Posts

Resultados Concurso Mundial de Bruxelas, edição Brasil, 2017

A cidade de Bento Gonçalves (RS) sediou entre os dias 4 e 7 de abril de 2017, a 15ª edição brasileira do CONCOURS MONDIAL DE BRUXELLES; o mais importante concurso de vinhos e destilados do mundo. A competição avaliou apenas amostras brasileiras, com o objetivo de revelar os melhores rótulos e projetá-los no mercado internacional. Alex Ordenes, editor de Winechef formou parte do jurado.

 

Veja os resultados da categoria “Vinhos”.

 

VINHOS QUE RECEBERAM MEDALHAS DE GRANDE OURO:

 

Aracuri Merlot Aliprandini e Meyer 2012

Aurora Reserva Merlot Vinícola Aurora 2016

Garibaldi Moscatel Espumante Cooperativa Vinícola Garibaldi

Milantino Gran Vino Milantino 2008

Miolo Millésime Brut Miolo Wine Group 2012

Moscatel Espumante Vinícola Panceri 2016

Quinta da Orada Corte Casa Marques Pereira 2012

Panceri Brut Sauvignon Blanc Vinícola Panceri 2016

Peruzzo Merlot 2012 Vinícola Peruzzo 2012

Raízes Sauvignon Blanc Casa Valduga 2014

Rio Sol Brut Branco Premium VitiVinícola Santa Maria

Salton Desejo Merlot Vinhos Salton 2011

San Michele Barone Vinícola San Michele 2015

San Michele Tridentum Vinícola San Michele 2014

Settimana in Cantina Merlot Vinícola Zanella 2013

Sfera Merlot Vinícola Arbugeri 2011

Torii Cabernet Sauvignon Vinícola Hiragami 2013

Victoria Geisse Extra Brut Vintage Gran Reserva Vinícola Geisse

Villa Europa Merlot VE Spa do Vinho/Harvest 2005

Wine Club Franco Italiano (corte) Vinícola Franco Italiano 2014

 

Resultados Concurso Mundial de Bruxelas, edição Brasil, 2017

Resultados Concurso Mundial de Bruxelas, edição Brasil, 2017

VINHOS QUE RECEBERAM MEDALHAS DE OURO:

 

Casa Pedrucci Brut Rosé Vinícola Pedrucci 2015

Casa Pedrucci Reserva Brut Vinícola Pedrucci 2014

Casa Venturini Chardonnay Reserva Casa Venturini 2016

Don Guerino Sinais Moscato Giallo Vinícola Don Guerino 2016

Don Guerino Sinais Riesling Vinícola Don Guerino 2016

Habitat Alta Gama Don Bonifácio Lote 2

Identidade Marselan Casa Valduga 2013

Imortali Vinícola Santa Augusta 2012

Rio Sol Brut Branco VitiVinícola Santa Maria

Rio Sol Gran Reserva Touriga Nacional Vitivinícola Santa Maria 2014

Rio Sol Premium VitiVinícola Santa Maria 2013

Salton Paradoxo Brut Vinhos Salton

San Michele Riserva Vinícola San Michele 2013

San Michele Maso Alto Vinícola San Michele 2014

Torii Merlot Vinícola Hiragami 2013

Villa Europa Merlot VE Spa do Vinho/Harvest 2008

Villa Europa Merlot VE Spa do Vinho/Harvest 2011

Villa Europa Merlot VE Spa do Vinho/Harvest 2012

Zanella Brut Vinícola Zanella

Zanella Merlot Vinícola Zanella 2012

 

Concurs Mondial de Bruxelles 2017 - 15º Edição Brasil

Concurs Mondial de Bruxelles 2017 – 15º Edição Brasil

 

VINHOS QUE RECEBERAM MEDALHAS DE PRATA:

 

Aracuri Pinot Noir Aliprandini e Meyer 2016

Brandina Assemblage Marco Antonio Carbonari 2013

Casa Pedrucci Reserva Nature Vinícola Pedrucci 2014

Cave Amadeu Rosé Brut Vinícola Geisse

Milantino Reserva Cabernet Sauvignon Milantino 2012

Quinta Don Bonifácio Brut Rosé Don Bonifácio

Rio Sol Syrah VitiVinícola Santa Maria 2015

Rio Sol Gran Reserva Alicante Bouschet VitiVinícola Santa Maria 2014

RioBravo Brut Vinícola Mioranza 2016

Salton Classic Malbec Vinhos Salton 2015

San Michele Brut 18 Meses Vinícola San Michele 2015

Torii Cabernet Sauvignon Vinícola Hiragami 2008

 

Vinícolas para visitar em Mendoza

No sopé da Cordilheira dos Andes, Mendoza talvez seja o destino vitivinícola mais prático e acessível para os brasileiros no exterior. A viagem não é longa, as opções de visitas são enormes, a comunicação é fácil e o câmbio favorável (na maioria das vezes). Atualmente, até voos diretos já existem. A charmosa cidade de Mendoza tem excelente infraestrutura turística e de hotelaria – das mais baratas às mais requintadas. Além disso, a gastronomia é fortíssima – muito baseada na carne, obviamente, mas com opções para todos os gostos.

As vinícolas ficam espalhadas em locais não muito próximos da cidade, portanto, é preciso alugar um carro ou, a melhor opção, contratar um chofer (eles costumam cobrar preço fechado para levar os turistas para visitas a três vinícolas em uma mesma região durante o dia). Então, vale a pena sair cedo, conhecer desde vinícolas pequenas e artesanais até grandes conglomerados, mas todos certamente preparados para receber os visitantes.

Escolha uma vinícola para fazer seu almoço e, à noite, saia dar uma volta pela cidade, que tende a manter o comercio aberto até mais tarde, pois, após o almoço, tudo fecha para a famosa sesta.

 

Vinícolas e dicas para visitar em Mendoza

Vinícolas e dicas para visitar em Mendoza

Vinícolas imperdíveis em Mendoza:

Achaval-Ferrer – Belas vistas e grandes vinhos em uma visita acolhedora.

Bodega Catena Zapata – Sua arquitetura inspirada em construções maias impressiona.

Bodega Norton – Modernidade e tradição em edifícios imponentes e extremo cuidado nos detalhes estéticos. Seu restaurante, La Vid, é excepcional.

Bodega Rutini – Seu museu de vinho é uma verdadeira aula de história da bebida.

Família Zuccardi – Um lugar para relaxar e comer a típica parillada argentina, feita com esmero.

Trivento – Magnífico deck, na beira de um lago, com vista para os vinhedos abaixo das montanhas.

 

Dicas imperdíveis em Mendoza:

Hotel Park Hyatt – Serviço, comodidade e localização excelentes, no coração da cidade.

Restaurante 1884 – Clássico restaurante do consagrado chef Francis Mallman em Mendoza. Comida e carta de vinhos primorosas.

Restaurante Azafran – Um lugar aconchegante com um menu repleto de delícias típicas argentinas em preparações elaboradas.

Restaurante Nadia O. F. – É preciso provar o menu degustação da chef Nadia Harón, esposa de Ortega Fournier, da Bodega O. Fournier, considerada uma das melhores chefs da argentina.

Parque Aconcágua – Vale a pena reservar um dia para fazer esse passeio de extrema beleza natural.

 

Finalmente um português vai colaborar com o guia de vinhos mais vendido do mundo!

André Ribeirinho, um dos fundadores da plataforma de vinhos Adegga, será o primeiro português a recomendar os vinhos nacionais no Hugh Johnson’s Pocket Wine Book, o guia de vinhos mais vendido do mundo (cerca de 12 milhões de cópias).

Anteriormente, a responsabilidade da seleção dos vinhos portugueses era da escritora e crítica de vinhos britânica Sara Ahmed, que continuará a trabalhar com Portugal, mas noutra vertente.

André Ribeirinho será a partir de agora o responsável pela seleção dos vinhos e produtores portugeses que entram no guia. Nas edições anteriores, Portugal entrava em conjunto com a Espanha, enquanto que agora terá uma secção exclusiva e um maior número de referências.

André Ribeirinho foi considerado, em 2010, a Personalidade do Ano na área do vinho pelo jornal Diário de Notícias ed Portugal, e participa regularmente no painel de jurados do Concurso Mundial de Bruxelas e é co-fundador da #winelover, comunidade com 21 000 membros.

 

Hugh Johnson's Pocket Wine Book

Hugh Johnson’s Pocket Wine Book

 

André Ribeirinho

Vinho Lamadrid Cabernet Sauvignon Classico, 2010

País Argentina
Propriedade da Vinícola 80 Hectares
Volume 750ml
Tipo Tinto
Safra 2010
Sub-Região Agrelo
Uva 100% Cabernet Sauvignon
Teor Alcoólico 14%
Tipo de Uva Tinta Cabernet Sauvignon
Vinho Lamadrid Cabernet Sauvignon Classico, 2010

Vinho Lamadrid Cabernet Sauvignon Classico, 2010

 

Visual Vermelho-púrpura intenso e vivaz.
Olfativo Revela um aroma complexo e perfumado, em que as frutas negras, cassis e groselhas se fundem aos tons de chocolate e canela, aportados pelo estágio em barricas. Exibe um caráter típico e correspondente à variedade de uva, destacando-se por seu perfil olfativo, de extrema fineza, onde todos os elementos estão perfeitamente integrados.
Gustativo Belo equilíbrio na boca, resultado de seus taninos que se advertem perfeitamente integrados ao conjunto. Consegue unir concentração, elegância e modernidade sem perder o sentido de sua origem, mantendo plenamente as virtudes que tipificam os vinhos tintos da Argentina. Um excelente vinho tinto, que oferece muitos atributos por um preço razoável.
Dica de Harmonização Churrasco de carnes vermelhas.
Carne de panela com farofa.
Bisteca de porco grelhada ao molho de amoras.
Pratos a base de carne.
Bife largo grelhado, com gratinado de batatas ao bacon.
Ossobuco de cordeiro com arroz à milanesa.
Filé mignon malpassado ao molho de vinho reduzido.
Temperatura de Serviço 15°
Potencial de Guarda 6 anos
Pontuação Winechef
Ano de Fundação da Vinícola 1959
Enólogo Responsável Héctor Durigutti

Vinho Nicolas Joly Coulée de Serrant, 2008

O melhor Chenin Blanc do planeta!

É recomendável decantar… E beber durante várias horas, porque ele tem mil facetas, mil aromas e sabores, e precisa de muita concentração para poder ser entendido e desfrutado ao máximo com esta experiência.

Tipo Branco
Safra 2008
Volume 750ml
 Tipo de Vinho Vinho de Autor – Biodinâmico
País França
Região Loire
Sub-Região Appellation Savenniéres – Coulée de Serrant Contrôlée
Uva 100% Chenin Blanc
Teor Alcoólico 15%
Enólogo Responsável Nicolas Joly
Amadurecimento 100% do vinho por 8 meses em barricas francesas limitadas a 5% novas.
Visual Coloração palha delicada com toques esverdeados.
Olfativo Rica paleta olfativa com frutas secas e desidratadas, pêssegos maduros emoldurados por suaves especiarias e notas de acácias e azar, resultando num olfato de extrema pureza com impressionante complexidade e notável mineralidade. As notas florais e de mel começam a se intensificar com a oxigenação do vinho, mostrando muitas camadas de aromas que ainda estão jovens, e sem nenhuma dúvida continuarão melhorando nas próximas duas décadas.
Gustativo Na boca também tem um nível qualitativo impressionante, com profunda estrutura mineral e um caráter oleoso, sápido, com transbordante frescor, tudo aportado pela Chenin Blanc. Seu passo de boca é tão intrigante quanto expansivo, com uma incrível densidade frutada vestida de suculento frescor mineral. Um vinho único, de imensa qualidade, que precisará ainda de várias décadas para chegar à sua plenitude. É recomendável decantar… E beber durante várias horas, porque ele tem mil facetas, mil aromas e sabores, e precisa de muita concentração para poder ser entendido e desfrutado ao máximo com esta experiência.
Dica de Harmonização Linguado e vieiras ao molho de coral.
Terrina de peixes em geleia de ervas aromáticas.
Risoto de limão siciliano e aspargos verdes.
Sashimi de salmão defumado.
Carpaccio de surubim defumado com ervas.
Tipo de Comida Frutos do Mar, Culinária Japonesa, Culinária Chinesa
Temperatura de Serviço 14°
Potencial de Guarda 20 anos
Nome da Vinícola Nicolas Joly
Ano de Fundação da Vinícola 1130
Pontuação Winechef Winechef 95 Pontos

