Posts

O que nunca ninguém conseguiu explicar. A mudança na cor dos vinhos

 

Aprenda neste post de Winechef como e por que os vinhos mudam de cor.

Na hora de fazer a análise visual, devemos considerar que existem algumas uvas que já entregam desde um princípio uma coloração mais escura ou mais dourada, e também influencia o momento de madures na hora da colheita, o grau de acidez PH do vinho, e a quantidade de S2O (anidrido sulfuroso) utilizado na elaboração (quanto maior é a concentração, maior é a transparência e a fixação da cor). Então temos sempre que estar atentos para não errar na hora de fazer análises visuais.

Outro ponto importante que tenho que mencionar é que os vinhos que passam em barrica têm uma mudança considerável na cor. Assim, um vinho branco pode ser jovem e ter uma cor mais dourada, mas neste caso a causa foi a guarda em madeira (aí vamos ao nariz sentir o aroma da madeira).

No caso dos vinhos tintos acontece algo parecido. Ou seja, o aspecto visual vai estar em constante evolução, o que se explica pela polimerização dos taninos e as antocianos (pigmentos que estão na pele e que entregam a cor do vinho tinto), através da união de suas moléculas que se transformam e juntam, ficando de um tamanho maior – razão pela qual estas ficam com peso maior e precipitam, ficando no fundo da garrafa com um aspecto de “lama”, erroneamente chamadas de “borras”.

Esta evolução permite que a mudança de cor seja muito evidente e funciona da seguinte maneira: os vinhos tintos, quando são jovens, têm sempre um coloração violeta e intensa (independente da concentração). Deve-se considerar os mesmos dois aspectos que mencionamos com o exemplo dos vinhos brancos, ou seja, quando os vinhos tintos passam por madeira, esta acelera a polimerização dos taninos e as antocianos, portanto a cor muda de maneira mais rápida.

Também temos que lembrar que existem uvas com diferentes potenciais de cor. Um bom exemplo é a uva Pinot Noir, que dentro da composição celular de sua pele tem uma baixíssima quantidade de antocianos, razão pela qual seus vinhos têm uma coloração muito mais clara que a média das uvas tintas.

A mudança na cor dos vinhos

A mudança na cor dos vinhos

 

A uva Tintorera

Contrariamente existe uma uva que se chama “tintorera” e que tem uma concentração extraordinária de cor, que é um grande diferencial frente às outras uvas tintas por ter estes pigmentos de cor não só na pele (o que é o normal), mas também no suco, motivo pelo qual é muito procurada e valorizada para “pintar” os vinhos brancos. Assim, em safras nas quais existe escassez de vinhos tintos, as bodegas, usando como base um vinho branco, colocam uma pequena porcentagem de tintorera e transformam um vinho branco em um vinho tinto.

Podemos dizer que, como a evolução os vinhos tintos sempre vai se acelerando, ou seja, o resultado da mudança química e física que acabamos de explicar se traduz agora em uma mudança constante da cor que está estreitamente ligada a uma mudança também sensorial, dos seus equilíbrios, texturas e em termos gerais dos seus aromas e sabores.

As cores que no começo foram violetas e intensas terminam logo após vários anos (ou até décadas) com um aspecto único, com tons claros, que definimos como “tijolo” ou “alaranjados”. Esta é uma etapa crítica, já que esta cor indica claramente que estamos frente a um vinho que já está evoluído. Mas agora o importante será ver se este vinho tinha ou não potencial para evoluir corretamente. Podemos dizer que todos os vinhos envelhecem, mas nem todos melhoram.

A mudança na cor dos vinhos

A mudança na cor dos vinhos

 

Fender cria amplificador para rock e blues feito de barris de uísque

O uísque faz parte da mitologia da música, especialmente em gêneros como o rock e o blues. Nada mais justo do que as referências à bebida atinjam os palcos. A Fender levou a ideia em frente com uma edição limitada de amplificadores, produzidos a partir da madeira de barris de maturação de uísque.

“80 Proff” Blues Junior terá apenas 100 unidades produzidas, e, tal como um bom bourbon (ou single malt, já que a empresa não divulgou qual destilaria participa do projeto), cada amplificador terá detalhes únicos: os gabinetes serão feitos manualmente a partir de diferentes barris de carvalho.

Com alça feita em couro e controles em bronze, além do logotipo da Fender esculpido diretamente na madeira, o amplificador valvulado conta com um alto falante de 12 polegadas e 15 watts de potência. Cada unidade do “80 Proff” Blues Junior será vendida por  US$ 2 mil, a partir de julho.

Fender cria amplificador para rock e blues feito de barris de uísque

Fender cria amplificador para rock e blues feito de barris de uísque

Terremoto golpeia regiões vitivinícolas de Chile

 

O devastador terremoto que sacudiu Chile ontem à noite, causou a evacuação de mais de um milhão de pessoas.

O epicentro fio na região vitivinícola de Coquimbo.

Até agora se tem informação do falecimento de 10 pessoas resultado do terremoto de 8,4 de magnitude, acontecido por volta das 20:00 horas de ontem (horário de Brasília e de Chile).

De acordo com os reportes, vários tsunamis tem chegado até as costas do norte e centro do pais, ameaçando os vinhedos mais próximos à costa.

A alerta de tsunami acaba de ser finalizada no Chile, no entanto, as autoridades de Havaí, Califórnia e Nova Zelândia estado de alerta, devido a que as ondas estão viajando a traves do oceano pacifico.

Enquanto o terremoto teve seu epicentro na região vinícola de Coquimbo, que contém os vales Elqui, Limari e Choapa, que danificou severamente aglomerações urbanas em toda a parte central do país, ao sul até o vale Bio-Bio.

Winechef está em contato com enólogos das regiões afetadas pelo terremoto, e informaremos novidades assim que o impacto do desastre possa ser avaliado.

Terremoto golpeia regiões vitivinícolas de Chile

Terremoto golpeia regiões vitivinícolas de Chile

Empresa japonesa lança vinho para gatos

 

Você pode tomar um vinho na companhia de um gato. Pelo menos no Japão…

É que a empresa japonesa de produtos para pets chamada B&H Lifes começou a vender um vinho feito especificamente para os felinos.

O “Nyan Nyan Nouveau” (em japonês, “nyan nyan” é o equivalente ao nosso “miau miau”) não contém álcool, mas é feito com um suco que tem como base uvas Cabernet.

A empresa decidiu desenvolver a bebida para aqueles que querem comemorar aniversários ou qualquer outra data festiva com seus gatos amados.

Uma garrafa de “Nyan Nyan Nouveau” custa ¥ 410 (cerca de R$ 9). E, ao contrário do vinho real, ele não fica melhor com a idade. A B&H Lifes recomenda o consumo da bebida em até um ano após a fabricação.

Empresa japonesa lança vinho para gatos

Empresa japonesa lança vinho para gat


 

Fonte: Globo

Os cinco segredos para que o vinho da sua adega não vire vinagre

Não há um apaixonado por vinho que não aprecie uma garrafa evoluída, complexa e com todas essas sutilezas que só o passar do tempo pode entregar. Mas não adianta nada guardar vinos, se você não levar em consideração estas cinco dicas

 O lugar ideal para armazenar seus vinhos deve obedecer a estas regras:

Uma adega de vinhos tem que ser escuro

Ninguém duvida que a luz pode comprometer a evolução de um vinho. Exposição a raios de ondas curtas e ultravioletas tendem a desestabilizar compostos orgânicos na bebida e iniciar reações químicas que resultarão em algo desagradável. Um dos motivos de as garrafas de vinhos serem âmbar é esse, pois elas bloqueiam até 90% dos raios luminosos. Garrafas verdes e claras, por sua vez, deixam passar 50% e 10%, respectivamente, da luz. E como esse tipo de vasilhame mais claro é muito usado para armazenar espumantes e vinhos brancos – que, por sinal, são os tipos m ais susceptíveis a sofrer danos relacionados à luz – fica claro que os vinhos precisam ser guardados em lugares escuros.

 Uma adega de vinhos tem que ter umidade

A umidade é um fator importante para não ressecar as rolhas. Com o tempo, se mantidas em ambientes secos, esses vedantes irão ressecar e talvez até rachar. É por isso, por exemplo, que não se aconselha guardar garrafas na geladeira por muito tempo, pois, apesar de ser um local escuro e de temperatura baixa, não há umidade. Rolhas ressecadas perderão a elasticidade e vão permitir mais espaços entre o ar e a bebida, levando à oxidação precoce. Estima-se que a umidade do ambiente deve ser entre 50 e 80% – 70% seria o ideal. Mais do que isso (e, especialmente, em lugares sem ventilação adequada), podem aparecer fungos que, entre outras coisas, irão estragar os rótulos.

Adega de vinhos

Adega de vinhos

 Uma adega de vinhos tem que ser livre de odores

Uma adega precisa ter boa ventilação para não desenvolver fungos e também para evitar maus odores. Com o tempo, compostos aromáticos desagradáveis podem interferir no vinho, portanto, evite tinta fresca ou produtos de limpeza com cheiros fortes.

Uma adega de vinhos tem que ter uma temperatura constante

Como visto nesta reportagem, temperaturas muito altas (acima de 20ºC) aceleram as reações químicas de forma preocupante, e temperaturas muito baixas (menos de 5ºC) fazem com que elas “hibernem” mais do que o desejado (lembrando ainda que, a -4ºC, boa parte dos vinhos congelam, o que não é desejável). Deve-se então mantê-los entre 11º e 15ºC, porém, mais importante que isso, sem grandes oscilações. Variações de mais de 2º ou 3ºC no ano podem ser prejudiciais.

 Uma adega de vinhos não tem que ter vivracões.

Vibrações constantes agitam as moléculas do vinho e impedem que elas se assentem. Em vinhos antigos, por exemplo, isso impedirá que as borras se assentem. No entanto, acredita-se ainda que a agitação acelere as reações e também interfira nos sabores e aromas.

Receita fácil Bolinho de Bacalhau

 

Ingredientes bolinho de bacalhau

1 colher (sopa) de azeite

½ colher (sopa) de alho

2 colheres (sopa) de cebola picadinha

2 batatas médias cozidas, descascadas e amassadas (+/- 280 g)

1 ovo batido

200 g de bacalhau cozido e desfiado (1 xícara de chá)

¼ xícara (chá) de farinha de rosca (30 g)

1 colher (sopa) de azeite

salsinha picadinha, pimenta-do-reino moída e sal a gosto

Receita fácil Bolinho de Bacalhau

Receita fácil Bolinho de Bacalhau

 

Modo de preparo bolinho de bacalhau

1 – Numa panela com 1 colher (sopa) de azeite refogue ½ colher (sopa) de alho, 2 colheres (sopa) de cebola picadinha até dourar.

2 – Transfira o refogado para numa tigela, adicione 2 batatas médias cozidas e amassadas, 1 ovo batido, 200 g de bacalhau cozido e desfiado, ¼ xícara (chá) de farinha de rosca, 1 colher (sopa) de azeite, salsa picadinha, pimenta-do-reino moída, sal a gosto e misture bem até formar uma massa homogênea.

3 – Pegue pequenas porções de massa, faça bolinhas e frite em óleo quente até dourar. Retire e escorra em papel absorvente. Sirva em seguida.

O Almizcle nos vinhos: o aroma da secreção de uma glândula do ânus do cervo almizclero

 

O Almizcle quando está presente nos vinhos entrega um aroma hipnótico, perfeito e afrodisíaco

Um exemplo bem curioso trata-se de um aroma bem desconhecido, o “almíscar”, cuja descrição, na verdade, se refere ao aroma de uma secreção de uma glândula que está localizada perto do ânus do cervo almizclero macho (que é frequentemente usado na alta perfumaria, hoje em dia muito escasso e extremamente caro, conhecido com o nome comercial de “musk”). Este aroma é usado pelo cervo almizclero para chamar a atenção das fêmeas.

A fragrância faz parte da complexidade aromática de grandes vinhos, e se distingue pela sua fineza.

Tem uma grande particularidade, já que também ajuda a fixar os outros aromas mais voláteis do vinho por deduzir a evaporação dos outros componentes.

O aroma se acentua nestes vinhos quando eles chegam ao seu apogeu, e ele é realmente cativante, mas normalmente aparece misturado com outros muitos aromas também complexos.

 

Almizcle nos vinhos

Almizcle nos vinhos

Internautas chamam empresa de vinhos de sexista após anúncio polêmico

 

A produtora de vinhos Premier Estates Wine causou polêmica entre internautas ao veicular uma propaganda em que usa uma taça de vidro para ilustrar a região dos pelos pubianos femininos.

Acompanhada com a hashtag #TastetheBush (Saboreie o arbusto, em português), a publicação da propaganda nas redes sociais indignou usuários, que acusaram a empresa de sexismo.

Internautas chamam empresa de vinhos de sexista após anúncio polêmico

Internautas chamam empresa de vinhos de sexista após anúncio polêmico

Seus vinhos são tão ruins quanto seu comercial estranho e sexista?“, ironizou um internauta no Twitter. “Seus vinhos são tão de mau gosto como a sua publicidade“, comentou outro.

“Então a Premier Estates Wine não crê que deva tratar as mulheres com respeito? Uau, cheia de sexismo”, desabafou outro internauta.

