Vinícolas da União Europeia podem expandir sua produção

 

UE autoriza seus membros a aumentar áreas vitícolas até 1 % ao ano a partir de 2016

A União Europeia (UE) vem perdendo participação no mercado mundial dos vinhos, apesar do aumento contínuo do volume de suas exportações desde 2008. Um estudo sobre o estado do setor vinícola, que acaba de ser publicado pela Comissão Europeia, mostrou que a UE continuará aumentando suas exportações enquanto a demanda europeia diminuirá.

O comissário de agricultura e desenvolvimento da UE, Phil Hogan, criou o sistema de 1% de crescimento, que, segundo ele, “promoverá flexibilidade para que o setor de vinhos europeus expanda gradualmente a produção, acompanhando a demanda global”. Hogan pondera, no entanto, que membros terão uma série de regras para cumprir. “Para evitar eventuais riscos sociais e ambientais nas áreas de produção de vinho específicas”.

Essas regras permitem aos países que fazem parte da UE aplicar limites de plantio específicos a nível regional. Desde 2008, membros como França, Itália, Espanha e Portugal só recebem autorização para plantar vinhas novas se deixam de cultivar suas uvas em uma área equivalente ao terreno expandido, mantendo sempre as mesmas medidas do campo de produção. Essa regra será desfeita quando o novo sistema for introduzido em janeiro de 2016.

Vinícolas da União Europeia podem expandir sua produção

Vinícolas da União Europeia podem expandir sua produção

Vinho Feteasca Neagra, um tesouro desconhecido da Romênia

 

O vinho Feteasca Neagra da Rômenia é fantástico

Todos nós sabemos que no Brasil os vinhos que tem maior sucesso entre os consumidores são os chilenos e argentinos, e isto é fácil de entender. São países muito próximos desde diferentes pontos de vista. Além disso, o estilo maduro e moderno e a inegável relação de preço e qualidade que os vinhos desses países oferecem são os segredos do sucesso e da preferência dos brasileiros.

Mas chega uma hora que queremos experimentar o diferente, algo para sair da “rotina”, e é ai que aparecem os vinhos europeus.

Porém o objetivo desta matéria não é falar sobre os vinhos do Velho Mundo (França, Itália, Espanha, ect..), e sim compartilhar com vocês um vinho de uma origem tão diferente quanto interessante. É um vinho da Romênia, sei que há muito poucos vinhos deste país no Brasil, então imagino que a grande maioria dos brasileiros não conhece um vinho dessa uva.

Procurei informação sobre a uva Feteasca Neagara, e não encontrei quase nada na internet, mas o pouco que encontrei deu para entender que se trata de uma uva pre-filoxerica, autóctone da Romênia, que está alcançando níveis interessantes de muita qualidade. Na Romênia ela acostuma ser vinificada como vinho seco, meio seco e até doce.

Deixo abaixo uma dica deste vinho que chegou esses dias na Buywine. Ele é tão delicioso quanto diferente:

Feteasca Neagra Private Reserve 2013

Feteasca Neagra Private Reserve 2013

 Ficha Técnica vinho Feteasca Neagra Private Reserva 2013. Bulgaria.

Tipo Tinto
Safra 2013
Volume 750ml
Pontuação Winechef

Winechef 92 Pontos

Winechef 92 Pontos

País Roménia
Uva 100% Feteasca Neagra
Teor Alcoólico 13%
Tipo de Uva Tinta Feteasca Neagra
Visual Impressionante cor cereja, com tons violáceos que evidenciam juventude.
Olfativo A fruta se mostra sem timidez, num estilo exuberante e generoso, começando com intensas notas frutais, que lembram baias silvestres, tipo groselhas e casis, as que logo dão passo as suaves notas a especiarias exóticas, canela, baunilha e cedro, aportadas pela guarda em madeira. É um nariz muito agradável e particularmente diferente, que com a oxigenação do vinho na taça só vá ficando cada vez encantador e mais sedutor.
Gustativo Na boca é ainda mais surpreendente, entrando no paladar com uma doçura de fruta fascinante e uma acidez vibrante e viva, que refresca e entrega a mineralidade num vinho de taninos já maduros, de um corpo delicadamente texturizado e com essa caraterística de frescura que encanta, que refresca e aprofunda a sensação de prazer. Ele é tão especial que é impossível não beber a garrafa toda, em resumo é um vinho extraordinário, diferente, pronto para beber, obrigatório para aqueles que gostam de descobrir novos horizontes sensoriais. Altamente recomendável.
Dica de Harmonização Carpaccio de vitela.
Tagliatelli de ervas com medalhão de mignon ao molho de Gorgonzola.
Gnocchi de batata doce ao molho pomodoro.
Medalhão de filé mignon e capeletti aos quatro queijos.
Lombo assado com alho e alecrim, com batata recheada com cream cheese philadephia.
Medalhão de mignon, em crosta de ervas aromáticas ao molho de vinho tinto.
Temperatura de Serviço 17º C
Potencial de Guarda 10 anos
Nome da Vinícola Cramele Halewood Wines Feteasca Neagra Private Reserve
País de Origem Roménia
Região Dealurile Munteniei