 

Vinho Nicolas Joly Coulée de Serrant, 2008

Vinho Nicolas Joly Coulée de Serrant, 2008

 

Os 100 melhores vinhos argentinos segundo Tim Atkin

O destacado crítico inglês (Master of Wines) Tim Atkin, revelo a sua lista com os melhores vinhos tintos, brancos e espumantes argentinos, no seu esperado informe 2016.

Segue a lista:

 

Malbec

Achaval Ferrer Finca Altamira Malbec 2013, Uco Valley

Achaval Ferrer Finca Bella Vista Malbec 2013, Perdriel

Achaval Ferrer Temporis Malbec 2013, Mendoza

Altos Las Hormigas Malbec Appellation Piedras 2014, Gualtallary

Altos Las Hormigas Malbec Appellation 2014, Paraje Altamira

Bodega Aleanna El Enemigo Malbec 2013, Mendoza

Bodega Cuarto Dominio Chento Single Lot Malbec 2014, Mendoza

Casa de Uco Malbec 2013, Vista Flores

Catena Fortuna Terrae Malbec 2013, Uco Valley

Catena Mundus Bacillus Terrae Malbec 2013, Uco Valley

Chakana Ayni Malbec 2014, Paraje Altamira

Colomé Altura Máxima Malbec 2013, Salta

Colomé Auténtico Malbec 2013, Salta

De Angeles Viña 1924 Single Vineyard Gran Malbec 2013, Vistalba

Dominio del Plata Susana Balbo Limited Edition Malbec 2013, Paraje Altamira

Doña Paula Alluvia Parcel Malbec Bush Vines 2012, Gualtallary

Doña Paula Selección de Bodega Malbec 2012, Mendoza

Entonado Malbec 2012, Luján de Cuyo

Luca Nico by Luca High G Lot Malbec 2013, Gualtallary

Mendel, Finca Remota Malbec 2013, Paraje Altamira

Noemía, Malbec 2013, Río Negro

Norton, Lote A112 Malbec 2012, Agrelo

Per Se Volare del Camino Malbec 2014, Gualtallary

Pulenta Estate Single Vineyard Malbec 2013, Gualtallary

Puramun Malbec Reserva 2013, Mendoza

Riccitelli Wines República del Malbec 2014, Vistalba

Salentein, Single Vineyard Malbec Plot No. 21 2014, Uco Valley

Terrazas de los Andes Single Parcel Los Castañas Malbec 2011, Las Compuertas

Tintonegro Finca La Escuela Malbec 2013, Paraje Altamira

Tintonegro La Escuela Vineyard La Piedra Malbec 2013, Paraje Altamira

Tintonegro 1955 Vineyard Malbec 2013, La Consulta

Trapiche Terroir Series Malbec Cristina y Bibiana Coletto 2012, Tupungato

Trapiche Terroir Series Malbec Finca Ambrosía 2012, Gualtallary

Trapiche Terroir Series Malbec Finca Orellana de Escobar 2012, La Consulta

Viña Cobos Malbec 2013, Perdriel

Weinert Estrella Malbec 1994, Luján de Cuyo

Zuccardi Aluvional Malbec 2013, Paraje Altamira

Zuccardi Aluvional Malbec 2013, La Consulta

Zuccardi Aluvional Malbec 2013, Gualtallary

Zuccardi Concreto Malbec 2015, Paraje Altamira

Zuccardi Finca Canal Uco 2013, Paraje Altamira

Zuccardi Finca Piedra Infinita 2013, Paraje Altamira

 

