Aqua Capital passa a ter o controle das lojas Grand Cru

 

A rede de lojas a Grand Cru já é hoje a responsável pelo maior portfólio de Bordeaux Gran Cru Classe de toda América do Sul

Com adição de capital, companhia ampliará para 50 unidades o volume de lojas em todo o País. Plano é dobrar os números de faturamento e de lucro verificados em 2014 até o final de 2017

A Aqua Capital, companhia de private equity focada em empresas de médio porte da cadeia do agronegócio, alimentos e logística no Brasil e no Cone Sul, anuncia investimento na Grand Cru, maior rede de lojas de vinho do País.

Com o negócio, a Aqua passa a deter o controle da companhia, que acelerará seu plano de expansão.

A meta da Grand Cru é reunir 50 lojas (próprias ou franqueadas) em todo o Brasil até o final de 2015, ante as atuais 40 unidades, e acelerar a expansão de sua operação de e-commerce.

Para a nova etapa, a Grand Cru contará com a expertise da Aqua, que promoveu em dezembro passado a criação da maior empresa do Brasil em armazenagem de frio, ao fundir a Comfrio e a Stock Tech. “Vamos adicionar ao já bem-sucedido modelo de negócio da Grand Cru, capitaneado por Victor Levy e Mariano Levy, nossa expertise em gestão e crescimento”, explica Sebastian Popik, sócio-fundador da Aqua. “Estou muito contente com a parceria com a Aqua. Ela marca um novo momento em nossa empresa, que se confirmou como a maior rede de vinhos do País, e nos garante ainda mais solidez e sustentabilidade”, diz Victor Levy, que passa a presidir o Conselho da companhia.

Além do crescimento no Brasil, a Grand Cru não descarta a possibilidade de levar seu modelo de negócio para outros países do continente no médio prazo. “Verificamos que o modelo de atuação no Brasil é único e bastante replicável e lógico para outros mercados, o que nos leva a apostar também em crescimento nas Américas”, diz Mariano Levy, CEO da companhia.

Logo Grand Cru

Logo Grand Cru

Outro objetivo da companhia é colaborar para o aumento do consumo per capita de vinho no Brasil. “Muitos consumidores hoje deixam de entrar nas lojas de vinho com medo da sofisticação do setor ser sinônimo de preços altos e impraticáveis. O modelo da Grand Cru, ao contrário, acolhe e envolve o consumidor no mercado. Queremos disseminar isso e colaborar para a cultura do vinho. Para isso, temos produtos de qualidade nas mais variadas faixas de preços, para todos os públicos“, explica Popik.

“Também manteremos nossa expansão pelo País, seja por meio de novas lojas ou por nosso e-commerce. Vamos investir em todas as regiões do Brasil e levar aos consumidores não apenas os vinhos mais demandados e reconhecidos, como também opções que atendam ao clima e às especificidades de cada região”, diz Levy.

Com portfólio de mais de 1,5 mil vinhos, a Grand Cru já é hoje a responsável pelo maior portfólio de Bordeaux Gran Cru Classe de toda América do Sul – categoria que reúne os vinhos da região produtora premium mais famosa do mundo.

 

Sobre a Grand Cru

Originária da Argentina, a Grand Cru iniciou suas atividades de importação e vendas de vinhos finos com sua primeira loja em São Paulo, no bairro dos Jardins, em 2002. Com forte gestão e modelo de expansão arrojado, ao longo de 12 anos investiu na abertura de lojas próprias e franquias em diversas regiões do Brasil para atendimento dos segmentos on-trade, off-trade, televendas e e-commerce com tabela única em todo o território nacional. Investiu também na criação de um portfólio exclusivo focado em produtos de qualidade, cujos preços partem de R$ 27. Esse trabalho, fruto parcerias com as mais importantes vinícolas do mundo, rende à empresa o reconhecimento por um dos mais respeitados portfolios de vinhos do mercado e ter a maior rede de lojas próprias no Brasil.

 

Sobre a Aqua Capital

Fundada em 2009, a Aqua Capital tem como filosofia de investimentos buscar posições em empresas com potencial de liderança na cadeia do agronegócio, alimentos e logística. “Acreditamos em parcerias verdadeiras e vantajosas. Buscamos empresas tipicamente familiares, para as quais podemos oferecer nosso apoio por meio de um time de gestão que combina expertise operacional a uma abordagem empreendedora”, afirma Popik. Os investidores da Aqua Capital incluem endowments e fundos de fundos e a companhia reúne sob sua gestão aproximadamente R$ 650 milhões de reais (US$ 220 milhões).

Fonte: Portal Segs

Robert Parker e os Malbec argentinos com as maiores pontuações na historia

 

Robert Parker pontuou dois Malbec´s argentinos com 99 pontos

Desde que Robert Parker avalia os vinhos argentinos, até o dia de hoje ele pontuou com 96 a 99 o mais pontos a 37 vinhos elaborados com a uva Malbec, a mesma que que tem colocado esse país no topo da moda ao redor do mundo.

Se você tem na sua adega alguns dos vinhos da lista, (tal até sem saber), já sabe como pode começar o ano 2015 de uma forma excepcional.

 

Rating Maturity
2009
Achaval Ferrer Finca Altamira la Consulta
99
2006
Vina Cobos Malbec Marchiori Vineyard
99
2009
Achaval Ferrer Malbec Finca Bella Vista
98
2008
Achaval Ferrer Malbec Finca Bella Vista
98
2008
Achaval Ferrer Temporis
98
2009
Achaval Ferrer Temporis
98
2004
Achaval Ferrer Malbec Finca Altamira
98
2004
Bodegas Catena Zapata Malbec Catena Zapata Argentino Vineyard
98+
2005
Vina Cobos Malbec Marchiori Vineyard
98
2004
Vina Cobos Malbec Marchiori Vineyard
98
2009
Bodegas Catena Zapata Malbec Catena Zapata Adrianna Vineyard
97
2004
Bodegas Catena Zapata Malbec Catena Zapata Adrianna Vineyard
97
2005
Bodegas Catena Zapata Malbec Catena Zapata Adrianna Vineyard
97
2008
Bodegas Catena Zapata Malbec Catena Zapata Adrianna Vineyard
97
2005
Bodegas Catena Zapata Malbec Catena Zapata Argentino Vineyard
97+
2008
Bodegas Catena Zapata Malbec Catena Zapata Argentino Vineyard
97
2007
Bodegas Catena Zapata Malbec Catena Zapata Argentino Vineyard
97
2003
Vina Cobos Malbec Marchiori Vineyard
97
2007
Achaval Ferrer Temporis
96
2007
Achaval Ferrer Malbec Finca Bella Vista
96
2008
Achaval Ferrer Malbec Finca Mirador
96
2004
Achaval Ferrer Malbec Finca Mirador
96
2009
Achaval Ferrer Malbec Finca Mirador
96
2004
Bodega Enrique Foster Firmado
96
2011
Bodega Noemia de Patagonia Malbec
96
2010
Bodegas Catena Zapata Malbec Catena Zapata Adrianna Vineyard
96
2004
Bodegas Catena Zapata Malbec Catena Zapata Nicasia Vineyard
96
2007
Bodegas Catena Zapata Malbec Catena Zapata Adrianna Vineyard
96
2005
Bodegas Catena Zapata Malbec Catena Zapata Nicasia Vineyard
96
2006
Bodegas Catena Zapata Malbec Catena Zapata Argentino Vineyard
96
2008
Bodegas Trapiche Malbec Single Vineyard Vina Jorge Miralles
96
2012
Familia Zuccardi Finca Piedra Infinita
96
2006
Vina Alicia Brote Negro
96
2009
Vina Cobos Malbec Marchiori Vineyard
96
2005
Vina Cobos Bramare Marchiori Vineyard
96
2006
Vina Cobos Bramare Marchiori Vineyard
(96-99)
2002
Vina Cobos Malbec Marchiori Vineyard
96
Robert Parker e as maiore pontuaçôes dos vihos argentinos na historia

Robert Parker e as maiore pontuaçôes dos vihos argentinos na historia

Uma impressionantes coleções de Borgonha vai a leilão

 

Segundo funcionários da casa de leilão nova-iorquina Wally, as coleções de Borgonha pode valer US$ 15 milhões

O colecionador de vinhos Roy Welland irá colocar à venda sua coleção de 100 mil garrafas, uma das mais impressionantes da Borgonha. Os funcionários da casa de leilão Wally avaliam que o conjunto de vinhos vale, ao menos, US$ 15 milhões (cerca de R$ 34 milhões). Em entrevista, Welland afirmou que está vendendo sua coleção por motivos pessoais.

Roy Welland é um ex-operador financeiro e se apaixonou por vinho tornando-se rapidamente um colecionador fanático. Em 2004, quando inaugurou o restaurante Cru, em Greenwich Village, Nova York, sua coleção tinha 65 mil garrafas.

Hoje, contudo, parte da coleção está em um armazém na Nova Jersey e outra num depósito em Beaune. Welland parou de comprar produtos em leilão quando começou a comprar vinho direto dos produtores e observou que, em 2005, o mercado vinícola estava em ascensão.

Vinhos da bourgogne 2

 

Observou-se então que, assim como o mercado de leilão de vinho estava crescendo, a demanda de exemplares com denominação de Borgonha e o interesse por vinhos mais velhos também estava aumentando. Por isso, estima-se que a coleção de Welland irá atrair muita atenção, uma vez que seus produtos foram adquiridos diretamente com os produtores.

Sua coleção conta com duas mil caixas de Grand Cru de Borgonha, 160 caixas do Domaine Bachelet, 250 caixas do Domaine Joseph Drouhin, 150 caixas do Domaine Georges Roumier, 40 caixas do Domaine Armand Rousseau. Além destes, o conjunto conta com mais de 750 caixas de Chablis, incluindo 200 caixas de René & Vincent Dauvissat.

Vinhos austríacos, californianos e de Bordeaux também fazem parte da coleção. “Há alguns anos, um dos empregados do meu restaurante visitou uma loja de vinho em Viena. O proprietário estava fechando o estabelecimento e não sabia o que fazer com todo o estoque”, contou Welland. “Por isso temos algumas safras incríveis de vinhos austríacos”.

O presidente e CEO da casa de leilões Wally, Michael Jessen, admitiu estar ansioso para colocar no mercado a coleção de Welland.

 

 

Fonte: Revista Adega

Robert Parker publica suas últimas notas para os vinhos Chilenos

 

Robert Parker editor da revista Wine Advocade surpreendeu com as suas pontuações dos vinhos chilenos

Depois de muitos anos espera e bastante ansiedade por parte dos produtores de vinhos chilenos, o representante da revista Wine Advocate (e do próprio Robert Parker), Luiz Gutierrez, publicou suas notas.

Há muitas surpresas e muitas conclusões que poderíamos tirar da lista, mas neste primeiro post sobre os vinhos pontuados de Robert Parker, iremos dar uma conferida nos 28 primeiros colocados:

Proximamente, publicaremos os próximos 28 colocados.

SAFRA
NOME DO VINHO CHILENO
PONTUAÇÃO ROBERT PARKER
2011
De Martino Vigno Single Vineyard la Aguada
95
2009
Aristos Duquesa Duque d’A
94
2011
Bodegas Re Renace
94
2010
Calyptra Pinot Noir Gran Reserva
94
2011
Errazuriz The Blend
94
2011
Montes Alpha M
94
2008
Vina Quebrada de Macul Cabernet Sauvignon Domus Aurea
94
2011
Almaviva
93
2009
Aristos Duquesa Chardonnay
93
2010
Bodegas Re Vigno By Vina Roja
93
2010
Bodegas Re Cabergnan
93
2011
Bodegas y Vinedos O Fournier Alfa Centauri Red Blend
93
2011
Calyptra Sauvignon Blanc Gran Reserva
93
2010
Calyptra Chardonnay Gran Reserva
93
2008
Casa Silva Altura
93
2008
Casa Silva Carmenere Micro Terroir
93
2011
Clos des Fous Latuffa Pinot Noir
93
2010
Concha y Toro Don Melchor
93
2010
Cono Sur Silencio
93
2011
De Martino Quebrada Seca Single Vineyard Chardonnay
93
2011
De Martino Old Bush Vines Single Vineyard Limavida
93
2011
Errazuriz Vinedo Chadwick
93
2011
Gandolini Las 3 Marias Vineyards
93
2011
Garage Wine Co Lot #34 Carignan
93
2011
Garcia Schwaderer Vigno
93
2011
Lapostolle Clos Apalta
93
2011
Lapostolle Collection Mourvedre
93
2010
Maquis Franco
93
Robert Parker publica suas últimas notas para os vinhos Chilenos

Robert Parker publica suas últimas notas para os vinhos Chilenos

Conheça os 10 maiores grupos vinícolas do mundo

 

A vinícola chilena Concha y Toro, o grupo Constellation e o grupo Gallo Winery ocupam as primeiras posições

Segundo relatório anual da consultoria Euromonitor Internacional, o ranking mundial de Grupos Vinícolas pouco se alterou nas 10 primeiras posições, porém, trouxe algumas surpresas como o Grupo Peñaflor, maior produtor de vinhos da Argentina, que assumiu a quinta posição. Antes, vinha na oitava.

Mas o ranking 2013 traz as mesmas vinícolas nas três primeiras colocações, sendo todas norte-americanas.

A E & J Gallo Winery

Segue na liderança com 777 milhões de litros de vinho produzidos

Constellation Brands
Concha y Toro

Responsável pela produção de 282 milhões de litros e o

Grupo Peñaflor

Com 278 milhões de litros. A companhia integra sete vinícolas como Trapiche, El Esteco, Finca las Moras, Bodegas La Rosa, Santa Ana, Suter e Andean Viñas e exporta seus produtos para mais de 90 países em cinco continentes atualmente e tem mais de dois mil funcionários em mais de seis mil hectares espalhados pelas províncias de Mendoza, San Juan, Salta e Catamarca.

 Pernod Ricard

Com 277 milhões de litros. Já os australianos

Treasury Wine Estates
 Castel Groupe

Da Austrália alcançaram a oitava posição, com 270 milhões.

Accolade Wines Ltd

Outra vinícola australiana, que produz 270 milhões.

Caviro

da Italia com produção de 160 milhões, ocupa a décima colocação.

Conheça os 10 maiores grupos vinícolas do mundo

Conheça os 10 maiores grupos vinícolas do mundo

 

 

 

Felipe García e sua mulher Constanza Schwaderer Enólogos do Ano no Chile

 

Na categoria enólogo do ano, o reconhecimento foi para um casal, trata-se de Felipe García e sua esposa Constanza Schwaderer, ambos jovens enólogos, porém com uma ampla trajetória na cena vitivinícola chilena.

Na semana passada no restaurante Quintral, que fica localizado no bairro Lastarria em Santiago do Chile, foram entregues os reconhecimentos que realizam o Círculo de Cronistas Gastronómicos y del Vino, que tem como finalidade destacar o melhor de cada ano referente a vinho e gastronomia.

Nas últimas décadas, ambos trabalharam em conhecidas vinícolas chilenas e hoje produzem seus próprios vinhos, num projeto pessoal que ao princípio chamava-se de Bravado Wines, mas que recentemente mudou de nome, a agora tem um nome que é ainda é mais pessoal, levando os sobrenomes de cada um, Garcia é o sobrenome de Felipe e Schwaderer é o sobrenome de Constanza.

Felipe García e sua mulher Constanza Schwaderer Enólogos do Año no Chile 2015

Felipe García e sua mulher Constanza Schwaderer Enólogos do Año no Chile 2015

No Brasil é possível encontrar alguns dos vinhos do casal, todos eles muito interessantes e diferentes.  Sendo que o diferencial desses enólogos foi procurar terroirs pouco conhecidos para a elaboração dos seus vinhos. Um exemplo é o vinho Facundo, é um tinto que mistura uvas da região Itala, Maule e Lolol (na parte costeira do Vale de Colchagua).

Só para ter uma ideia da qualidade dos vinhos, o Carignan (García e Schwaderer Vigno 2010) tem a maior pontuação para Robert Parker de todos os produzidos no Chile.

Destacando outros vinhos do casal, existe um branco elaborado a base da uva Sauvignon Blanc proveniente do vale de Casablanca que tem o nome de Marina, e um Pinot Noir e Syrah também do Casablanca que tem o nome de Sofia.

Se tiverem a oportunidade de degustar alguns destes vinhos, tenho certeza que a sensação vai ser surpreendente, vão adorar!

Onde comprar:

García e Schwaderer Facundo

http://www.buywine.com.br/vinho-bravado-wine-facundo-2009/p

 García e Schwaderer Vigno Carignan

http://www.buywine.com.br/vinho-bravado-wine-vigno-2009/p

Sauternes ameaçada por trem de alta velocidade

 

Planos para uma linha trem de alta velocidade na região de Sauternes, em Bordeaux, ameaçam causar danos irreparáveis aos vinhedos da região, segundo produtores

Vinícolas de Sauternes, em Bordeaux, podem estar ameaçadas diante da possibilidade de linhas de trens de alta velocidade passarem pela região. Cortando o Vale du Ciron, região sul de Bordeaux, as linhas podem alterar significativamente o microclima peculiar de Sauternes. A vinícola Les Vignerons de Sauternes et Barsac já pediu a suspensão dos planos que envolvem a construção das linhas férreas. De acordo com a vinícola, podem ser perdidos cerca de 500,000 hectares de terras férteis.

Famosa por seus vinhos doces, a região de Sauternes depende de um microclima promovido pelo vale que a cerca. Na região, existem árvores que acompanham o curso do rio e que permitem a condensação da água no ambiente, garantindo um clima mais fresco, o que é vital para o cultivo das vinhas em Sauternes. Caso o projeto das linhas seja aprovado, essas árvores serão cortadas e assim, não haverá mais a condensação.

A linha, que ligará Bordeaux à Tolouse até 2024, vai passar por 70 km dentro da região e teria uma largura de 100 m, o que seria suficiente para inutilizar grande parte das terras férteis, e ainda alterar o microclima do local. Além disso, especialistas afirmam que as linhas de trem vão poluir a área, destruindo habitats naturais da vida selvagem de Sauternes.  Para muitos, o projeto de construção das linhas é inútil, já que encurta a viagem em apenas poucos minutos.

Vinhos de Sauternes

Vinhos de Sauternes

Piemonte se torna Patrimônio Mundial da UNESCO

 

Região italiana Piemonte foi a escolhida por conter paisagens excepcionais e ser palco da produção de vinhos diferenciados

A região italiana de Piemonte entrou para a lista de Patrimônio Mundial da UNESCO. O Comitê se reuniu em Doha, no Qatar. O Piemonte torna-se assim a 50a paisagem italiana na lista dos patromônios italianos. Ele tem a designação geográfica oficial de “Langhe-Roero e Monferrato”, mas seus limites incluem áreas vinícolas conhecidas como Barolo, Barbaresco, Barbera d’Asti e Asti Spumanti.
A lista da UNESCO priorizou seis zonas distintas como Patrimônio Mundial por conterem paisagens excepcionais e serem palco da produção de vinhos diferenciados. As regiões a que a lista se refere são as colinas de Langhe de Barolo, as colinas de Barbaresco, Nizza Monferrato por sua produção de Barbera, Canelli por seu vinho espumante Asti Spumante e Monferrato por suas adegas subterrâneas, além do castelo Grinzane Cavour.

A justificativa enviada à UNESCO para que a região de Piemonte fosse incluída na lista de Patrimônio Mundial era a de que a província dispõe de um “valor universal excepcional” devido à sua cultura de vinho arraigada e à sua extraordinária paisagem moldada pelo trabalho humano relacionado ao cultivo de uva e produção de vinho.

Estar na lista de Patrimônio Mundial da UNESCO fornece não só o reconhecimento mundial para a cultura da região, mas também uma proteção extra contra o seu desgaste e uma maior divulgação de seu turismo.

O Piemonte abrange mais de 10 mil hectares de terra e 29 cidades e aldeias, a maioria delas envolvida na produção de vinho.
Outras regiões vinícolas já incluídas na lista de Patrimônio Mundial são a austríaca Wachau, a húngara Tokaj, a suíça Lavaux e a portuguesa Porto Alto do Douro. As regiões francesas de Borgonha e Champagne estão selecionadas para a lista deste ano 2015.

Piemonte se torna Patrimônio Mundial da UNESCO

Piemonte se torna Patrimônio Mundial da UNESCO

 

 

Guia Descorchados 2015 no Brasil

 

Com um evento de lançamento a Guia Descorchados 2015 reunirá produtores da Argentina, Brasil, Chile e Uruguai em evento no Brasil.

O lançamento do maior guia de vinhos da América Latina já tem data para ocorrer no Brasil. No dia 23 de março, o Descorchados 2015 será lançado com uma degustação guiada promovida pelo autor, Patrício Tapia – um dos maiores críticos de vinho do mundo – e a Inner Editora.

A degustação ocorrerá das 17h às 22h no Restaurante Praça São Lourenço, em São Paulo, e contará com a presença de mais de 55 vinícolas, uma mescla entre produtores consagrados e artesanais.  Formando um time de primeira para a degustação.

Novidades do Guia Descorchados 2015

Aliás, entre as novidades do Guia Descorchados 2015 está á inclusão dos espumantes brasileiros, com mapas de suas regiões e ampla avaliação de seus produtores, assim como já ocorre na Argentina e no Chile todos os anos.

No evento de lançamento, jornalistas e profissionais do setor terão a oportunidade de provar alguns dos vinhos vencedores nas diversas categorias do ranking final do Descorchados.

Guia Descorchados 2015 no Brasil

Guia Descorchados 2015 no Brasil

 

Fonte: Revista Adega.

A Festa da vindima do vale de Colchagua – Chile 2015 está chegando

 

Se esta pensando em viajar para o Chile não pode deixar de participar da festa da vindima do vale de Colchagua.

Com 16 anos de historia, a festa da vindima do vale de Colchagua anuncia uma nova e imperdível versão da festa do vinho mais importante de todas as que são realizadas neste país.

Com a participação das 13 vinícolas que fazem parte da Associação de vinícolas do vale de Colchagua e contando com a organização da Municipalidade de Santa Cruz, essa festa promete cativar novamente com grandes novidades.

 Este imperdível panorama está programado para a sexta feira dia 6, sábado 7 e domingo 8 de março de 2015, na Plaza de Armas da cidade de Santa Cruz, onde os assistentes a feria poderão degustar em total mais de 150 vinhos das seguintes vinícolas:

 Festa da vindima do vale de Colchagua - Chile 2015

Festa da vindima do vale de Colchagua – Chile 2015

Vinícolas Participantes: 

Vinícola Bisquertt
Vinícola Casa Silva
Vinícola Casa Lapostolle
Vinícola Montes
Vinícola Los Vascos
Vinícola Montgras
Vinícola Santa Cruz
Vinícola Siegel
Vinícola Santa Helena
Vinícola Viu Manent
Vinícola Luis Felipe Edwards

Mais Iinfo: