Vinhos orgânicos e biodinâmicos. Você sabe a diferença?

Vinhos orgânicos e biodinâmicos. Você sabe a diferença?

Vivemos em uma geração que tem prezado cada vez mais pelos hábitos saudáveis. Boa alimentação, exercícios, alto astral… E nessa busca pelo melhor para o nosso corpo, e nossa qualidade de vida, encontramos diversas pesquisas que afirmam que o vinho faz bem à saúde – e disso ninguém discorda, não é?! Mas será que qualquer vinho pode ter esse mérito?

Da mesma forma como os alimentos que ingerimos interferem no nosso organismo, as bebidas, principalmente com base em alimentos naturais, têm o mesmo efeito. Visto isso, há algumas décadas enólogos vêm tomando cada vez mais cuidado com o uso de produtos químicos em suas plantações.

Alguns deles, inclusive, proíbem o uso de qualquer tipo de toxina em seus vinhedos, tais como fertilizantes químicos e defensíveis químicos (pesticidas, inseticidas, herbicidas e fungicidas). Quando se trata deste tipo de viticultura, estamos falando de Vinhos Orgânicos.

Ganhando cada vez mais espaço no comércio mundial, principalmente na Europa e dos EUA, os vinhos orgânicos de fato são mais saudáveis por exigir que o produtor use apenas métodos naturais de produção. Geralmente, a fiscalização em cima deste tipo de vinho é ainda mais rígida. Tanto que a maioria dos rótulos traz a declaração correta: “produzido com uvas cultivadas organicamente”, para uma maior garantia do consumidor.

Em contrapartida, Vinhos biodinâmicos nada têm a ver com os orgânicos… É uma preocupação muito maior com a plantação, em nível de natureza, do que com os frutos que sairão dali.

Vinhos orgânicos e biodinâmicos. Você sabe a diferença?

Vinhos orgânicos e biodinâmicos. Você sabe a diferença?

Criada por Rudolf Steiner em 1924, o objetivo é trazer a expressão máxima do terroir da região, respeitando e preservando o equilíbrio natural do ecossistema. Também se dedica a dar mais vida ao solo, onde há qualquer tipo de plantio – o contrário do que acontece na agricultura tradicional, que exige muito do solo com o uso de agrotóxicos, aditivos, entre outros, empobrecendo-o ou até mesmo tornando-o totalmente estéril.

Valoriza o solo e a planta em seu habitat natural, preparando-o com compostos de origem vegetal, animal e mineral. Também leva em conta influências astral e dos ciclos da natureza – daí o dinamismo.

Um grande exemplo e ícone da vinicultura biodinâmica é Alvaro Espinoza, um dos enólogos mais reconhecidos no Chile e tem feito parte de muitos projetos de sucesso, principalmente com a introdução da agricultura biodinâmica para a produção vitivinícola. Ao longo dos anos, ele desenvolveu uma filosofia de produção de vinho com base em uma forte crença no potencial do vinho chileno e suas características únicas.

 

Veja Também:

 

 

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *