Posts

Restaurante DOM, de Alex Atala, cai 2 posições e é 9º em ranking mundial

 

Maní, também de São Paulo, aparece no 41ª lugar – queda de 5 posições.

El Celler de Can Roca é o vencedor do ‘World´s 50 Best Restaurants’.

O restaurante DOM, de Alex Atala, foi eleito 9º melhor restaurante do mundo no prêmio anual “World´s 50 Best Restaurants”. No ano passado, o estabelecimento paulistano havia ficado em 7º lugar.

'World´s 50 Best Restaurants' 2015

‘World´s 50 Best Restaurants’ 2015

O vencedor é El Celler de Can Roca, em Girona, perto de Barcelona. O restaurante dos irmãos Roca, onde Joan comanda a cozinha, Jordi é o confeiteiro e Josep o chef-sommelier, recuperou o título que havia obtido em 2013.

Com 7 restaurantes entre os 50 da lista, a Espanha é o país com mais estabelecimentos citados. O dinamarquês Noma, que ganhou em 2014, aparece em 3º.

Outro restaurante brasileiro que aparece entre os 50 melhores é o Maní, também de São Paulo, que está na 41ª posição. Dos latino-americanos, o mais bem classificado é o Central, de Lima.

 ‘Termômetro gastronômico’

A lista “50 Best”, “termômetro anual do gosto gastronômico”, como definem seus organizadores, ganhou notoriedade e influência crescentes desde seu lançamento, em 2002, inicialmente dentro da revista “Restaurant”.

Mas o ranking também angariou inimigos, especialmente na França, país que nunca foi agraciado com o prêmio de melhor restaurante, como noticia a agência AFP.

Uma petição lançada na internet para pedir aos “parceiros públicos e privados do ranking que parem de financiar e apoiar esta lista opaca” reuniu mais de 360 assinaturas nesta segunda-feira, incluindo o famoso chef francês Joël Robuchon e o italiano Giancarlo Perbellini.

'World´s 50 Best Restaurants' 2015- Alex Atala do Restaurante DOM

‘World´s 50 Best Restaurants’ 2015- Alex Atala do Restaurante DOM

 

 Veja abaixo os 10 primeiros classificados do ranking:

1- El Celler de Can Roca (Girona, Espanha)
2- Osteria Francescana (Modena, Itália)
3- Noma (Copenhague, Dinamarca)
4- Central (Lima, Peru)
5- Eleven Madison Park (Nova York, EUA)
6- Mugaritz (San Sebastián, Espanha)
7- Dinner by Heston Blumenthal (Londres, Reino Unido)
8- Narisawa (Tóquio, Japão)
9- D.O.M. (São Paulo, Brasil)
10- Gaggan (Bangcoc, Tailândia)

 

RANKING COMPLETO

“Cake Boss” estreia na Record em agosto

 

Dono de alguns dos reality shows mais vistos na TV paga, nos canais Discovery, o chef e “boleiro” Buddy Valastro, conhecido como Cake Boss, estreia seu programa na Record em agosto.

“The Cake Show”, nome do programa, vai integrar a nova linha de shows diária na Record, que irá ao ar todos os dias por volta das 22h30.

Ainda não está fechado em qual dia da semana o “The Cake Show” deve ficar (terças e quintas ainda estão vagas).

Na Record, o programa vai ser em português. De origem italiana, morador de New Jersey, EUA, Valastro já está tendo aulas.

A partir de agosto, as segundas-feiras da Record terão a recém-contratada Xuxa; às quartas continua o programa de Gugu, que vem registrando ótimo ibope. As sextas devem ficar para Sabrina Sato.

Há dúvidas se Marcos Mion será remanejado também para os dias úteis ou se o seu “Legendários” continua aos sábados, antecipado também para 22h30.

No ano passado, Buddy Valastro esteve no Brasil em evento promovido pelo Grupo Discovery e causou um verdadeiro nó no trânsito da cidade, em pleno domingo.

Cake Boss estreia na Record em agosto

Cake Boss estreia na Record em agosto

Uma imperdível receita de Alex Atala

 

Assista este breve e interessante vídeo do chef brasileiro Alex Atala, com esta deliciosa receita.

Ele nos mostra passo a passo e conta todos os seus secretos. Você vai sem dúvida surpreender seus convidados na ceia de ano novo.

Chef Alex Atala

Chef Alex Atala

Fonte: Youtube

 

Bruxelas liberaliza plantio de vinha para aumentar produção

 
Cinco anos depois de ter patrocinado o arranque de vinha para combater excedentes de produção, a Comissão Europeia apresentou hoje um plano para aumentar a produção vinícola e que acaba com o regime de direitos de plantação.

O novo regime de autorizações para plantações de vinhas, que vigorará a partir de 01 de janeiro de 2016 e até 2020, prevê o crescimento de 1% anual da superfície vinícola de modo a responder à procura no mercado e a enfrentar a concorrência do chamado Novo Mundo, com o Chile e a Austrália à cabeça.

“Os Estados-membros devem conceder anualmente autorizações de novas plantações correspondentes a 1% da superfície total efetivamente plantada com vinhas nos respetivos territórios, embora possam fixar limites inferiores, o que deve ser solidamente fundamentado”, prevê o texto, hoje publicado no Jornal Oficial da União Europeia (UE).

“O declínio da produção foi superior, quase o dobro do que se pagou para o arranque”, disse à Lusa fonte comunitária, comentando os prémios dados pela Comissão Europeia entre 2008 e 2010 para promover o arranque da vinha na UE, nomeadamente de vinhos sem designação.

Este declínio levou agora Bruxelas a investir no aumento da produção, esperando resultados especialmente “no vinho de qualidade”, salientou a mesma fonte.

O novo regime prevê restrições às autorizações “desde que a decisão se justifique pela necessidade de evitar um risco comprovado de desvalorização significativa de determinada denominação de origem protegida (DOP) ou indicação geográfica protegida (IGP)”, como por exemplo o vinho do Porto ou o champanhe.

“O regime de autorizações permite que se continue a controlar a expansão — nomeadamente para DOP e IGP — mas os limites têm que ser bem definidos e explicados”, disse fonte comunitária.

O novo regime aplica-se a novas plantações, a replantações e à conversão de direitos de plantação e, no primeiro caso, as autorizações são concedidas anualmente e, ao contrário dos direitos, não podem ser transacionadas entre produtores.

Os direitos de plantação que continuem válidos em 2016 e 2017 serão automaticamente transformados em autorizações.

Em termos de mercado, e segundo dados de Bruxelas, os maiores aumentos de consumo de vinho verificam-se fora do espaço europeu, principalmente nos EUA, a partir de 2009, e na China, desde 2012, sendo que a UE exporta 15% da sua produção para países terceiros.

Bruxelas liberaliza plantio de vinha para aumentar produção

Bruxelas liberaliza plantio de vinha para aumentar produção

 

Guia de Vinhos Descorchados 2015 Chile com todas as categorias de uvas

 

Guia de vinhos Descorchados 2015 – Chile. Muitas surpresas na lista dos ganhadores.

A cena chilena tem mudado consideravelmente nos últimos anos, juntamente com os estilos dos vinhos, uvas e regiões.

É exatamente isso o que nos mostra este guia de vinhos do jornalista chileno Patricio Tapia, que nesta versão de número 16, vem com quase 500 páginas totalizando mais de três mil vinhos degustados.

Destaque especial para os fantásticos vinhos que estão sendo elaborados nas encostas da cordilheira dos Andes e em regiões extremas ao sul e norte do país, e não deixar de comentar das uvas que até momento eram desconhecidas, tais como Cinsault, Carignan e a Pais, elas que ainda vão ser muito faladas nos próximos anos.

Resultados da Guia de Vinhos Descorchados 2015

Resultados da Guia de Vinhos Descorchados 2015

 

Guia de vinhos Descorchados 2015 – Chile – Relação de vinhos ganhadores:

 

Melhor Vinho Tinto de Chile

 

97 pontos.
Cousiño Macul. Lota cabernet 2009, Maipo

 

Melhor Vinho Branco de Chile

 

96 pontos.
De Martino. Viejas Tinajas Muscat 2013, Itata

 

Vinho Branco revelação do ano

 

92 pontos. Sierras de Bellavista.  Riesling 2013, Colchagua

 

Vinho Tinto revelação do ano

 

93 pontos.
Tabalí. Roca Madre Malbec 2014, Limarí
94 pontos.
Santa Carolina. Specialties Tinto de Montaña Malbec 2013, Curicó
93 pontos. Concha y Toro.
Marqués de Casa Concha País Cinsault 2014, Cauquenes
93 pontos s. J.A. Jofré.
Vinos Fríos del Año Carignan Tempranillo Carménère 2014, Molina

 

Marca revelação do ano

 

Sol de Sol, Aquitania

 

Bodega revelação do ano

 

House Casa del Vino e El Viejo Almacén de Sauzal

 

Melhor Vinho cabernet franc de Chile 

 

96 puntos.
Maquis. Franco 2011, Colchagua

 

Melhor Vinho cabernet sauvignon de Chile

 

96 pontos.
Cono Sur. Silencio 2010, Alto Maipo
96 pontos.
Santa Rita. Casa Real Reserva Especial 2011, Alto Maipo

 

Melhor Vinho carginan de Chile

 

95 pontos.
Bodegas RE. Re Nace Cariñena 2013, Maule

 

Melhor Vinho carménère de Chile

 

95 pontos.
Concha y Toro. Terrunyo Lot 1 2013, Peumo

 

Melhor Vinho chardonnay de Chile 

 

96 pontos.
Aquitania. Sol de Sol 2011, Traiguén

 

Melhor Vinho cinsault de Chile 

 

94 pontos.
De Martino. Viejas Tinajas 2014, Itata

 

Melhor Vinho espumante de Chile

 

94 pontos.
Bodegas RE. Re Noir Nature Virgen Pinot Noir, Casablanca
94 pontos.
Morandé. Nature Chardonnay Pinot Noir, Casablanca

 

Melhor Vinho malbec de Chile

 

93 pontos.
House Casa del Vino. Malmau 2013, Maule
93 pontos.
Viu Manent. Viu 1 2011, Colchagua

 

Melhor Vinho merlot de Chile

 

93 pontos.
Tres Palacios. Cholqui 2011, Maipo

 

Melhor Vinho mezcla blanca de Chile

 

93 pontos.
Apaltagua. Colección Blanc Marsanne, Roussanne e Viognier 2014, Leyda
93 pontos.
Ramirana. Gran Reserva Sauvignon Blanc e Gewürztraminer 2014, Lolol
93 pontos.
William Févre. Quino Blanc Sauvignon Blanc e Riesling 2012,  Malleco

 

Melhor Vinho mezcla tinta de Chile

 

97 pontos.
Cousiño Macul. Lota cabernet 2009, Maipo

 

Melhor Vinho moscatel de Chile

 

96 pontos.
De Martino. Viejas Tinajas Muscat 2013, Itata

 

Melhor Vinho otras cepas blancas de Chile

 

94 pontos.
Casa Marín. Casona Vineyard, gewürztraminer 2014, Lo Abarca

 

Melhor Vinho outras cepas tintas de Chile

 

93 pontos.
Lapostolle. Collection Monastrell 2013, Apalta
93 pontos.
Pérez Cruz. Chaski Petit Verdot 2012, Alto Maipo

 

Melhor Vinho uva País de Chile:

 

93 pontos.
Concha y Toro. Marqués de Casa Concha Limited Edition 2014, Secano interior

 

Melhor Vinho pinot noir de Chile

 

93 pontos.
Maycas de Limarí. San Julián 2013, Limarí
93 pontos.
Montsecano. Montsecano 2013, Casablanca
93 pontos.
Tabalí. Talinay 2013, Limarí

 

Melhor Vinho riesling de Chile 

 

94 pontos.
Sierras de Bellavista. Sierras de Bellavista 2014, Colchagua Andes

 

Melhor Vinho rosado de Chile

 

92 pontos.
Bodegas RE. Pinotel Pinot Noir Moscatel 2014, Casablanca

 

Melhor Vinho sauvignon blanc de Chile

 

96 pontos.
Laberinto. Cenizas de Laberinto 2014, Maule
96 pontos.
Leyda. Lot 4 2014, Leyda

 

Melhor Vinho syrah de Chile

 

95 pontos.
Errázuriz. Aconcagua Costa 2013, Aconcagua Costa
95 pontos.
Leyda. Lot 8 2012, Leyda
95 pontos.
Undurraga. TH 2012, Limarí

 

Súper preço extremo Vinho branco de Chile

 

89 pontos.
Cono Sur. Bicicleta Gewürztraminer 2014, Colchagua

 

Súper precio extremo Vinho tinto de Chile

 

89 pontos.
Santa Rita. 120 Reserva esepcial, cabernet sauvignon 2013, Maipo

 

Súper precio Vinho blanco de Chile

 

94 pontos.
Leyda. Garuma Vineyard Sauvignon Blanc 2014, Leyda

 

Súper precio Vinho tinto de Chile

 

92 pontos.
Cacique Maravilla. Pipeño país 2014, Biobío
92 pontos.
Maycas de Limarí. Sumaq Pinot Noir 2013, Limarí

 

Robert Parker e os Malbec argentinos com as maiores pontuações na historia

 

Robert Parker pontuou dois Malbec´s argentinos com 99 pontos

Desde que Robert Parker avalia os vinhos argentinos, até o dia de hoje ele pontuou com 96 a 99 o mais pontos a 37 vinhos elaborados com a uva Malbec, a mesma que que tem colocado esse país no topo da moda ao redor do mundo.

Se você tem na sua adega alguns dos vinhos da lista, (tal até sem saber), já sabe como pode começar o ano 2015 de uma forma excepcional.

