Vinícola aposta em cães farejadores para evitar praga

 

 Pesquisadora australiana treina cachorros para detectar doenças em vinhedos a temida ‘phylloxera’

Que cães são usados para detectar drogas e explosivos todo mundo sabe, mas pesquisas recentes afirmam que o olfato dos cachorros pode ser usado também em vinícolas.

Sonja Needs, viticultora e pesquisadora em Ciência dos Animais da Universidade de Melbourne, na Austrália, lidera uma pesquisa que treina cães para farejar a praga “phylloxera (praga mais comum em vinícolas por se alimentar das raízes das videiras e devastar vinhas inteiras).

Explicando sua crença de que é  possível treinar qualquer cão para ser farejador, Needs afirma que uma vez que os animais são treinados em detecção de drogas ou explosivos, é muito simples dar-lhes outro cheiro pra detectar, como, por exemplo, o cheiro da “phylloxera”.

Ela espera também, que a pesquisa revele em que estágio do ciclo da “phylloxera” os cães conseguem sentir o cheiro, para que a praga seja diagnosticada mais rápido.

 “Eu quero ver a que profundidade a phylloxera fica sobre as raízes no interior do solo, para analisar a que profundidade os cães podem buscá-las abaixo da superfície”, explica a pesquisadora. Sonja acredita que os cães serão uma ferramenta de detecção incrivelmente poderosa.

Vinícola aposta em cães farejadores para evitar praga

Vinícola aposta em cães farejadores para evitar praga

 

Veja também:

 

 

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *