor não só na pele (o que é o normal), mas também no suco, motivo pelo qual é muito procurada e valorizada para “pintar” os vinhos brancos. Assim, em safras nas quais existe escassez de vinhos tintos, as bodegas, usando como base um vinho branco, colocam uma pequena porcentagem de tintorera e transformam um vinho branco em um vinho tinto.

Podemos dizer que, como a evolução os vinhos tintos sempre vai se acelerando, ou seja, o resultado da mudança química e física que acabamos de explicar se traduz agora em uma mudança constante da cor que está estreitamente ligada a uma mudança também sensorial, dos seus equilíbrios, texturas e em termos gerais dos seus aromas e sabores.

As cores que no começo foram violetas e intensas terminam logo após vários anos (ou até décadas) com um aspecto único, com tons claros, que definimos como “tijolo” ou “alaranjados”. Esta é uma etapa crítica, já que esta cor indica claramente que estamos frente a um vinho que já está evoluído. Mas agora o importante será ver se este vinho tinha ou não potencial para evoluir corretamente. Podemos dizer que todos os vinhos envelhecem, mas nem todos melhoram.

A mudança na cor dos vinhos

A mudança na cor dos vinhos

 

Vinhos chilenos El Principal, Memorias e Calicanto segundo Robert Parker

 

Veja todas as pontuações de Robert Parker para a vinícola chilena El Principal, incluindo dos vinhos Memorias e Calicanto.

 

Tipo  Safra  Nome do Vinho Pontos  Consumo
Vinho Tinto 2008 El Principal Calicanto 86 Old
Vinho Tinto 2009 El Principal Calicanto 90 Mature
Vinho Tinto 2010 El Principal Calicanto 90 Mature
Vinho Tinto 2012 El Principal Calicanto 89 Mature
Vinho Tinto 2006 El Principal El Principal Andetelmo 87 Late
Vinho Tinto 2008 El Principal El Principal Andetelmo 90 Sem info
Vinho Tinto 2007 El Principal El Principal Andetelmo 88 Late
Vinho Tinto 2007 El Principal Memorias Red Blend 92 Early
Vinho Tinto 2006 El Principal Memorias Red Blend 86 Old
Vinho Tinto 2010 El Principal Memorias Red Blend 90+ Mature
Vinho Tinto 2008 El Principal Memorias Red Blend 89 Mature
Vinho Tinto 2006 El Principal Red Blend 92+ Early
Vinho Tinto 2010 El Principal Red Blend 92 Early
Vinhos chilenos El Principal, Memorias e Calicanto segundo Robert Parker

Vinhos chilenos El Principal, Memorias e Calicanto segundo Robert Parker

Lançada taça que não derrama vinho

 

Uma empresa de design de São Francisco criou uma taça de vinho à prova de respingos e derramamento

Depois de quatro anos de pesquisas, a Superduperstudio, uma empresa de design de São Francisco, na Califórnia, anunciou ter criado uma taça de vinho à prova de respingos e derramamentos.

O projeto, chamado de Saturn, conta com uma extremidade curva acima de uma base menor em relação ao corpo do recipiente.

Em entrevista, um representante da empresa comentou a invenção: “Essas taças representam a nossa reinvenção da técnica italiana de produzir vidros, da qual nós nos apropriamos para prevenir manchas, respingos e derramamentos indesejados.

Quatro anos de pesquisas culminaram no Saturn, que é surpreendentemente leve e agradável de usar”. Segundo o representante, se a taça for derrubada ela cairá sobre a ampla borda curva e assim, não haverá respingos ou derramamentos.

O Saturn é moldado à mão antes de ser colocado em uma forma. Depois disso, é colocado em baixa temperatura para ser fortalecido. A taça, que tem capacidade para 175 ml, ainda não teve o preço revelado pelos fabricantes. Confira o vídeo para ver como ela funciona:

Lançada taça à prova de derramamento de vinho

Lançada taça à prova de derramamento de vinho

O que é um vinho “acético”? Que significa “acidez volátil”?

 

Já aconteceu que você não acha a palavra para explicar o vinho que está bebendo? Bom, esta lista vai ajudar!

Vinho Acético:

Diz-se de um vinho picado ou afetado pelas bactérias acéticas, que causam o envinagramento. Este defeito é próprio dos vinhos mal estagiados, em que a acidez volátil é excessiva.

Acetificação:

Oxidação do álcool etílico em ácido acético mais água, por ação de aceto-bactérias. Método de fabrico do vinagre.

 Aceto-bactérias:

Bactérias aeróbicas responsáveis pela acetificação do vinho.

Acetol:

Denominação aplicada ao vinagre no seu maior estado de pureza.

Acetona:

Odor químico, muito desagradável, que recorda o verniz das unhas. Pode ser produzido por uma aeração do vinho e não é necessariamente permanente. Provém da oxidação de álcoois secundários.

Acidez dos Vinhos:

Característica essencial dos vinhos, contribui decisivamente para o seu sabor, frescura, equilíbrio e capacidade de conservação.

Acidez fixa:

Diferença entre a acidez total e a acidez volátil.

Acidez volátil:

Componente presente no vinho que, em dose elevada, origina o aroma a vinagre. Em excesso é o resultado da falta de cuidados durante a vinificação. Nos vinhos velhos é habitual um toque mais acentuado de acidez volátil, aos quais se dá a designação de “vinagrinho”.

Continua

Sabe o que é um vinho “acético” Que significa “acidez volátil” ?

Sabe o que é um vinho “acético” Que significa “acidez volátil” ?