Posts

As pontuações de Robert Parker para TODAS AS SAFRAS do vinho chileno Almaviva

 

Desde a primeira safra (1996) do vinho ícone chileno Almaviva até a última safra 2011.

O vinho Almaviva não precisa muita apresentação…

Quem alguma vez teve a oportunidade de degustar esse vinho, sabe que estamos falando de uns dos grandes vinho da Amarica Latina e sem exagero, uns dos vinhos que pode ser comparado com os melhores do mundo, e também não é exagero dizer que e o vinho chileno mais desejado dos vinhos chilenos no Brasil.

Apresentamos uma relação com todas as safras que tem sido até hoje pontuadas pelo crítico mais influente do mundo, Robert Parker. Esta publicação inclui a pontuação do Almaviva 2011, lançado no marcado recentemente.

Neste ranking abaixo os vinhos estão ordenados por pontuações, desde a nota mais alta até a nota mais baixa:

 

 Robert Parker  –  e notas para o Vinho Chileno Almaviva

 

Safra
Ranking
Pontuação
2003
Vinho Almaviva
95
2005
Vinho Almaviva
94
2007
Vinho Almaviva
93+
2002
Vinho Almaviva
93
2004
Vinho Almaviva
93
2011
Vinho Almaviva
93
2010
Vinho Almaviva
92
2001
Vinho Almaviva
92
1996
Vinho Almaviva
92
2006
Vinho Almaviva
92
2009
Vinho Almaviva
91
1997
Vinho Almaviva
91
1999
Vinho Almaviva
90
2008
Vinho Almaviva
90

 

Robert Parker  e rankings dos vinhos chilenos Almaviva

Robert Parker e rankings dos vinhos chilenos Almaviva

Neste ranking abaixo os vinhos estão ordenados por safra, desde a última safra pontuada (2011) até a primeira safra  (1996)

 Robert Parker  –  e notas para Vinho Chileno Almaviva

Tipo de Vinho
Nome
Safra
Pontuação
Vinho Tinto
Almaviva
2011
93
Vinho Tinto
Almaviva
2010
92
Vinho Tinto
Almaviva
2009
91
Vinho Tinto
Almaviva
2008
90
Vinho Tinto
Almaviva
2007
93+
Vinho Tinto
Almaviva
2006
92
Vinho Tinto
Almaviva
2005
94
Vinho Tinto
Almaviva
2004
93
Vinho Tinto
Almaviva
2003
95
Vinho Tinto
Almaviva
2002
93
Vinho Tinto
Almaviva
2001
92
Vinho Tinto
Almaviva
1999
90
Vinho Tinto
Almaviva
1997
91
Vinho Tinto
Almaviva
1996
92

 

 

 

Os 50 Melhores Pinot Noir chilenos para Robert Parker


De todos os países da América do Sul, é o Chile aquele que tem a preferência de pontuações para Robert Parker quando se trata da uva Pinot Noir.

Claramente há uma preferência por vinhos do vale de San Antonio, mas também aparecem na lista dos 50 melhores Pinot Noir alguns exemplares provenientes do Vale de Casablanca, de Cachapoal Alto e alguns outros do Vale de Limari.

O que fica muito evidente, é que os melhores Pinot Noir provem de climas frios, estes são os preferidos não só por Robert Parker, mas também por todos nós que apreciamos essa uva, conhecida como a que produz os vinhos mais elegantes do mundo.

50 Melhores Pinot Noir chilenos na historia para Robert Parker

50 Melhores Pinot Noir chilenos na historia para Robert Parker



Então veja a continuação da lista com os:

50 Melhores Pinot Noir chilenos na historia para Robert Parker

 

Safra Nome do Vinho Pontuação
2010 Calyptra Pinot Noir Gran Reserva 94
2006 Casa Marin Pinot Noir Litoral Vineyard 93
2004 Casa Marin Pinot Noir Litoral Vineyard 93
2011 Clos des Fous Latuffa Pinot Noir 93
2012 Matetic Pinot Noir EQ 93
2013 Montescano Refugio Pinot Noir 93
2011 Ventolerala Claro de Luna Pinot Noir 93
2009 Casa Marin Pinot Noir Lo Abarca Hills 92
2006 Casa Marin Pinot Noir Lo Abarca Hills 92
2004 Casa Marin Pinot Noir Lo Abarca Hills 92
2012 Cono Sur Pinot Noir Ocio 92
2005 Cono Sur Pinot Noir Ocio 92
2011 Leyda Pinot Noir Lot 21 92
2010 Leyda Pinot Noir Lot 21 92
2012 Maycas Pinot Noir San Julian 92
2012 Montescano Pinot Noir 92
2012 Tara Red Wine 1 Pinot Noir 92
2011 Vina Tabali Pinot Noir Talinay 92
2009 Bravado Sofia Pinot Noir 91
2012 Clos des Fous Subsollum Pinot Noir 91
2011 Cono Sur Pinot Noir Ocio 91
2005 Cono Sur Pinot Noir 20 Barrels 91
2012 Cono Sur Pinot Noir 20 Barrels Limited Edition 91
2013 Errazuriz Pinot Noir Aconcagua Costa 91
2006 Garces Silva Amayna Pinot Noir 91
2007 Garces Silva Amayna Pinot Noir 91
2013 House Casa del Vino Despechado Pinot Noir 91
2012 Leyda Pinot Noir Lot 21 91
2007 Leyda Pinot Noir Lot 21 91
2010 Leyda Pinot Noir Cahuil Vineyard 91
2011 Leyda Pinot Noir Cahuil Vineyard 91
2011 Ventolerala Pinot Noir 91
2011 Vina Aquitania Soldesol Pinot Noir 91
2009 Vina Tabali Pinot Noir Talinay 91
2011 Volcanes de Chile Tectonia Pinot Noir 91
2012 Arboleda Pinot Noir Aconcagua Costa 90
2011 Arboleda Pinot Noir Aconcagua Costa 90
2010 Bravado Sofia Pinot Noir 90
2013 Casa Marin Cartagena Pinot Noir 90
2008 Casa Marin Pinot Noir Lo Abarca Hills 90
2005 Casa Marin Cartagena Pinot Noir Estate Grown 90
2007 Casa Marin Pinot Noir Lo Abarca Hills 90
2012 Casa Silva Cool Coast Pinot Noir 90
2012 Casas del Bosque Pinot Noir Pequenas Producciones 90
2008 Cono Sur Pinot Noir 20 Barrels Limited Edition 90
2006 Cono Sur Pinot Noir Ocio 90
2010 Cono Sur Pinot Noir Ocio 90
2008 Errazuriz Pinot Noir Wild Ferment 90
2005 Garces Silva Amayna Pinot Noir 90
2012 Garcia Schwaderer Sofia Pinot Noir 90

 

Espanhóis produzem Gik, o primeiro vinho azul do mundo

Gik e uma Bebida com inédita coloração e demorou dois anos para ficar pronta.

Sem tradição viticultora, seis jovens espanhóis inovam o mundo da enologia ao produzir o Gik, primeiro vinho de coloração azulada do mercado, feito com uvas brancas e tintas. O vinho demorou dois anos para ser desenvolvido, e os jovens tiveram ajuda de pesquisadores da Universidade do País Basco e do departamento de pesquisa alimentar do governo basco no desenvolvimento do rótulo.

Espanhóis produzem primeiro vinho azul do mundo

Espanhóis produzem primeiro vinho azul do mundo

O vinho base é criado a partir de uvas vermelhas e brancas e, logo em seguida, há a adição de antocianinas e pigmentos índigos (que dão a cor azul à bebida). Por fim, acrescentam-se adoçantes para suavizar o sabor do vinho. Seus fabricantes recomendam que o vinho seja servido frio, devido à sua doçura.

De acordo com o site oficial do Gik, a cor azul do vinho representa “movimento, inovação, mudança, fluidez e infinito”. A primeira remessa para venda será em lote promocional, com custo de 10 euros a garrafa, e o plano é produzir o Gik em diferentes vinícolas espanholas, de acordo com a demanda. O vinho tem 11,50% de teor alcoólico.

 

Fonte: Decanter/Adega

O consumo de vinho aumenta a qualidade do esperma

Estudos de cientistas poloneses constataram que homens que consomem vinho diariamente e de forma moderada tem esperma mais forte

O papel do estilo de vida a dotado pelas pessoas e sua influência na saúde reprodutiva humana é uma área de debate na literatura científica. Agora, um novo estudo publicado na última edição da Systems Biology in Reproductive Medicine promete suscitar ainda mais polêmica.

Uma equipe de pesquisadores do Nofer Institute of Occupational Medicine em Lodz, Polônia, descobriu que os homens que bebem vinho até três vezes por semana produziram um esperma mais forte do que os que não consumiam. Tal conclusão contradiz pesquisas recentes feitas no Reino Unido, que descobriram que determinadas escolhas de estilo de vida, como consumo de álcool e tabaco, não alteravam a saúde do esperma.

No estudo polonês, foi constatado que homens que consomem vinho diariamente e de forma moderada tem um esperma mais forte, com “caudas” mais poderosas. Ou seja, esses espermatozoides são potencialmente melhores nadadores, o que aumenta as chances de fertilização. Ainda de acordo com a pesquisa, ter mais momentos de lazer, consumir café fraco e usar cuecas samba-canção também melhoram o vigor reprodutivo do homem.

A pesquisa, contudo, mostrou que utilizar o telefone celular por mais de 10 anos pode prejudicar a saúde do esperma. “Os resultados sugerem que os fatores de estilo de vida podem, sim, afetar a qualidade do esperma”, afirmam os pesquisadores.

Consumo de vinho aumenta a qualidade do esperma

Consumo de vinho aumenta a qualidade do esperma

 

Conheça os vinos ganhadores do concurso Catador Santiago Wine Awards 2015

Já passaram 20 anos desde que o concurso Catador Santiago Wine Awards começou e nesta versão 2015, o concurso teve um juri composto principalmente por degustadores das mais remotas partes de mundo, os quais degustaram mais de 500 amostras.

Teve a honra de ter participado 5 vecez como juri desse concurso.

Entrega de medalhas do concurso Catador Santiago Wine Awards da passada versão 2014 (Imagem de arquivo)

Entrega de medalhas do concurso Catador Santiago Wine Awards da passada versão 2014 (Imagem de arquivo)

 

 Vinhos ganadores Gran Medalha de Oro Catador Santiago Wine Awards 2015

 

Single Vineyard Los Lingues 2013, Vinícola Siegel

Potro de Piedra Cabernet Sauvignon 2013, Vinícola Requingua

Santa Ema Rivalta 2012, Vinícola Santa Ema

Casa Real Syrah 2012, Vinícola Santa Rita

Memorias 2012, Vinícola El Principal

El Principal Blend 2011, Vinícola El Principal

Casa Millamán Red Blend 2012, Vinícola Millamán

Caballo Loco Gran Cru Apalta 2013, V Vinícola Valdivieso

Caballo Loco Gran Cru Limarí 2013, Vinícola Valdivieso

Pisco Chañaral de Carén

 

 

Veja os resultados do Catador Santiago Wine Awards 2014

 

Robert Parker e os 50 melhores Carménère´s do Chile

 

Robert Parker e os 50 melhores Carménère´s chilenos da história

Desde que a Carménère foi redescoberta no Chile já passaram mais de 20 anos. O que parecia ser mais uma variedade de uva se transformou nesse período na uva emblemática desse país, a tal ponto, que até hoje para o maior e mais conceituado crítico de vinhos do mundo (Robert Parker), as máximas pontuações para vinhos chilenos são para vinhos elaborados a base dessa uva.

Na lista abaixo estão só os vinhos que no próprio site de Robert Parker(http://www.erobertparker.com/members/home.aspx ) estão catalogados como Carménère´s, mas vale destacar que além dos dois vinhos que compartem o primeiro lugar no topo da lista com nada menos que 97 pontos, tem outro chileno, o Von Siebenthal Tatay 2007 que também é elaborado a base de Carménère e que obteve a mesma pontuação, só que no site de Robert Parker esta catalogado como um blend, de fato, os Terrunyo´s da Concha y Toro também são blend´s. A diferencia é que o Tatay é um blend de três uvas, e os Concha y Toro Terrunyos só de duas, então imagino que no site de Robert Parker podem ter usado a quantidade de uvas que formam o blend para dividir as categorias.

Enfim, veja a lista, anote e se achar um desses vinhos por ai, provavelmente compartilhará a opinião (e tal vez até a pontuação), entregada por RP.

Robert Parker

Robert Parker

Robert Parker e os 50 melhores Carménère´s chilenos da história

          Safra                                                      Vinho                                                                   Pontuação

2003 Concha y Toro Carmin de Peumo Carmenere Peumo Vineyard 97
2005 Concha y Toro Carmin de Peumo Carmenere Peumo Vineyard 97
2007 Concha y Toro Carmin de Peumo Carmenere Peumo Vineyard 96
2008 Concha y Toro Carmin de Peumo Carmenere Peumo Vineyard 95
2004 Terrunyo Carmenere Peumo Vineyard 95
2006 Terrunyo Carmenere Peumo Vineyard 94
2008 Antiyal Carmenere Alto del Maipo Valley 93
2005 Casa Silva Carmenere Micro Terroir 93
2008 Casa Silva Carmenere Micro Terroir 93
2007 Terrunyo Carmenere Peumo Vineyard 93
2008 Terrunyo Carmenere Peumo Vineyard 93
2005 Terrunyo Carmenere Peumo Vineyard 93
2005 Arboleda Carmenere 92
2005 J & F Lurton Alka 92
2005 Santa Rita Carmenere Pehuen 92
2008 Terra Noble Carmenere Ca2 Costa 92
2011 Terrunyo Carmenere Peumo Vineyard 92
2007 Viu Manent Carmenere El Incidente 92+
2011 Antiyal Carmenere Vinedo Escorial 91
2005 Casa Silva Carmenere Los Lingues Estate 91
2009 Concha y Toro Carmenere Marques de Casa Concha 91
2007 Concha y Toro Carmenere Marques de Casa Concha 91
2009 De Martino Carmenere Alto de Piedra 91
2011 De Martino Carmenere Alto de Piedra 91
2007 De Martino Carmenere Alto de Piedra 91
2006 Errazuriz Carmenere Don Maximiliano Estate 91
2007 J & F Lurton Alka 91
2007 La Playa Axel Carmenere 91
2008 Montes Alpha Carmenere 91
2007 Montes Alpha Carmenere 91
2009 Montes Alpha Carmenere 91
2008 Santa Rita Carmenere Pehuen 91
2008 Terra Noble Carmenere Ca1 Andes 91
2009 Terra Noble Carmenere Ca2 Costa 91
2007 Undurraga Carmenere Founder’s Collection 91
2007 Vina Morande Carmenere Edicion Limitada 91
2008 Vina Ventisquero Queulat Gran Reserva 91
2010 Antiyal Carmenere Viñedo Escorial 90
2003 Apaltagua Grial Carmenere 90
2012 Apaltagua Carmenere Envero 90
2007 Caliterra Carmenere Tributo 90
2009 Caliterra Tributo Carmenere Single Vineyard 90
2009 Casa Silva Carmenere Reserva 90
2013 Casa Silva The Carmenere Project 90
2005 Casa Silva Carmenere Reserva 90
2011 Casa Tamaya T Carmenere 90
2009 Casa Tamaya Carmenere 90
2009 Casas del Bosque Carmenere Reserva 90
2007 Chono Carmenere Reserva 90
2009 Clos Ouvert Carmenere 90

 

Produtor do Languedoc quer resgatar variedades tradicionais esquecidas

 

Frantz Venes vai tentar reviver 10 variedades tradicionais da região

Frantz Venes, produtor de vinho da região francesa de Languedoc, quer utilizar financiamento coletivo (crowdfunding) para resgatar 10 variedades de uvas tradicionais da região, mas que têm caído no esquecimento. Entre as espécies que serão plantadas estão Grande Noir, Calmette e Picpoul Noir, que devem ser cultivadas em uma área de 8 hectares.