Onde comprar: www.buywine.com.br

 

CEO da Taylor’s Port abandona a tentativa de record no Everest após terremoto no Nepal

 

O time que incluía o chefe da Taylor’s Port, Adrian Bridge e o chef Sat Brains abandonou a tentativa de hospedar o maior jantar no Monte Everest após o devastador terremoto no Nepal.

O time, que está seguro agora, estava na área quando o terremoto começou no sábado, desencadeando avalanches no Everest o que matou mais de 18 pessoas na montanha em si, e suspeita da morte de mais de 3000 no total na tarde de 27 de abril.

Brains, que é chef e proprietário de dois restaurantes “Michelin-star” em Nottingam, tinha sido planejado para preparar o jantar, mas ele já havia saído da expedição devido estar sofrendo de problemas com a altitude elevada. Bridge, CEO do The Fladgate Partnership, dono e casas Port incluindo a de Taylor, Fonseca e Craft, tuitou neste sábado: “Só para deixar todos cientes, eu estou bem no Everest, mais notícias em breve.”. De acordo com o site da expedição, o time tinha saído da base quando o terremoto os atingiu, mas ninguém saiu ferido.

O líder Neil Laughton postou: “Tendo em vista o desenrolar dos trágicos eventos em Kathmandu e no Monte Everest, nós decidimos abandonar nossa tentativa de recorde de Jantar mais alto do mundo e nós estamos retornando para a base.”, “Nossos pensamentos e orações estão com todos os afetados por esse desastre, e nós iremos continuar à levantar fundos para a ação de caridade do Nepal.

O Time tinha planejado bater o recorde mundial por realizar um jantar à .7100m de altura, com Brains criando, preparando e cozinhado a comida.

 CEO da Taylor's Port abandona a tentativa de record no Everest após terremoto no Nepal


CEO da Taylor’s Port abandona a tentativa de record no Everest após terremoto no Nepal

Vinho Sakar safra 1991: O Petrus da Bulgária chegou ao Brasil

 

O vinho Sakar é uma joia rara da Bulgária elaborado a base da uva Merlot, ao igual que o Petrus de Pomerol.

Muitas vezes tenho me perguntado sobre o que é, para mim, um vinho de qualidade? Parece ser uma pergunta muito simples, mas, só parece. Já que, é difícil definir este conceito.

Os apreciadores de vinho costumam afirmar que “um vinho de qualidade é aquele vinho que você gosta”.  Poderia concordar com tal afirmação, mas para ser sincero, não concordo totalmente, e o motivo é muito óbvio e compreensível. As pessoas comumente se interessam e se iniciam no mundo do vinho graças àqueles  vinhos “suaves”, levemente doces ou frisantes, o que não são necessariamente vinhos ruins. Todos concordamos, porém, que logo ao aprender um pouco mais sobre o que é realmente um vinho de qualidade, nos afastamos imediatamente deste estilo e passamos a preferir e consumir vinhos secos.

Vinho de qualidade:

Como veremos a seguir, para um vinho ser considerado “de qualidade”, dever que ter muitos atributos. Primeiro temos que considerar o equilíbrio entre seus diversos componentes: o álcool, a acidez, a fruta, a harmonia com o aporte da madeira, e, no caso dos tintos, temos que considerar também, a qualidade dos taninos e a forma como estes estão integrados ao conjunto (no vinho). Outro elemento absolutamente importante, é o sentido de origem que um vinho de qualidade esta obrigado a ter. O seja, às cegas (degustar sem ver o rótulo) um vinho deveria expressar seu lugar de origem, seu terroir. E, assim, outros vários requisitos que um vinho deve possuir para ser considerado de qualidade.