 

Rating Maturity
2009
Achaval Ferrer Finca Altamira la Consulta
99
2006
Vina Cobos Malbec Marchiori Vineyard
99
2009
Achaval Ferrer Malbec Finca Bella Vista
98
2008
Achaval Ferrer Malbec Finca Bella Vista
98
2008
Achaval Ferrer Temporis
98
2009
Achaval Ferrer Temporis
98
2004
Achaval Ferrer Malbec Finca Altamira
98
2004
Bodegas Catena Zapata Malbec Catena Zapata Argentino Vineyard
98+
2005
Vina Cobos Malbec Marchiori Vineyard
98
2004
Vina Cobos Malbec Marchiori Vineyard
98
2009
Bodegas Catena Zapata Malbec Catena Zapata Adrianna Vineyard
97
2004
Bodegas Catena Zapata Malbec Catena Zapata Adrianna Vineyard
97
2005
Bodegas Catena Zapata Malbec Catena Zapata Adrianna Vineyard
97
2008
Bodegas Catena Zapata Malbec Catena Zapata Adrianna Vineyard
97
2005
Bodegas Catena Zapata Malbec Catena Zapata Argentino Vineyard
97+
2008
Bodegas Catena Zapata Malbec Catena Zapata Argentino Vineyard
97
2007
Bodegas Catena Zapata Malbec Catena Zapata Argentino Vineyard
97
2003
Vina Cobos Malbec Marchiori Vineyard
97
2007
Achaval Ferrer Temporis
96
2007
Achaval Ferrer Malbec Finca Bella Vista
96
2008
Achaval Ferrer Malbec Finca Mirador
96
2004
Achaval Ferrer Malbec Finca Mirador
96
2009
Achaval Ferrer Malbec Finca Mirador
96
2004
Bodega Enrique Foster Firmado
96
2011
Bodega Noemia de Patagonia Malbec
96
2010
Bodegas Catena Zapata Malbec Catena Zapata Adrianna Vineyard
96
2004
Bodegas Catena Zapata Malbec Catena Zapata Nicasia Vineyard
96
2007
Bodegas Catena Zapata Malbec Catena Zapata Adrianna Vineyard
96
2005
Bodegas Catena Zapata Malbec Catena Zapata Nicasia Vineyard
96
2006
Bodegas Catena Zapata Malbec Catena Zapata Argentino Vineyard
96
2008
Bodegas Trapiche Malbec Single Vineyard Vina Jorge Miralles
96
2012
Familia Zuccardi Finca Piedra Infinita
96
2006
Vina Alicia Brote Negro
96
2009
Vina Cobos Malbec Marchiori Vineyard
96
2005
Vina Cobos Bramare Marchiori Vineyard
96
2006
Vina Cobos Bramare Marchiori Vineyard
(96-99)
2002
Vina Cobos Malbec Marchiori Vineyard
96
Robert Parker e as maiore pontuaçôes dos vihos argentinos na historia

Robert Parker e as maiore pontuaçôes dos vihos argentinos na historia

Fim de uma era: Parker passa Bordeaux para Martin

 

Crítico de vinho norte americano, Robert Parker anunciou que não irá mais ser responsável pela degustação dos Bordeaux en primeurs no The Wine Advocate.

Em uma conferência de imprensa em Londres, o veterano Robert Parker passou a responsabilidade da en primeur para o membro do seu time, Neal Martin, que ele descreveu como natural e quem ele já insinuou que poderia sucedê-lo em uma entrevista na Live-ex em 2012.

Na página principal de Robert Parker ele escreveu: “Como apenas parte da cobertura prevista para este ano, Neal irá avaliar os lançamentos en primeur de Bordeaux de 2014”. Enquanto isso eu planejo avaliar as recém – engarrafadas vinhos de colheitas de 2012 e produzir uma retrospectiva a fundo na incrível colheita de Bordeaux de 2012.

Apesar de descrever como inevitável, tendo acompanhado quase todas as campanhas de en primeur desde 1978, ele ressaltou no Twitter que ele iria “sentir saudades do desafio de desvendar uma nova colheita”.

Como indicado na sua declaração, esse ato não sinaliza o final da carreira de Parker ou seu envolvimento com Bordeaux. Ele vai continuar a reexperimentar e avaliar colheitas na garrafa e o mercado, está aguardando ansiosamente sua avaliação da colheita de 2005, ele mesmo admitiu que a avaliação é muito baixa para um ano tão bom.

Enfim, seu afastamento de Bordeaux irá definir uma nova geração de críticos, particularmente seu sucessor.

Robert Parker END OF AN ERA

Robert Parker END OF AN ERA