Venes é responsável pela produção do vinho Domus Maximus, eleito o melhor tinto francês no International Wine Challenge, em 2005.

Nesta ação, Venes espera atrair 100 colaboradores, que investirão 1.425 euros cada para salvar estas variedades. Os dividendos serão pagos em vinho.

“Eu já provei e selecionei as uvas que serão plantadas. Mas não sei que tipo de vinho elas irão produzir”, afirmou.

Este não é o primeiro projeto de financiamento coletivo no Languedoc. Em 2011, Ludovic Aventine foi o primeiro produtor a lançar uma vinícola a partir desse sistema.

Vinhedos do Langedoc

Vinhedos do Langedoc

 

Lista completa das medalha GRANDE OURO Concurso Mundial de Bruxelas – Edição Brasil 2015

 

 A lista de vinhos ganhadores do Concurso Mundial de Bruxelas que aconteceu o último fim de semana em São Paulo foi revelado,  e há muitas surpresas.

O júri esteve composto pelos líderes de opinião da cena local, a maioria de eles jornalistas especializados em vinhos e gastronomia.

O concurso contou com a participação de 419 rótulos, sendo 215 de vinhos e 204 de destilados. Desse total, 100 rótulos foram premiados com as medalhas “Gran Ouro”, “Ouro” e “Prata”, sendo 49 vinhos e 51 destilados.

Veja na lista abaixo quais são os vinhos que tiveram medalha de Grande Ouro, que é a categoria mais importante do concurso.

Concurso Mundial de Bruxelas – Edição Brasil 2015

Concurso Mundial de Bruxelas – Edição Brasil 2015

 

Lista de vinhos com medalha GRANDE OURO

 

Boscato Indústria Vinícola Anima Vitis 2005.Rio Grande do Sul

 

Peterlongo Espumante Branco Brut  Elegance. Rio Grande do Sul

 

Reserva Cabernet Sauvignon Panceri 2005. Santa Catarina

 

Casa Venturini Vinho Tinto Seco Tannat Reserva 2012. Rio Grande do Sul

 

Casa Perini Brut Rose. Rio Grande do Sul

 

Vinicola Santa Augusta Imortali. Santa Catarina

 

 

Espírito Santo recebe primeiro encontro de ‘food trucks’

 

Evento começa nesta quinta-feira (11) e termina no domingo (14), na Serra. Confira na reportagem o cardápio com preços a partir de R$ 7.

Os ‘food trucks’ (caminhões de comida, em inglês), que já são vistos pelas ruas da Grande Vitoria vendendo comidas diversas, vão ter um ponto de encontro do dia 11 ao dia 14 de junho. O Espírito Santo vai receber o 1º Encontro de Food Trucks, com 13 opções diferentes de comidas e até de bebidas, não só do estado mas também do Rio de Janeiro e Minas Gerais.

No cardápio, comida japonesa, canadense, italiana, inglesa e de rua, resultando numa grande variedade de opções, oferecidas num só local. E não fica só nas guloseimas e pratos quentes. Amantes de vinho e de cerveja artesanal também poderão fazer suas escolhas em trucks especializados nessas bebidas.

Os veículos estarão estacionados num lounge, montado no pátio do Shopping Mestre Álvaro, na Serra, transformando o local numa parada obrigatória para quem quer degustar uma comida descolada. Os preços são a partir de R$ 7.

1º Encontro de Food Trucks do Espírito Santo

1º Encontro de Food Trucks do Espírito Santo

Negócios

Segundo dados do Sebrae, 2% dos trabalhadores brasileiros investem em comida de rua. É um negócio com alta mobilidade e grandes possibilidades de retorno.

No estado, os ‘food trucks’ ganham cada vez mais espaço: vans, kombis, trailers ou carrinhos de comida que saíram das garagens para se tornarem cozinhas sobre rodas, com boa comida a preços em conta.