Estou fazendo essa longa introdução para apresentar um vinho que degustei há uns dias atrás e que me deixou agradavelmente surpreendido:

Vinho Sakar safra 1991. Bulgária

Vinho Sakar safra 1991 O Petrus da Bulgária chegou ao Brasil

Vinho Sakar safra 1991 O Petrus da Bulgária chegou ao Brasil

Este vinho tem, sem dúvida, um excelente nível de qualidade (mas isso, muitos outros vinhos do mundo também tem). A diferencia deste Sakar em relação a muitos outros vinhos de qualidade que tenho degustado, está em sua idade e na forma como ele conseguiu aguentar estes mais de 20 anos.

Antes de abrir a garrafa estava repleto de dúvidas. Mas, felizmente, depois que o vinho abriu na taça, que seus aromas se revelaram, e, principalmente, depois de fazer a análise gustativa, fiquei absolutamente convencido.

Agora, para terminar este breve post, só quero dizer que um vinho tinto para realmente ser considerado um vinho de qualidade, tem que ter a capacidade de evolução, já que, é ai que está a magia nos vinhos. O melhor desta bebida é justamente isso, a complexidade que podem alcançar com a evolução do vinho na taça. Atualmente, 95% dos vinhos tintos que estão no mercado não conseguem durar mais de 3 anos. Ai se justifica a máxima popular que diz: “assim como o vinho, quanto mais velho melhor”. Sim, neste caso, tem acontecido o que diz o ditado.

 

 

Receita Fácil de Escondidinho de Peru

 

Aprenda como preparar o famoso Escondidinho de Peru de uma forma fácil e rápida.

Ingredientes:

4 mandioquinhas
3 batatas
½ xícara de leite
1 colher de manteiga
2 colheres de sopa de azeite
½ kg de sobras de peru assado
1 colher sopa de parmesão
1 dente de alho espremido
1 cebola picada
1 erva doce fresca fatiada
1 colher de chá de semente de erva doce

Modo de Preparo:

Cozinhe a mandioquinha e a batata, esprema e faça um purê com a manteiga e o leite. Tempere com sal e pimenta e reserve. Refogue a erva doce, cebola e alho no azeite. Coloque a semente de erva doce e as sobras do peru desfiado.

Num refratário, alterne uma camada de purê com o refogado de peru, cubra com o purê restante, polvilhe parmesão e leve ao forno para gratinar.

Rendimento: 6 a 8 porções

Escondidinho de Peru

Escondidinho de Peru

 

Fonte: Site Itatiaia

A maior pontuação por Robert Parker na história para um vinho do Chile

 

Conheça sobre o vinho que teve a maior pontuação na história para um vinho chileno, segundo o crítico Robert Parker

Tenho certeza que todos os que alguma vez provaram algum vinho desta vinícola, vão concordar comigo. Esta vinícola boutique tem uma consistência no tempo que é muito difícil de encontrar, e essa é a diferença que tem o vale de Aconcágua em relação a outras regiões vitivinícolas do Chile. Me refiro a vinícola Von Siebenthal, do vale de Aconcágua.

Nesse lugar o clima é muito estável, e as precipitações na época de colheita são quase inexistentes, o que beneficia enormemente as uvas de madures mais tardia – como é o caso das variedades tintas Cabernet Sauvignon, Carménère e Petit Verdot. Essa é uma parte do segredo que Mauro Von Siebenthal conseguiu revelar quando decidiu estabelecer sua vinícola neste terroir. Nunca (em mais de uma década desde a primeira colheita) provei um vinho de Von Siebenthal que tivesse qualidade mediana.

Os vinhos da Von Siebenthal

Eles são sempre muito bons, umas safras melhores que outras – o que é normal, já que, como todos sabem, as características do lugar (e no caso o clima) estão expressas no vinho. Para os que querem se aproximar dos vinhos da Von Siebenthal, recomendo começar pelo estupendo Carmenére Gran Reserva ou pelo Assamblage Parcela # 7. Logo a uma categoria acima, temos o Carabantes que é um Syrah ajudado por uma pequena porcentagem de Cabernet Sauvignon e Petit Verdot, vinho que é, para mim, o melhor custo/benefício chileno nesta faixa de preço.

Já o Montelig é um Premium de grande categoria e que está ao nível dos melhores blends chilenos. O Toknar (que significa ‘pedra’ na língua indígena chilena) é um dos melhores tintos da América do Sul e, segundo Robert Parker (96 pontos), o melhor vinho na sua variedade de uva do mundo. Por último temos o fascinante e escasso Tatay de Cristobal (97 pontos), que é à base de Carménère e que é, nada mais e nada menos, que o vinho com a máxima pontuação (para Robert Parker na história de Chile).