Os 100 melhores vinhos argentinos segundo Tim Atkin

Os 100 melhores vinhos argentinos segundo Tim Atkin

 

Blends Tintos

Andeluna Pasionado Cuatro Cepas 2013, Tupungato

Atamisque Assemblage 2011, Uco Valley

Bodega Tacuil Viñas de Dávalos 2015, Molinos

Bodega Vistalba Corte A 2013, Vistalba

Buscado Vivo o Muerte La Verdad 2013, Gualtallary

Casa Bianchi Enzo Bianchi 2012, San Rafael

Caro 2013, Mendoza

Catena Zapata Nicolás 2011, Mendoza

Cheval des Andes 2013, Mendoza

De Angeles Viña 1924 Single Vineyard Gran Corte 2013, Vistalba

Fabre Montmayou Grand Vin 2012, Mendoza

Finca Flichman Dedicado 2013, Tupungato

Mendel Unus 2013, Mendoza

Norton Gernot Langes 2010, Mendoza

Per Se Francesca 2014, Gualtallary

Per Se La Craie 2014, Gualtallary

Pulenta Estate Gran Corte 2012, Mendoza

Pyros Special Blend 2012, Pedernal

Riglos Gran Corte 2013, Tupungato

Trapiche Iscay 2011, Mendoza

Trapiche Iscay Syrah/Viognier 2013, Uco Valley

Tres 14 Imperfecto 2013, Gualtallary

Weinert Cavas de Weinert Gran Vino 1983, Luján de Cuyo

Zorzal Field Blend 2013, Gualtallary

Zuccardi Zeta 2012, Uco Valley

 

Outros Tintos

Altocedro Pinot Noir 2014, La Consulta

Bodega Aleanna El Gran Enemigo Single Vineyard Cabernet Franc 2012, Gualtallary

Casarena Lauren’s Vineyard Cabernet Franc 2013, Agrelo

Catena Appellation Cabernet Sauvignon 2014, Agrelo

Chacra Treinta y Dos Pinot Noir 2013, Río Negro

Chacra Sin Azufre Pinot Noir 2015, Río Negro

De Angeles Viña 1924 Single Vineyard Gran Cabernet Sauvignon 2013, Vistalba

Finca Las Moras Gran Syrah 2013, San Juan

El Porvenir de Cafayate Laborum Single Vineyard Tannat 2015, Cafayate

José Luis Mounier Laguna Brava Tannat Selected Reserve 2012, Cafayate

La Mascota Gran Mascota Cabernet Sauvignon 2013, Paraje Altamira

Luca Nico de Luca High G Lot Pinot Noir 2013, Gualtallary

Pulenta Estate Gran Cabernet Franc 2012, Agrelo

Riglos Gran Cabernet Sauvignon 2013, Tupungato

SonVida Cabernet Sauvignon 2013, Mendoza

Viña Cobos Marchiori Vineyard Cabernet Sauvignon 2013, Perdriel

Weinert Estrella Cabernet Sauvignon 1994, Luján de Cuyo

Zorzal Eggo Franco 2015, Gualtallary

Zuccardi Finca Los Membrillos Cabernet Sauvignon 2013, La Consulta

Zuccardi Emma Zuccardi Bonarda 2014, Paraje Altamira

 

