Posts

Vinho tinto pode ser um eficiente remédio contra o câncer de próstata

 

Pesquisadores da Universidade de Missouri, nos Estados Unidos, descobriram que um componente encontrado nas cascas de uva e no vinho tinto, o resveratrol, é um eficiente remédio contra o câncer de próstata.

A substância deixa as células do câncer mais suscetíveis à radiação do tratamento de radioterapia.

Nos estudos conduzidos pela instituição, a combinação entre resveratrol  e o tratamento terapêutico matou até 97% das células cancerígenas. Não existe previsão se o procedimento será aplicado em seres humanos.

 

Vinho tinto pode ser um eficiente remédio contra o câncer de próstata

Vinho tinto pode ser um eficiente remédio contra o câncer de próstata

 

Câncer de próstata no Brasil

No Brasil, o câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens (atrás apenas do câncer de pele não-melanoma).

Em valores absolutos, é o sexto tipo mais comum no mundo e o mais prevalente em homens, representando cerca de 10% do total de cânceres.

Sua taxa de incidência é cerca de seis vezes maior nos países desenvolvidos em comparação aos países em desenvolvimento.

Os dados são do INCA (Institito Nacional de Câncer).

 

Veja Também:

 

Vinho e Saúde: Vinho pode prevenir Diabetes em mulheres com sobrepeso

 

Consumo de vinho pode ajudar na prevenção da diabetes e de outros problemas, dizem especialistas

Segundo cientistas franceses, o consumo moderado do vinho pode ajudar a prevenir a diabetes tipo 2 em mulheres com sobrepeso, além de outros transtornos físicos.

Uma pesquisa do Instituto da França de Pesquisas Médicas mostrou essa descoberta e foi além: Os envolvidos no projeto estudaram especificamente o efeito do consumo moderado de vinho nas mulheres e foi descoberto que quanto mais cedo elas começam tomar vinho menor é o risco de desenvolver a diabetes tipo 2.

O Dr. Guy Fagherazzi, autor principal do estudo, disse em entrevista ao Wine Spectator: “Nós achamos que o consumo moderado de vinho pode ser benéfico para todos os indivíduos, não só para aqueles que estão com sobrepeso”. No estudo foram analisadas 66.485 mulheres, as quais foram avaliadas sob vários aspectos, incluindo o consumo de vinho durante a vida inteira.

Entre todas as mulheres, o consumo de 0.5 a 1 taça de vinho por dia mostrou uma leve redução do fator diabetes. Porém, verificou-se que no caso de mulheres com sobrepeso o consumo de duas taças ou mais pode reduzir em proporções muito maiores o risco da diabetes tipo 2.

Os autores da pesquisa sugerem que a razão desse benefício decorre da presença dos antioxidantes do vinho, que também estão associados aos benefícios cardiovasculares da bebida. Outras pesquisas também mostraram que o vinho pode ser benéfico no trato da osteoporose, acne, perda auditiva e do câncer de ovário.

Vinho pode prevenir Diabetes em mulheres com sobrepeso

Vinho pode prevenir Diabetes em mulheres com sobrepeso

 

Veja Também:

 

Viagra é encontrado em álcool destilado

A polícia está investigando dois destiladores na Província de Guangxi, na Chine, sobre alegações de que eles adicionaram Viagra em garrafas de um álcool destilado (Baijiu).

Sildenafil, mais conhecido como medicamento anti-impotência “Viagra” foi encontrado recentemente em três produtos Baijiu, extraído de uma planta na cidade de Luizhou, província de Guangxi.

Conforme relatado pela Reuters, mais de 5.300 garrafas de álcool foram apreendidos pelos investigadores que também foram encontrados pacotes de Sildenafil na forma de pó.

O Liuzhou Food and Drug Administration disse que o pó foi adicionado a três diferentes tipos de Baijiu. Esta bebida espirituosa forte, e é a bebida mais popular da China.

Viagra é proibida como aditivo alimentar na China e não é adequado para pessoas com problemas cardiovasculares.

Não é o primeiro caso em que o Viagra foi adicionado ao licor Baijiu na China. No ano passado, um empresário de Hubei, centro da China foi detido pelo mesmo crime.

Viagra é encontrado em álcool destilado

Viagra é encontrado em álcool destilado

 

Fonte: Drink Business

 

Veja Também:

 

 

 

Vinho pode reduzir riscos de câncer

Pesquisa nos Estados Unidos mostra que os flavonoides presentes na bebida diminuem as chances de se desenvolver tumor no esôfago

O vinho não cura doenças, mas ajuda a preveni-las. A revista britânica “Journal of Cancer” publicou um estudo feito pela Universidade da Carolina do Norte, nos EUA, liderado pela epidemiologista Jessica Petrick, que mostrou que os flavonoides encontrados nos vinhos reduzem em até 57% as chances de pessoas com histórico de câncer no esôfago na família de contrair a doença.

Durante dois anos os pesquisadores observaram um grupo de 1.000 pessoas que tinham sido diagnosticadas com adenocarcinoma de esôfago e acarcinoma de células escamosas do esôfago (dois tipos de câncer do esôfago). Eles coletaram dados sobre dietas dos participantes, monitorando sua ingestão total de flavonoides.

Curiosamente, a ingestão de flavonoides a partir de fontes como o chá preto e o suco de laranja não mostrou associação com a incidência de qualquer tipo de tumor. No entanto, o consumo de um determinado tipo de flavonoide, chamado antocianidina, que contribuem para o pigmento de vinho, foi responsável por diminuir a incidência dos dois tipos de câncer esofágicos.

Um tipo de flavonoide encontrado no café foi modestamente benéfico, mas, de longe, os resultados mais promissores vieram de consumo de vinho.

Vinho pode reduzir riscos de câncer

Vinho pode reduzir riscos de câncer

Fonte: Revista Adega.

Esta com gripe?…então beba vinho, diz estudo da Universidade de Auckland, na Nova Zelândia!

 

Estudos apontam que flavonoides do vinho ajuda a diminuir em 33% a contração de infecções no sistema respiratório.

Pesquisa realizada na Universidade de Auckland, na Nova Zelândia, aponta que pessoas que consomem vinhos estão menos vulneráveis à gripe.

De acordo com Andrea Braakhuis, autora do estudo, isso se deve a um elemento encontrado em grande quantidade no vinho tinto: flavonoide; composto químico que ajuda a diminuir em 33% a contração de infecções no sistema respiratório.

“Isso significa que, se você costuma ficar gripado três vezes no ano, isso pode ser diminuído para apenas duas”, relata Andrea.

Ainda segundo o estudo, a ingestão dos flavonoides não precisa ser em alta quantidade para obter o “efeito protetor”, a partir de 0,2 grama – quantidade existente numa taça de vinho – já é possível constatar o resultado.

Esta com gripe...tome vinho diz estudo da Universidade de Auckland, na Nova Zelândia!

Esta com gripe…tome vinho diz estudo da Universidade de Auckland, na Nova Zelândia!academia parker 

 

Fonte: Revista Adega.