Von Siebenthal Tatay de Cristobal 2007

Von Siebenthal Tatay de Cristobal 2007

Sempre quis fazer para Mauro Von Siebenthal (proprietário da vinícola) algumas perguntas, as que ele respondeu e apresentamos aqui:

 

Alex Órdenes:

O que te fez se apaixonar pelo Chile, a ponto de querer sair da Suíça para viver neste lugar tão remoto e montar um vinhedo?

Mauro Von Sibenthal

A paixão pelo vinho foi a força que impulsionou minha decisão de procurar um lugar excepcional como o Valle de Aconcágua para produzir vinhos que refletissem esta identidade. Foi um projeto, ou melhor, um sonho imaginado por muitos anos e em 1998, durante minha primeira viagem ao Chile, encontrei em Panquehue os primeiros 10 hectares. Hoje são 32 hectares em produção, seis vinhos tintos exportados para 20 países.

Alex Órdenes:

Qual foi o sentimento e a reação na hora de receber a notícia de ter o vinho com a mais alta pontuação do Chile na história, pelo crítico Robert Parker?

Mauro Von Sibenthal

 Foi uma grande emoção, depois de muitos anos de muito trabalho e sacrifícios. Também foi um forte apoio moral para seguir no caminho, e continuar sempre focado em produzir vinhos da mais alta qualidade possível, procurando expressar o melhor que nosso terroir pode nos oferecer.

 

 

Vinho Neyen Blend 2007 Apalta Chile

 

Vinho Neyen Espiritu de Apalta Blend 2007: Um dos meus favoritos ícones chilenos

Neyen é um dos vinhos ícones chilenos mais interessantes desse país. Desde sua primeira safra no ano 2002, ele sempre tem conseguido manter um altíssimo nível de qualidade e tem mantido o estilo elegante e moderno que o caracteriza, mas sempre acompanhado de uma grande concentração e muita profundidade de sabor.

Se você gosta de vinhos desses que não ficam faltando nada, este tinto a base da rainha das uvas tintas, a Cabernet Sauvignon, com um importante aporte da delicada Carménère, esse vinho pode ser uma grande opção.

Vinho Neyen Blend 2007 Apalta Chile

Vinho Neyen Blend 2007 Apalta Chile

Tipo Tinto
Safra 2007
Volume 750ml
Pontuação Winechef

Vinho Neyen Blend 2007 Apalta Chile - 93 pontos Winechef

Vinho Neyen Blend 2007 Apalta Chile – 93 pontos Winechef

País Chile
Região Colchagua
Sub-Região Apalta
Uva 70% Cabernet Sauvignon, 30% Carménère
Teor Alcoólico 14%
Tipo de Uva Tinta Assemblage
Amadurecimento 14 meses em barricas, 70% novas.
Visual Coloração rubi extraordinariamente intenso com reflexos violetas brilhantes.
Olfativo Envolvente perfil olfativo, com frutas negras maduras, figo seco, húmus e café. Impressiona com um caráter muito sedutor e ao mesmo tempo de grande complexidade, sobre fundo mineral e de finas especiarias exóticas e cedro, tudo em uma sublime combinação.
Gustativo É muito concentrado no paladar e muito fiel à sua origem: seu terroir de velhas parreiras no Vale de Apalta. O passo em boca demonstra taninos de fina granulação aliados ao frescor vivaz; a madeira faz-se notar, mas a fruta é que está em evidência e tem uma refinada estrutura tânica, com suculenta profundidade e um nível de qualidade que o coloca entre os melhores vinhos do Chile de todos os tempos. Desde o início, sempre tenho colocado este vinho entre meus favoritos do Chile, mas esta é uma safra sobressalente, a melhor que este vinho produziu até agora.
Dica de Harmonização Faisão assado ao forno com trufas negras.
Côte de boeuf servido com o melhor molho bernaise.
Escalope de lagosta com creme de cassis e perfume de trufas.
Tortelli de batata e cebola caramelizada, trufas negras e lascas de parmesão.
Ravióli de queijo fontina, parmesão e trufa negra fresca.
Magret de canard ao molho de jabuticaba e purê de batata com tomilho.
Tipo de Comida Carnes
Importador Vinos e Vinos
Temperatura de Serviço 17º
Potencial de Guarda 10 anos
Nome da Vinícola Neyen
Ano de Fundação da Vinícola 2002
Propriedade da Vinícola 125 Hectares
Enólogo Responsável Patrick Valette
País de Origem Chile

 

Como conservar garrafas abertas, 2da. parte?

 

Já abriu uma garrafa e bebeu só a metade? Aprenda como conversar e não desperdiçar aquele vinho que você tanto gostou

O método mais profissional, usado na maioria dos restaurantes que oferecem vinho em taça, recorre ao mesmo gás. São câmaras de nitrogênio para várias garrafas; dali o vinho é servido por meio de mangueiras. É perfeito, mas conforme a capacidade pode custar alguns milhares de dólares.

Meias garrafas

O método caseiro mais barato, simples, que mais me agrada, é a utilização de meias garrafas (de 375 mililitros). Ao abrir uma grande, transfira metade do conteúdo para a menor, que deve estar bem limpa. Enchaa por completo e depois arrolhe com a própria rolha do vinho a ser bebido ou com outra qualquer bem limpa. Assim o vinho resistiirá dias ou até semanas.

Espumantes

Conservar espumantes abertos é tarefa ingrata e, convenhamos, abrir um champanhe e não consumi-lo todo vai contra o espírito da bebida e deveria estar no Código Penal. Caso cometa esse crime, existe um Vacu Vin para esse tipo de vinho, que bombeia ar para dentro da garrafa, mantendo a pressão.

Como conservar garrafas abertas

Como conservar garrafas abertas

Porto

O caso dos fortificados, como o Porto, é mais simples. Podemos dividi-los em duas categorias: os que amadureceram longo tempo em madeira, como os Tawnies (10, 20, 30 e 40 anos), e os demais, que foram logo engarrafados, como os Vintage. Os primeiros, por terem passado por um longo estágio de oxidação em sua elaboração, resistem tranqüilamente vários dias depois de abertos, embora percam gradativamente seus aromas. Os outros devem ser bebidos logo, como qualquer vinho de mesa.

Se for impossível consumir toda a garrafa, não se preocupe, afinal, o vinho não foi feito para nos causar preocupações e, sim, dar prazer. Deguste-o no dia seguinte, tendo apenas consciência de que, com o tempo, decairá até oxidar por completo. Se uma garrafa for demais para você, aproveite o pretexto e convide alguém. Com um bom vinho, não é difícil conseguir companhia.

Veja a primeira parte desta matéria:

 

Uma imperdível receita de Alex Atala

 

Assista este breve e interessante vídeo do chef brasileiro Alex Atala, com esta deliciosa receita.

Ele nos mostra passo a passo e conta todos os seus secretos. Você vai sem dúvida surpreender seus convidados na ceia de ano novo.

Chef Alex Atala

Chef Alex Atala

Fonte: Youtube

 

ExpoVinis Brasil 2015 começa hoje

 

ExpoVinis Brasil que é realizado anualmente em São Paulo, é a maior feira de vinhos de América Latina.

 ExpoVinis Brasil é a maior feira do setor na América Latina, uma referência no mercado internacional do vinho.

O evento traz para os negociantes do setor e interessados em geral um panorama mundial do vinho, com produtos originários de regiões produtoras tradicionais, como França, Espanha e Chile e outras menos conhecidas, como Bolívia ou Sérvia, além do melhor da produção nacional.

A programação do evento conta com degustações, espaços de networking, e o Top Ten, eleição dos dez melhores vinhos da exposição.

 

ExpoVinis Brasil 2015

ExpoVinis Brasil 2015

Perfil de ExpoVinis Brasil 2015

Setores: 

Alimentos

lazer

vinho

Bebidas Alcoólicas

Enogastronomia

Enología

Turismo do vinho

 

Periodicidade: Anual

Público: Profissional, Privado

Nova Edição ExpoVinis Brasil: De quarta 22 até sexta 24 abril 2015

Local: Expo Center Norte

Cidade: São Paulo

País: Brasil

Mais informação: ExpoVinis Brasil

 

Credenciamento ExpoVinis Brasil 2015

Com o status de maior evento de vinho da América Latina, a 19ª edição do ExpoVinis Brasil traz, mais uma vez, os principais produtores de diferentes continentes, apresentando novas safras, rótulos e os mais esperados lançamentos do mercado.

O credenciamento digital já está disponível exclusivamente para profissionais do setor. CLIQUE AQUI