Brancos e Espumantes

Blanchard y Lurton 2014, Uco Valley

Bressia Lágrima Canela 2013, Uco Valley

Catena Zapata Adrianna Vineyard White Bones Chardonnay 2013, Uco Valley

Catena Zapata Adrianna Vineyard White Stones Chardonnay 2012, Uco Valley

Colomé Altura Máxima Sauvignon Blanc 2015, Salta

Cruzat Gran Millésime, 2006 Mendoza

Dominio del Plata White Blend 2015, Uco Valley

La Giostra del Vino Saltimbanco Sauvignon Blanc 2014, Mendoza

La Giostra del Vino Bacán Sauvignon Blanc Reserva 2014, Vista Flores

Mendel Semillon 2015, Paraje Altamira

Piedra Negra Gran Lurton 2014, Uco Valley

Salentein Single Vineyard Plot 2 Chardonnay 2013, Uco Valley

Riccitelli Wines Old Vines Semillon 2015, Patagonia

 

Vinho Sottano Reserva de Familia Malbec 2009

Este tinto da safra 2009, o irmão menor de Judas, está passando por um belíssimo momento.

Tenho degustado várias garrafas desta safra nos últimos anos e a tendência agora é a atingir seu melhor momento.

As ultimas gararfas tem sido as melhores, já estão os taninos redondos, mas sempre com essa profundidade e concentração.

Vinho Sottano Reserva de Familia Malbec 2009 - Winechef 92 Pontos

Vinho Sottano Reserva de Familia Malbec 2009 – Winechef 92 Pontos

Segue a nota de degustação do Vinho Sottano Reserva de Familia Malbec 2009

 

VISUAL Vermelho rubi profundo com nuances alaranjados.
OLFATIVO Abundantes notas de frutos negros, como cassis, groselhas pretas, cerejas e amora, mas tudo em uma versão tipo “marmeladas” ou em compota. Está na madures extrema, resultando um vinho com caraterísticas muito particulares, guloso, sedutor. Estão também presentes notas de cedro, defumados e grafite, aportados pela madeira e suaves notas de regaliz e menta que estão aportando frescura a um aroma muito diverso, de grande tipicidade e qualidade.
GUSTATIVO No paladar é um vinho maduro, oleoso, com taninos firmes e presentes, gloriosamente frutado, viscoso, com muita glicerina, de corpo inteiro, denso e sedutor. Um Malbec excelente, masculino, que pode ser bebido agora, mas que se beneficiará com a guarda em garrafa por alguns anos.
PONTUAÇÃO
Vinho Sottano Reserva de Familia Malbec 2009 - Winechef 92 Pontos

Vinho Sottano Reserva de Familia Malbec 2009 – Winechef 92 Pontos

 

 

Jean Pascal-Lacaze, enólogo de Domus Aurea em entrevista exclusiva

 

Além do Domus Aurea, ele também elabora o vinho Peñalolen Azul

 
Não é segredo que gosto muito de Domus Aurea. Penso a mesma coisa que muitos outros amantes de vinho: que ele é um dos melhores vinhos tintos chilenos.

A forma na qual os vinhos desta vinícola conseguem expressar o terroir da Quebrada de Macul, nos pés do monte da Cordilheira dos Andes, pertinho do coração de Santiago, é algo alucinante! Como se o terroir estivesse gritando aos quatro ventos através dos aromas e sabores destes vinhos.

Mas se o Domus já é um vinho que oferece muita qualidade por um preço mais do que justo, a boa notícia é que existe outro vinho, da mesma família, até agora um tanto quanto desconhecido, no mesmo estilo que os outros estupendos vinhos elaborados por Jean Pascal e Rodolphe Bourdeau. Ele se chama “Azul”, é um assemblage extraordinário, e o melhor de tudo: está na inacreditável faixa dos R$ 150,00.

 

O vinho Peñalolen Azul é elaborado por Jean Pascal-Lacaze, enólogo responsavel também do Domus Aurea

O vinho Peñalolen Azul é elaborado por Jean Pascal-Lacaze, enólogo responsavel também do Domus Aurea

 

Então, frente a tanta curiosidade, fiz uma pequena entrevista com o enólogo Jean Pascal-Lacaze só para falar deste vinho. Vejam as suas respostas às minhas perguntas!