Já são cerca de 10 carros em Vitória no modelo ‘food truck’, dos mais variados segmentos alimentícios: sanduíches, docinhos, churrasco, frango, comida internacional e mais 5 devem ficar prontos até o final do ano, segundo a Associação de Food Trucks do Espírito Santo.

As oportunidades estão crescendo. Atualmente, além de vender na rua, eles são chamados para eventos, casamentos, aniversários e tiveram recentemente em Santa Teresa e em Castelo, participando de eventos nas cidades.

Em Vitória, uma lei que regulamenta a atividade foi sancionada em maio. A lei 8.809/15 diz, entre outras regras, que os veículos poderão ter o comprimento máximo de 6,30m e largura máxima de 2,20m.

Outros municípios também começaram a se organizar. Vila Velha já protocolou uma lei e está em processo de votação. A Serra tem projeto, mas ainda não foi protocolado.

 Serviço 1º Encontro de Food Trucks do Espírito Santo

Quando: de 11 a 14 de junho

Quinta e sexta, das 16h às 22h
Sábado e domingo, das 11h às 21h
Onde: Pátio do Shopping Mestre Álvaro
Entrada gratuita. Menu a partir de R$ 7
Informações: (27) 3211-0770

Restaurante DOM, de Alex Atala, cai 2 posições e é 9º em ranking mundial

 

Maní, também de São Paulo, aparece no 41ª lugar – queda de 5 posições.

El Celler de Can Roca é o vencedor do ‘World´s 50 Best Restaurants’.

O restaurante DOM, de Alex Atala, foi eleito 9º melhor restaurante do mundo no prêmio anual “World´s 50 Best Restaurants”. No ano passado, o estabelecimento paulistano havia ficado em 7º lugar.

'World´s 50 Best Restaurants' 2015

‘World´s 50 Best Restaurants’ 2015

O vencedor é El Celler de Can Roca, em Girona, perto de Barcelona. O restaurante dos irmãos Roca, onde Joan comanda a cozinha, Jordi é o confeiteiro e Josep o chef-sommelier, recuperou o título que havia obtido em 2013.

Com 7 restaurantes entre os 50 da lista, a Espanha é o país com mais estabelecimentos citados. O dinamarquês Noma, que ganhou em 2014, aparece em 3º.

Outro restaurante brasileiro que aparece entre os 50 melhores é o Maní, também de São Paulo, que está na 41ª posição. Dos latino-americanos, o mais bem classificado é o Central, de Lima.

 ‘Termômetro gastronômico’

A lista “50 Best”, “termômetro anual do gosto gastronômico”, como definem seus organizadores, ganhou notoriedade e influência crescentes desde seu lançamento, em 2002, inicialmente dentro da revista “Restaurant”.

Mas o ranking também angariou inimigos, especialmente na França, país que nunca foi agraciado com o prêmio de melhor restaurante, como noticia a agência AFP.

Uma petição lançada na internet para pedir aos “parceiros públicos e privados do ranking que parem de financiar e apoiar esta lista opaca” reuniu mais de 360 assinaturas nesta segunda-feira, incluindo o famoso chef francês Joël Robuchon e o italiano Giancarlo Perbellini.

'World´s 50 Best Restaurants' 2015- Alex Atala do Restaurante DOM

‘World´s 50 Best Restaurants’ 2015- Alex Atala do Restaurante DOM

 

 Veja abaixo os 10 primeiros classificados do ranking:

1- El Celler de Can Roca (Girona, Espanha)
2- Osteria Francescana (Modena, Itália)
3- Noma (Copenhague, Dinamarca)
4- Central (Lima, Peru)
5- Eleven Madison Park (Nova York, EUA)
6- Mugaritz (San Sebastián, Espanha)
7- Dinner by Heston Blumenthal (Londres, Reino Unido)
8- Narisawa (Tóquio, Japão)
9- D.O.M. (São Paulo, Brasil)
10- Gaggan (Bangcoc, Tailândia)

 

RANKING COMPLETO