Segundo informações do “Daily Mail”, a “The Advertising Standards Authority”, órgão responsável pela regulamentação dos comerciais no Reino Unido, afirmou que recebeu alguns pedidos para que o anúncio fosse retirado do ar. No YouTube, o vídeo continua disponível.

 

Fonte: Uol.

Assista o video #TastetheBush  da vinícola Premier Estates Wine

 

Chilena Santa Rita investe na Irlanda

 

Estratégia da marca é associar seus rótulos a diferentes climas de Dublin

A produtora de vinhos Santa Rita é a marca chilena mais vendida na Irlanda. Para reforçar sua posição naquele mercado, ela está promovendo uma campanha de verão por meio de propagandas em meios de transporte. O slogan da campanha é: “O vinho é Santa Rita, o momento é de vocês”, e as imagens usadas mostram “momentos no tempo, para desfrutar de vinhos de Santa Rita”, disse a empresa. “Imagens florais constituem a base da campanha de verão, aludindo ao fundo horticultura e raízes de Santa Rita, que são firmemente fundamentadas na produção de vinho”, disse Terry Pennington, diretor de exportação da Santa Rita.

A campanha de verão começa em 7 de julho, tendo como alvo os viajantes em estações de trem e ônibus de Dublin, com painéis digitais mostrando diferentes vinhos de Santa Rita dependendo do tempo: Santa Rita 120 Sauvignon Blanc será exibido quando o tempo está ensolarado e Cabernet Sauvignon quando estiver chovendo.

 

Chilena Santa Rita investe na Irlanda

Chilena Santa Rita investe na Irlanda

 

 

Espírito Santo recebe primeiro encontro de ‘food trucks’

 

Evento começa nesta quinta-feira (11) e termina no domingo (14), na Serra. Confira na reportagem o cardápio com preços a partir de R$ 7.

Os ‘food trucks’ (caminhões de comida, em inglês), que já são vistos pelas ruas da Grande Vitoria vendendo comidas diversas, vão ter um ponto de encontro do dia 11 ao dia 14 de junho. O Espírito Santo vai receber o 1º Encontro de Food Trucks, com 13 opções diferentes de comidas e até de bebidas, não só do estado mas também do Rio de Janeiro e Minas Gerais.

No cardápio, comida japonesa, canadense, italiana, inglesa e de rua, resultando numa grande variedade de opções, oferecidas num só local. E não fica só nas guloseimas e pratos quentes. Amantes de vinho e de cerveja artesanal também poderão fazer suas escolhas em trucks especializados nessas bebidas.

Os veículos estarão estacionados num lounge, montado no pátio do Shopping Mestre Álvaro, na Serra, transformando o local numa parada obrigatória para quem quer degustar uma comida descolada. Os preços são a partir de R$ 7.

1º Encontro de Food Trucks do Espírito Santo

1º Encontro de Food Trucks do Espírito Santo

Negócios

Segundo dados do Sebrae, 2% dos trabalhadores brasileiros investem em comida de rua. É um negócio com alta mobilidade e grandes possibilidades de retorno.

No estado, os ‘food trucks’ ganham cada vez mais espaço: vans, kombis, trailers ou carrinhos de comida que saíram das garagens para se tornarem cozinhas sobre rodas, com boa comida a preços em conta.

Já são cerca de 10 carros em Vitória no modelo ‘food truck’, dos mais variados segmentos alimentícios: sanduíches, docinhos, churrasco, frango, comida internacional e mais 5 devem ficar prontos até o final do ano, segundo a Associação de Food Trucks do Espírito Santo.

As oportunidades estão crescendo. Atualmente, além de vender na rua, eles são chamados para eventos, casamentos, aniversários e tiveram recentemente em Santa Teresa e em Castelo, participando de eventos nas cidades.

Em Vitória, uma lei que regulamenta a atividade foi sancionada em maio. A lei 8.809/15 diz, entre outras regras, que os veículos poderão ter o comprimento máximo de 6,30m e largura máxima de 2,20m.

Outros municípios também começaram a se organizar. Vila Velha já protocolou uma lei e está em processo de votação. A Serra tem projeto, mas ainda não foi protocolado.

 Serviço 1º Encontro de Food Trucks do Espírito Santo

Quando: de 11 a 14 de junho

Quinta e sexta, das 16h às 22h
Sábado e domingo, das 11h às 21h
Onde: Pátio do Shopping Mestre Álvaro
Entrada gratuita. Menu a partir de R$ 7
Informações: (27) 3211-0770