Posts

Leilão de vinhos para vítimas do atentado na França bate recorde

O valor de uma garrafa de vinho leiloada pelo antigo Hospice de Beaune, na região de Borgonha, fundado em 1443 pelo então chanceler Nicolas Rolin para os pobres, atingiu cifras surpreendentes.

Trata-se de um Corton Renardes Grand Cru 2015, arrematado por 480 mil euros, o equivalente a mais de R$1 milhão de reais.

A compradora, de origem francesa, não quis ser identificada – de acordo com a diretora geral da Christie’s, Aline Sylla-Walbaum.

Leilão de vinhos para vítimas do atentado na França bate recorde

Leilão de vinhos para vítimas do atentado na França bate recorde

Parte do valor da venda será revertida para as vítimas dos atentados em Paris, na França, ocorridos na última sexta-feira, dia 13 de novembro.

O recorde anterior da chamada “peça de caridade” – venda cujo benefício vai para obras beneficentes – era de 400 mil euros, em 2010.

Este ano, além das associações já previstas, o Instituto Curie contra o câncer, e a Fundação para pesquisas sobre acidentes vasculares cerebrais, os organizadores do tradicional leilão decidiram reverter parte do lucro para as vítimas dos atentados terroristas.

O evento, que reúne compradores do mundo inteiro, teve início após os presentes respeitarem um minuto de silêncio. Logo em seguida, foi entoado o hino francês, a Marselhesa.

 

 

Fonte: Revista Gosto

Conheça o vinho de excelência feito em prisão

 

O tenor Andrea Bocelli foi convidado pelo presidente do grupo Frescobaldi para participar do projeto realizado por presos na ilha de Gorgona

A família Frescobaldi, tradicional no mundo do vinho, convidou o tenor Andrea Bocelli para apoiar o projeto feito com prisioneiros na ilha de Gorgona que produzem o rótulo Gorgona, resultado da mistura das variedades Vermentino e Ansonica, que recebe o nome da prisão onde é feito.

De acordo com a família Frescobaldi, o objetivo do projeto é dar aos prisioneiros a oportunidade de ganhar experiência profissional no processo de vinificação, o que pode resultar em empregos no momento de suas libertações. Toda a renda arrecadada com os 2.500 exemplares produzidos (além de 200 magnuns) é usada na manutenção do projeto.

Neste ano, a produção do vinho conta com a participação especial do tenor Andrea Bocelli, cujo nome aparece no rótulo das garrafas. “Lamberto Frescobaldi (presidente do grupo) me pediu para apoiar este projeto fantástico e eu estou muito feliz de fazer parte dele”, disse o tenor.

Para o presidente do grupo Frescobaldi, Lamberto Frescobaldi, a parceria entre Bocelli e os prisioneiros irá aumentar a conscientização sobre o projeto. “Espero que a parceria sirva como um exemplo de sustentabilidade social para o futuro” almejou.

Já para o diretor da penitenciária Gorgona, Carlo Mazzerbo, que também teve participação no projeto, é gratificante ver essa ideia crescer. “Nosso principal objetivo é aumentar a conscientização sobre a questão social nas prisões e dar esperança às pessoas para iniciar uma nova vida quando libertadas do cárcere”, comentou.

O Grogona 2013, a segunda edição do vinho, estará disponível nos melhores restaurantes dos Estados Unidos em outubro ao preço de US$ 90 (R$ 205,06) cada.

Conheça o vinho de excelência feito em prisão

Conheça o vinho de excelência feito em prisão

7 curiosidades históricas sobre vinhos

 

Inusitados, os episódios marcaram a trajetória de uma das bebidas mais estimadas do mundo

Que o vinho é muito apreciado, e precisa-se de muito tempo para entendê-lo, todos sabem, no entanto, ele também possui uma história muito antiga, e cheia de curiosidades pouco conhecidas. Selecionamos algumas delas, um tanto pitorescas:

 A expressão “brindar”

1- Originou-se na Roma antiga, quando o Senado ordenou ao imperador Augustus que fosse homenageado com um brinde a cada refeição. O costume começou com um pedaço de pão tostado, chamada pelos romanos de “tostus”, que eles colocavam na taça de vinho, para mascarar eventuais sabores desagradáveis da bebida. Virou costume, assim, que todo mundo em uma refeição levantasse sua taça, para uma pessoa que estivesse sendo homenageada.

 A garrafa de vinho mais antiga do mundo

2- Data do ano 325 a.C. e foi encontrada perto da cidade de Speyer, na Alemanha, em 1867. Acredita-se que é a garrafa não aberta mais velha do mundo. Ela possui cerca de 1,5 litro de bebida e foi descoberta durante uma escavação dentro de uma tumba de um homem pertencente à elite romana do século IV, que possuía dois sarcófagos, um com o corpo de um homem e o outro com o de uma mulher. É provável que o vinho tenha sido produzido na mesma região, diluído com uma mistura de ervas e preservado com uma grande quantidade de azeite espesso adicionado ao frasco para vedar o vinho, juntamente com um selo de cera quente.

O rei Tutancâmon, morto em 1352 d.C., várias garrafas de vinho tinto.

O rei Tutancâmon, morto em 1352 d.C., várias garrafas de vinho tinto.

A oenophobia

3-Embora não seja algo muito comum, muitas pessoas possuem medo de vinhos, esse transtorno é chamado de “oenophobia”, que caracteriza-se como “medo de vinho; ansiedade relacionada ao vinho”.

 A terra do vinho

4-Quando chegaram a América do Norte, os “vikings” nórdicos (exploradores) nomearam o continente como wine land”, ou seja, “terra do vinho”, devido à grande quantidade de videiras que acharam no local.

 O ato de falsificar vinhos

5- É ilegal desde 1.754 a.C., na antiga Mesopotâmia. O código de leis chamado de “Código de Hamurabi” é um dos mais antigos já decifrados atualmente. Ele possui 282 leis, uma das quais afirma que qualquer pessoa que fosse flagrada vendendo vinho fraudado deveria ser afogada em um rio, como meio de punição.

Vinho na tumba do menino-rei Tutancâmon

6-Em 1922, descobriu-se na tumba do menino-rei Tutancâmon, morto em 1352 d.C., várias garrafas de vinho tinto, rotuladas com o nome, safra, local e até o produtor dos vinhos. Os rótulos eram tão detalhados que podem ser comparados com os de hoje em dia.

Sete curiosidades históricas sobre vinhos

Sete curiosidades históricas sobre vinho

 A origem do simpósio

7-Você pode pensar que um simpósio é um encontro de acadêmicos ou profissionais para discutir sua profissão ou debater assuntos atuais, e você estaria certo, porém, também é uma desculpa para beber. O termo simpósio teve origem na Grécia antiga e significa, literalmente, “beber juntos”, refletindo o costume dos gregos de misturar vinho e discussões intelectuais. Simpósios geralmente eram realizados nas casas das pessoas, servia-se comida e vinhos, ao mesmo tempo em que ocorria uma discussão sobre política e filosofia. Eles eram frequentemente realizados para comemorar a introdução de jovens na sociedade aristocrática. Um simpósio era supervisionado por um “symposiarch”, uma versão antiga de um sommelier, que iria decidir  qual vinho seria servido na noite.

 

Fonte: Revista Adega.

 

Fender cria amplificador para rock e blues feito de barris de uísque

O uísque faz parte da mitologia da música, especialmente em gêneros como o rock e o blues. Nada mais justo do que as referências à bebida atinjam os palcos. A Fender levou a ideia em frente com uma edição limitada de amplificadores, produzidos a partir da madeira de barris de maturação de uísque.

“80 Proff” Blues Junior terá apenas 100 unidades produzidas, e, tal como um bom bourbon (ou single malt, já que a empresa não divulgou qual destilaria participa do projeto), cada amplificador terá detalhes únicos: os gabinetes serão feitos manualmente a partir de diferentes barris de carvalho.

Com alça feita em couro e controles em bronze, além do logotipo da Fender esculpido diretamente na madeira, o amplificador valvulado conta com um alto falante de 12 polegadas e 15 watts de potência. Cada unidade do “80 Proff” Blues Junior será vendida por  US$ 2 mil, a partir de julho.

Fender cria amplificador para rock e blues feito de barris de uísque

Fender cria amplificador para rock e blues feito de barris de uísque

Chineses falsificam vinho produzido por Angelina Jolie e Brad Pitt

A parceria entre a família Perrin de Chateau Beaucastel e o casal de atores Angelina Jolie e Brad Pitt começou em fevereiro de 2013, com a fabricação do Provence rosé Miraval 2012.

Na ocasião, as primeiras garrafas foram vendidas em poucas horas. O mesmo ocorreu com a safra 2013, que, no ano passado, chegou a ter lista de espera para a compra das 200.000 garrafas produzidas.

Em 2015, o vinho, que é uma mistura de Grenache, Carignan, Syrah e Rolle, recebeu proteção anticontrafação, para impedir o plágio dos rótulos, na forma de uma marca gravada no pé da garrafa de vidro. A medida é uma resposta dos produtores à ação de falsificadores.

Um dos produtores, Marc Perrin, disse que identificaram fraudes na China: “Notamos evidências de garrafas falsas sendo produzidas e distribuídas na China, assim, tivemos que agir rápido para combater as falsificações”.

Chineses falsificam vinho produzido por Angelina Jolie e Brad Pitt

Chineses falsificam vinho produzido por Angelina Jolie e Brad Pitt

 

 

Receita fácil de Bolinho de Calabresa

 

Bolinho de calabresa é um salgado muito prático e fácil de preparar.

Ele acompanha a perfeição uma boa cerveja e inclusive uma taça de vinho. Para poder preparar esta receita de Winechef, é só querer…

Ingredientes Bolinho de Calabresa

600 g de calabresa.
2 xícaras de leite.
2 xícara de farinha de trigo.
2 pitada de sal.
2 colher (chá) de fermento em pó.
2 ovos.

 Modo de preparo do Bolinho de Calabresa

Para começar, ferva a calabresa (linguiça) por aproximadamente 15 min.

Em um recipiente, bata o ovo, junta o leite e o sal, bata mais um pouco, acrescente a farinha de trigo e o fermento em pó.

Corta em pequenos pedaços a calabresa, mergulha na massa e frite-as, ou pique as e coloque na massa e faça bolinhas e leve para fritar em óleo quente.

Receita facil de Bolinho de Calabresa

Receita facil de Bolinho de Calabresa

Aprenda a conservar uma garrafa que foi aberta, sem estragar

 

 Muitas vezes, abre-se uma boa garrafa de vinho que acaba não sendo totalmente consumida.

Como fazer, então, para conservar a bebida?

Infelizmente, quando em contato com o ar, o vinho começa a se deteriorar rápida e irreversivelmente.

Durante a fermentação e eventual estágio em tonéis de madeira, o oxigênio é benéfico à correta maturação dos vinhos, porém, uma vez engarrafados, passa a ser prejudicial. O fenômeno da oxidação também ocorre em vinhos fechados, mais lentamente, podendo levar muitos anos; em garrafas abertas, no entanto, a deterioração é notada rapidamente. Desaconselha-se até a decantação de vinhos muito antigos, pois, por serem mais frágeis, podem estragar no mesmo instante.

Quanto tempo dura uma garrafa que foi aberta, sem estragar?

Uma vez aberta a garrafa, a oxidação é apenas uma questão de tempo. Quanto tempo? O processo é gradual. A cada dia o vinho estará um pouco mais oxidado, até atingir um ponto em que se tornará impossível bebê-lo – pode demorar horas ou vários dias. Vinhos com mais corpo e mais álcool resistem mais. Nenhum, contudo, escapa à decrepitude e jamais será a mesma coisa no dia seguinte. Podemos usar de artifícios para retardar a perda de qualidade.

A maneira mais óbvia e menos eficiente de conservar uma garrafa aberta é arrolhando- a e colocando-a na geladeira. A refrigeração retardará a oxidação.

Outra maneira, por ser pouco eficiente e nada elegante, mas muito divulgada, é utilizar um canudinho de refrigerante e os próprios pulmões. Coloca-se um pouco de algodão na ponta do canudo para que a saliva não caia no vinho, enche-se o pulmão de ar e prende-se a respiração por alguns segundos. Em seguida, sopre no interior da garrafa. Com isso, ela se encherá de gás carbônico que, por ser mais pesado que o oxigênio, ocupará todo o recipiente. Deve-se arrolhar rapidamente a garrafa e guardá-la na geladeira.

Quanto tempo dura uma garrafa que foi aberta, sem estragar

Quanto tempo dura uma garrafa que foi aberta, sem estragar

O Vacu Vin

Há no mercado uma série de acessórios destinados a conservar garrafas de vinho abertas. O mais conhecido é o Vacu Vin, uma bombinha de sucção e rolhas de borracha que funcionam como válvulas. Com ele, pretende-se retirar o ar de dentro da garrafa. Além de o vácuo não ser perfeito, parte dos aromas do vinho sai junto com a operação.

Wine Saver

Uma outra traquitana é o Wine Saver, uma evolução do Vacu Vin. Trata-se de uma espécie de torneira que, instalada no gargalo, evita a entrada de ar ao se abrir a garrafa. Nesse caso, o vácuo é um pouco melhor, mas como o aparelho deve ser usado durante todo o serviço, o aspecto visual da garrafa fica comprometido.

Winekeeper

Outro equipamento é o Winekeeper, um cilindro portátil de nitrogênio, gás inerte que não altera o vinho. Funciona bem, mas você terá sua garrafa atrelada a um tubo, comprometendo a apresentação e o manuseio. Pode-se adquirir esses acessórios em sites na Internet ou em lojas especializadas.

Continua…

Ter orgasmo e beber vinho trazem mesmo efeito ao corpo; veja

 

Pesquisadores descobrem que hormônio tem mesmo efeito que consumo moderado de álcool

Pesquisadores britânicos da Birmingham University concluíram que ficar apaixonado, ser mãe, ter um cachorro e beber entre um e dois drinques têm muito em comum. Isso porque todos estes itens causam as mesmas sensações no corpo, algumas pelo consumo de álcool, outras porque aumentam a liberação da ocitocina, substância conhecida como “hormônio do amor”. Além do bem estar, ela aumenta ainda a confiança, a generosidade e a empatia nas pessoas.

As maiores concentrações de ocitocina são produzidas na gestação e trabalho de parto , mas o hormônio também é liberado pelo corpo durante o orgasmo, momentos de carinho entre namorados ou com o bicho de estimação. Em todas estas situações, ele produz um bem estar comparado ao efeito do álcool após poucos drinques, como uma ou duas taças de vinho.

Ter orgasmo e beber vinho trazem mesmo efeito ao corpo

Ter orgasmo e beber vinho trazem mesmo efeito ao corpo

A ocitocina, que em alguns países é vendida em formato de spray nasal, ajuda a relaxar e é usada em momentos de apuros e ansiedade como um primeiro encontro ou entrevista de emprego. No entanto, os especialistas alertam para as formas mais naturais de se atingir estes níveis de bem estar. “Se estiver ansioso para um compromisso, um abraço apertado do parceiro pode ajudar muito”, explica Ian Mitchell, responsável pela pesquisa.

No entanto, o hormônio tem um lado negro: aumenta o medo do desconhecido e a agressividade. Isso porque o álcool e a ocitocina deixam as pessoas mais relaxadas, reduzem a noção de perigo levando a correr riscos que em outros momentos pareceriam situações improváveis. Toda esta tendência de comportamento pode causar agressividade, arrogância e raiva. Inclusive, os estudiosos concluíram que psicopatas produzem 10 vezes mais este hormônio.

Ter orgasmo e beber vinho trazem mesmo efeito ao corpo

Ter orgasmo e beber vinho trazem mesmo efeito ao corpo

Mas se estiver pensando que é estranho o mesmo hormônio ser capaz de produzir bem estar, relaxamento instântaneo e também raiva, os médicos esclarecem que esta combinação faz todo sentido já que é a ocitocina que comanda o sentimento de proteção das mães em relação aos filhos, momento que a agressividade entra em ação.

Eles explicam ainda que estas descobertas são válidas para o uso do hormônio em diversos tratamentos que vão desde a anorexia até o autismo. “Não acho que veremos a ocitocina ser usada socialmente como uma alternativa ao álcool, mas é um fascinante neuroquímico e tem possibilidades reais de ser usado em tratamentos psicológicos e psiquiátricos. Entender como exatamente ele cria e altera o comportamento pode trazer muitos benefícios”, afirma Dr. Steven Gillespie, outro especialista no assunto.

 

Fonte: Terra

Os melhores 15 filmes para apaixonados por vinhos

 

Alguns longa-metragens que elegeram o vinho e as vinícolas, como pano de fundo para contar suas histórias. Nesta lista, as obras mostram que ficção e realidade podem casar tão bem quanto uma taça de vinho com fundue de queijos no inverno.

 

1 – O Rato Que Ruge (EUA, 1959). Direção: Jack Arnold

Em um fictício “menor país do mundo”, localizado entre a França e a Suíça, a única fonte de renda existente é a exportação de um famoso vinho para os Estados Unidos. No entanto, uma falsificação feita na Califórnia faz com que o país pare de importar o produto. Pensando em uma resposta, o primeiro-ministro declara guerra aos EUA (esperando alguma ajuda depois da inevitável derrota), mas o problema é que eles “vencem” a guerra e vão ter de enfrentar as consequências.

2 – O Vale das Paixões (EUA, 1959). Direção: Henry King

Na década de 1930, uma jovem sai da Inglaterra com destino à Califórnia para ajudar os seus tios, produtores de vinho que mantiveram seus lucros mesmo nos anos de seca. Mas o que a garota não imagina é que o objetivo da família é arranjar um casamento dela com um herdeiro de outra vinícola e assim unir as terras.

3 – O Segredo de Santa Vitória (EUA, 1969). Direção: Stanley Kramer

Nesse clássico de Stanley Kramer, um vilarejo que produz vinhos recebe a difícil missão de esconder as garrafas italianas dos alemães nazistas durante a Segunda Guerra Mundial.

4 – Vicky Cristina Barcelona (EUA, 2008). Direção: Woody Allen

Há quem diga que nesta obra de Woody Allen o vinho poderia ser indicado ao Oscar de melhor ator coadjuvante. Tão presente, a taça acompanha o trio estrelado por Javier Barden, Scarlet Johanson e Penélope Cruz em quase todas as cenas pela cidade espanhola. Um delicioso filme! 

Vicky Cristina Barcelona

Vicky Cristina Barcelona

5 – Caminhando nas Nuvens (EUA, 1995). Direção: Alfonso Arau

Keanu Reeves interpreta um jovem soldado da Segunda Guerra que se oferece para passar por marido de uma jovem grávida, assim contendo a ira do pai – um vinicultor do interior dos Estados Unidos.

6 – Conto de Outono (FRANÇA, 1998). Direção: Eric Rohmer

Viúva, Magali se dedicou à produção de vinhos desde então – quando seus filhos também foram embora. Mas agora a personagem de Marie Rivière vai cair nas graças da missão de sua melhor amiga: achar um novo marido para ela.

7 – Horizonte Sem Limites (EUA, 1998). Direção: John Huddles

Rossu planeja vender a coleção de vinhos de sua família com o objetivo de adquirir uma propriedade rica em minérios. Mas o jovem encontra seu tio Cullen, um homem com planos muito mais bizarros para o tesouro da família.

8 – Mondovino (FRANÇA/ITÁLIA/ARGENTINA/EUA, 2004). Direção: Jonathan Nossiter

Nesse documentário, Jonathan Nossiter decide investigar a globalização de uma forma diferente: utilizando o vinho como pano de fundo da sua pesquisa. No filme, ele narra a “guerra” entre as famílias produtoras – como na Califórnia e Borgonha. Muito conceituado mundo afora, o filme dá um novo olhar para o mundo dos vinhos.

Mondovino

Mondovino

9 – Sideways – Entre Umas e Outras (EUA, 2004) . Direção: Alexander Payne

Presente na já citada lista de filmes sobre o mundo rural, Sideways não poderia ficar de fora dessa. Considerado um dos filmes de vinhos mais marcantes, o longa conta a história de dois amigos que descobrem no vinho e em suas próprias companhias uma forma de aproveitar e refletir um pouco mais sobre a vida.

Fato curioso: o filme ajudou a Pinot Noir a se transformar em um dos vinhos mais vendidos dos Estados Unidos.

10 – Um Bom Ano (EUA, 2006) . Direção: Ridley Scott

Também presente na lista prévia, o longa de Ridley Scott é outro indispensável quando pensamos na relação da bebida com o cinema. Russell Crowe é um acionista londrino que se vê obrigado a voltar para a França – onde passou a infância em um lindo Chatêau ao lado de seu tio. No filme, uma taça de vinho é capaz de mudar vidas.

11 – Entre Vinhos e Amores (EUA, 2007). Direção: Allison R. Hebble

Nesse interessante romance, três histórias entrelaçadas mostram como amor, alegria e questionamentos complexos como o que toca à infidelidade podem ser encontrados em uma cozinha. E, claro, uma taça de vinho para acompanhar a sequência de todos os personagens.

12 – O Julgamento de Paris (EUA, 2008). Direção: Randall Miller

Baseado em fatos reais, o filme retrata a competição internacional de melhor vinho de 1976 – quando surpreendentemente os franceses perderam para os californianos. A história do dia 24 de maio de 1976 – dia em que uma degustação às cegas deu o “épico” prêmio às bebidas da Califórnia – pode ser completamente conferida no longa.

O Julgamento de Paris

O Julgamento de Paris

13 – O Ano do Cometa (EUA, 1992). Direção: Peter Yates

Quando Margaret Harwood vai à Escócia para catalogar os vinhos do seu pai, ela encontra uma raríssima garrafa de vinho, produzida no ano da passagem do cometa Halley, em 1811. Depois disso, ela terá que fugir de um grupo de mercenários que estão atrás da garrafa.

 

14 – Blood Into Wine (EUA, 2010). Direção: David Roach

O documentário conta a história de um roqueiro que decidiu produzir vinhos no Arizona, interior dos Estados Unidos. No longa, temos a chance de aprender muito mais sobre a atuação dessa região na produção da bebida.

15 – Red Obsession (EUA, 2013). Direção: David Roach

Neste outro documentário, temos a chance de conhecer a história da obsessão chinesa por vinhos franceses, em especial os da região de Bordeaux. Narrado por Russell Crowe, o filme mostra como o país asiático vem se tornando um dos principais polos de aquisição da bebida, considerada fonte de turismo, gastronomia e luxo.

Red Obsession

Red Obsession