Quando nasceu o vinho Azul?

Azul nasceu no ano de 2008.

Qual é o significado deste nome?

O azul evoca algo superior. Na época dos reis, era a cor da virgem Maria e símbolo da majestade. Abundante no mar e no céu, mas é também um pigmento escasso, muito difícil de fabricar. O azul tem sido por muito tempo uma cor relacionada à nobreza e ao luxo. Em síntese, o Azul simboliza o infinito, o divino e o espiritual.

De qual vinhedo provêm as uvas de Azul?

As uvas provêm dum vinhedo localizado no vale do Maipo Alto, região que, por suas condições climáticas e terroir, oferece condições excepcionais para a produção de vinhos de alta qualidade.

Como foi realizado o trabalho na bodega em relação à fermentação alcoólica e à fermentação malolática?

A vinificação se realiza de maneira tradicional. As uvas são colhidas manualmente e os grãos selecionados cuidadosamente. Depois, quando chega à cuba de aço, é feita uma maceração por um período de 10 a 15 dias para favorecer a extração. Posteriormente é realizada a fermentação alcoólica.

Trabalha-se com leveduras selecionadas com um rigoroso controle de temperaturas. Uma vez terminada a fermentação alcoólica se procede ao traslado do vinho na barrica, as que são escolhidas de acordo com a personalidade de cada vinho, em particular, para conseguir manter a tipicidade do terroir no vinho final. Nas barricas é efetuada a fermentação malolática, processo que dura entre 20 e 30 dias.

O vinho Peñalolen  Azul é elaborado por Jean Pascal-Lacaze, enólogo responsavel também do Domus Aurea

O vinho Peñalolen Azul é elaborado por Jean Pascal-Lacaze, enólogo responsavel também do Domus Aurea

Como foi a guarda em barricas, quanto tempo, que tipos de madeiras e por quê?

A crianza é relativa, segundo os diferentes tipos de vinho. Depende claramente da variedade de uva e da arquitetura do vinho. Os mais estruturados irão à madeira nova para polir-se; outros menos prontos, às vezes, terão uma guarda em barricas de segundo uso. Algumas barricas dão no assamblage final volume e força; outras, profundidade e maior respeito pelo caráter inicial. Os tempos de estágio dos vinhos nas barricas variam dos 12 até os 20 meses. As barricas provêm de cinco ou seis tonelarias francesas diferentes, cada uma com sua própria filosofia.

As barricas são apenas de madeiras de bosques franceses com tostados médios e leves. As tábuas das barricas têm 36 meses de secas e calibradas em 27 mm.

Para Azul, especificamente, utilizou-se 20% de barricas novas com tostados médios, de madeira proveniente do centro da França, Tronçais e Nevers, por um período de 18 meses.

Qual foi a quantidade de garrafas produzidas em cada safra?

Para a colheita de 2010 foram produzidas 11.097 garrafas, e 30 garrafas Magnun (de 1,5L)

Como se diferença Azul dos outros vinhos da vinícola?

Especialmente, Azul é um vinho que recebe uma quantidade bem maior de Petit Verdot em seu assemblage. Isto lhe outorga certa austeridade no início, a qual se transforma com a evolução do vinho na garrafa, com muita elegância. A estrutura tânica é absolutamente marcada, o vinho é claramente pensado para a guarda. O desenho de Azul trata-se de um perfil muito mais vertical e profundo e uma já vista exuberância esférica. O conceito requer paciência para entregar seu máximo potencial e converter sua leve firmeza em uma elegância ainda maior.

 

Filho de Susana Balbo e seu projeto vitivinícola

 

Chango é o ultimo vinho que foi lançado pelo filho de Susana Balbo. É um blend elaborados com uvas de Cafayate e o Vale de Uco.

O projeto começou em 2010 como um proceso de descobrimento e espaço criativo. Atualmente seu porfolio esta formado por 4 vinhos e segundo o próprio autor, eles representam as 4 etapas mais significativas da vida dele.

Nesse contexto, o vinho Chango, safra 2013 representa sua infância em Cafayate. Fio elaborado a base de Malbec (65%) e Cabernet Sauvignon (15%) proventes do Altamira, no Vale de Uco, mais um 20% de Tannat de Cafayate.

“á intenção é fazer de cada uns dos vinhos tenham uma verdadeira expressão do terroir de origem, e que em cada uma das suas safras seja possivel distinguir a influencia producidad pelas diferencias climaticas entre cadauma das safras”, diz o enólogo José Lovaglio Balbo.

O vinho vem a complementar os outros trés rótulos da línea, que são os Chacra, Aggie y Templre.

Filho de Susana Balbo e seu projeto vitivinícola

Filho de Susana Balbo e seu projeto vitivinícola

Argentina e Chile promocionam juntos o vinho na Inglaterra

 

Entre o 9 e 10 de setembro Wines of Argentina e  Wines of Chile se unem pela primeira vez para apresentar Mercado Andino, uma feira que traz a vida e o espirito de ambos países na Inglaterra.

MESAS DE DEGUSTAÇÕES TEMÁTICAS

Além dos stands dos expositores, e com o intuito de mostrar o que Chile e Argentina estão fazendo em matéria vitivinícola, a feira contara com duas mesas de degustações temáticas, onde o centro de atenção estará focada nas novidades, mas também nos ganhadores dos prêmios recentes.

Uma das mesas será denominada Pioneiros, e oferecera a possibilidade aos assistentes a feira de degustar os novos projetos e estilos que refletem o espirito pioneiro de Chile e Argentina.

A outra mesa será chamada de Reconhecimentos Andinos aonde será possível degustar vinhos ganhadores de Medalhas de Ouro de ambos dos países, nos últimos grandes concursos a nível mundial. 

Argentina e Chile promocionam juntos o vinho na Inglaterra

Argentina e Chile promocionam juntos o vinho na Inglaterra


 

BODEGAS PARTICIPANTES DE ARGENTINA:

 

ACHAVAL-FERRER
ALPAMANTA ESTATE
ALTA VISTA
ANDEAN VINEYARDS
ANDELUNA CELLARS
ANGULO INNOCENTI WINES
BENVENUTO DE LA SERNA
BODEGA ATAMISQUE
BODEGA BENEGAS
BODEGA CARELLI
BODEGA CATENA ZAPATA
BODEGA DEL FIN DEL MUNDO – PATAGONIA ARGENTINA
BODEGA LUIGI BOSCA | FAMILIA ARIZU
BODEGA MALMA
Bodegas Fabre
BODEGAS KRONTIRAS
BODEGAS SANTA ANA
CASA BIANCHI
CASARENA
CHAKANA
DANTE ROBINO
DOÑA PAULA
DOMAINE BOUSQUET
DOMINIO DEL PLATA
DON CRISTOBAL
EL ESTECO
FAMILIA SCHROEDER
FAMILIA ZUCCARDI
FINCA AGOSTINO
FINCA FLICHMAN
FINCA LAS MORAS
FINCA QUARA
FINCA SOPHENIA
FOSTER
GAUCHEZCO VINEYARD & WINERY
GOUGUENHEIM WINERY
GRAFFIGNA
HUMBERTO CANALE
KAIKEN
LA RIOJANA
LA RURAL/ RUTINI WINES
LOS HAROLDOS
MASCOTA VINEYARDS
MELIPAL
MENDEL
MONTEVIEJO
MUÑOZ DE TORO WINES
NAVARRO CORREAS
NIETO SENETINER
NORTON
O. FOURNIER
PASCUAL TOSO
RICCITELLI WINES
RUCA MALEN
SAN HUBERTO
TAPIZ
TERRAZAS DE LOS ANDES
TRAPICHE
TRIVENTO
VICENTIN
ZORZAL WINES

 

A lista de vinícolas chilenas apresentaremos num próximo post.