Posts

Vinho e cerveja têm mais em comum do que se pensa

 

Vistas atualmente como antagônicas, as duas bebidas surgiram de modo muito parecido e perfizeram trajetórias similares em diferentes culturas

Vinho e cerveja costumam ser vistos como bebidas opostas. Uma está ligada a calor, festas, bares e futebol enquanto outra combina mais com frio, jantares românticos e discussões intelectuais. O que poucos sabem é que, apesar de muito diferentes, elas possuem muitas coisas em comum.

A começar pela história, o vinho e a cerveja foram descobertos da mesma forma, ou seja, por processo de fermentação que ocorreu por acidente. O vinho, acredita-se, foi descoberto por volta do ano 8000 a.C., data dos primeiros registros de plantio de uva feito pelo homem.

Já a cerveja não possui um período definido de seu surgimento, no entanto, sabe-se que foi descoberta sem querer também, quando um recipiente de grãos (inicialmente para fazer pão) foi esquecido aberto e, quando choveu, os grãos germinaram e revelaram o processo de maltagem, que criou as condições necessárias para fabricação da cerveja.

Vinho e cerveja têm mais em comum do que se pensa

Vinho e cerveja têm mais em comum do que se pensa

No que diz respeito às lendas, as bebidas também convergem. No antigo Egito tanto o vinho como a cerveja eram considerados líquidos sagrados. Os faraós queimavam vinhedos para oferecê-los aos deuses, assim como os sacerdotes utilizavam a cerveja para realizar rituais sagrados. Por isso, apesar de parecerem muito diferentes na cultura atual, as duas bebidas tiveram origem e funções muito parecidas.

 

Vinho com mais de 1.600 anos intriga a ciência

Ninguém ainda provou da bebida mais antiga de que se tem notícia!

Quando, em 1867, pesquisadores deram início às escavações na cidade alemã de Speyer, não suspeitavam que, além dos restos do nobre romano que procuravam, encontrariam no local várias garrafas de vinho produzidas entres os anos 325 e 359. 

Embora a maioria das garrafas encontradas tenha sido destruída com o passar do tempo, uma delas sobreviveu, e seu conteúdo continua intrigando os cientistas até hoje.

Embalado em uma garrafa de vidro grossa e fechada hermeticamente com uma camada de cera, o vinho de Speyer teria sido elaborado com uma mistura de ervas e grandes quantidades de azeite de oliva.

Vinho com mais de 1.600 anos intriga a ciência

Vinho com mais de 1.600 anos intriga a ciência

Alguns especialistas acreditam que ainda está conservada em sua composição uma porção de álcool etílico, enquanto outros especulam que grande parte do etanol se perdeu durante os quase 1.500 anos que esteve debaixo da terra. 

Atualmente, o elixir milenar está conservado no museu de Speyer. O recipiente nunca foi aberto, por medo de que a exposição ao ar exterior arruinasse seu conteúdo valioso.

 

Veja também:

 

 

Vinho Herdade Da Mingorra Uvas Castas Tinto, 2008

País Portugal
Volume 750ml
Tipo Tinto
Safra 2008
Uva 50% Alentejo (Aragonez, Alfrocheiro, Alicante Bouschet) e 50% Douro (Tinta Barroca, Tinta Roriz)
Teor Alcoólico 14%
Tipo de Uva Tinta Assemblage
Amadurecimento 18 meses de estágio em madeira de carvalho francês.

 

Vinho Herdade Da Mingorra Uvas Castas Tinto, 2008

 

Visual Rubi concentrado tendendo ao granada.
Olfativo Impressiona pela potência aromática, com os aromas tostados e torrados, entregues pela guarda em madeira, absolutamente marcados, o que outorga uma sensação doce e com abundância de especiarias. Há muito chocolate amargo, cravo, café, e suaves notas de couro, produto da aparição de aromas terciários já provenientes da evolução. As notas de cerejas maduras e ameixas secas da uva começam a aparecer em diferentes camadas, em um vinho de um alto nível qualitativo e de excelente complexidade no nariz.
Gustativo Mantém um excelente nível também no paladar, é extremamente concentrado, denso, intenso e profundo, com a madeira mais uma vez bem presente. Com generosa fruta madura que consegue entregar equilíbrio a um vinho de características muito interessantes. Um vinho robusto, suculento, de muito corpo, altamente recomendável.
Dica de Harmonização Medalhão de mignon grelhado em molho de quatro queijos, pimenta e vinho branco, gratinado e servido sobre crepes de champignon.
Risoto de carne seca com cassis e shitake.
Codorna selvagem recheada ao molho de especiarias.
Galinha d’Angola ao forno, arroz basmati ao molho do assado e especiarias.
Ensopado de faisão com polenta branca trufada.
Temperatura de Serviço 17°
Potencial de Guarda 15 anos
Nome da Vinícola Herdade Da Mingorra
Enólogo Responsável Henrique Uva
Pontuação WineChef

Vinho Herdade Da Mingorra Uvas Castas Tinto, 2008

Vinho Herdade Da Mingorra Uvas Castas Tinto, 2008 – 93 pontos WineChef

 

Cruzeiro é a 1ª equipe do mundo com Clube de Vinho para a torcida

O Cruzeiro anunciou nesta quinta-feira uma iniciativa inédita entre os clubes de futebol e que vai mexer com a Nação Azul. O Tetracampeão Brasileiro lançou o “Clube do Vinho Cruzeiro”, em que o torcedor estrelado poderá adquirir vinhos da melhor qualidade com preços especiais, além de receber os produtos no conforto de sua casa. A ação é uma parceria com a Casa Rio Verde/VinhoSite.

Na plataforma, o cruzeirense terá à disposição os melhores vinhos comercializados pela Casa Rio Verde, uma das mais tradicionais empresas do ramo no Brasil. Para fazer parte do Clube, o torcedor pagará uma assinatura mensal no valor de R$ 119,80. Aqueles que são Sócios do Futebol terão um desconto de 5% no momento da adesão, na compra de vinhos e kits avulsos no “Clube do Vinho Cruzeiro” e nas lojas físicas da Casa Rio Verde.

Feliz com a novidade, o Diretor Comercial da Raposa, Robson Pires, afirmou que o Clube do Vinho do Cruzeiro está nos mesmos moldes dos principais clubes do tipo existentes na internet.

Cruzeiro é a 1ª equipe do mundo com Clube de Vinho para a torcida

Cruzeiro é a 1ª equipe do mundo com Clube de Vinho para a torcida

“É um clube de relacionamento destinado aos cruzeirenses que gostam de vinho. A pessoa fará a adesão pela internet ou nas lojas da Casa Rio Verde, irá pagar uma mensalidade e receberá todo mês vinhos selecionados pelo clube. O torcedor do Cruzeiro terá condições e promoções especiais para aquisição. Ele estará consumindo bons produtos, além de prestigiar o time do coração”, declarou.

Mas as novidades não param por ai. O dirigente adiantou que o Cruzeiro terá um vinho oficial licenciado, que será comercializado no Clube do Vinho, nas lojas oficiais e na Casa Rio Verde. Pires disse que era um desejo antigo do Maior de Minas em ter o produto.

“Sempre tivemos interesse em fazer o licenciamento de um vinho, já que é um produto que se identifica com as origens italianas do Cruzeiro. Será um bom produto, com preço convidativo e que poderá ser encontrado no mercado em geral”, finalizou.

Cidade italiana ganha fonte de vinho; a bebida é gratuita

Uma cidade na Itália, país conhecido pela culinária e vinhos, acaba de ganhar um presente saboroso: uma fonte de vinho. Em vez de água, a fonte jorra a bebida alcoólica, e fica localizada dentro de um vinhedo na região de Abruzzo. A melhor parte é que não é preciso pagar para tomar uma taça do vinho da fonte.

Segundo informações do site “The Local”, a Itália tem outras fontes de vinho, mas esta, localizada na vinícola Dora Sarchese, na cidade Caldari di Ortona, é a primeira que vai oferecer vinho 24h por dia ininterruptamente.

A estratégia é aproveitar o fluxo de peregrinos que passam pela cidade fazendo o caminho de São Tomás de Aquino, uma rota turística, para movimentar a fonte e a vinícola.

 

Cidade italiana ganha fonte de vinho; a bebida é gratuita

Cidade italiana ganha fonte de vinho; a bebida é gratuita

A fonte tem o formato de um barril, com aproximadamente três metros de diâmetro. Dentro, há uma torneira, de onde as pessoas poderão coletar o vinho.

A fonte foi inaugurada nesta semana e atraiu centenas de pessoas para provarem o vinho.

Os organizadores ressaltam que a atração não será um espaço para beberrões e, sim, para apreciadores.

 

Veja Também:

 

 

 

China envia videiras para o espaço

A paixão chinesa pelos vinhos é recente, mas avassaladora. Para além de ser atualmente o quinto mercado a nível mundial, a China investiu para se tornar igualmente um grande produtor.

Hoje, podemos encontrar vinhas nas faldas do planalto tibetano, no deserto de Gobi, nas encostas rochosas da província de Ningxia… E também no espaço: a bordo do novo laboratório espacial Tiangong-2, lançado em Setembro, seguiram vários pés de vinha.
O objetivo é estudar o desenvolvimento das plantas no espaço e estudar possíveis mutações que possam surgir em resultado da exposição à “radiação espacial”, tornando as videiras mais resistentes a condições climatéricas adversas e solos difíceis.

A explicação foi adiantada pelo site DecanterChina.com e citada pelo jornal britânico “The Guardian”. A bordo do Tiangong-2 seguiram pés das castas Cabernet Sauvignon, Merlot e Pinot Noir.

 

China envia videiras para o espaço

China envia videiras para o espaço

Veja Também:

 

 

‘Game of Thrones’ ganha linha de vinhos inspirada na série

‘The Wines of Westeros’ apresenta doze sabores que levam, cada um, o nome de uma casa ou grupo da série

Na série Game of Thrones, o vinho pode ser considerado um personagem do elenco, que causa reviravoltas e até mesmo assassinatos. Sendo assim, nada mais apropriado que uma coleção de vinhos inspirada no seriado para ser compartilhada pelos fãs – sem o risco de morte, claro.

Segundo o site da revista americana Entertainment Weekly, no ano que vem, antes da estreia da quinta temporada da série, será lançado o The Wines of Westeros, composto por doze sabores de vinhos, batizados com os nomes das casas ou facções dos reinos de Westeros.

O sabor das bebidas está relacionado ao temperamento dos personagens das casas. “Os vinhos tintos são associados às casas com pessoas robustas e de personalidade forte”, diz Jane Burlop, assessora do projeto. “Os brancos, por outro lado, são para os personagens mais misteriosos e perceptivos”.

No site oficial da coleção, cada vinho tem uma explicação divertida relacionada ao nome. A família Stark, por exemplo, dá nome ao vinho suave Sauvignon Blanc. “O inverno está chegando. Pegue seus casacos de pele, chame seu lobo gigante e rejeite todos os convites para casamentos”, diz a descrição.

Já a casa The Targaryen é “dona” do vinho tinto Syrah. “Siga a mãe dos dragões entre as chamas e você será liberto das correntes. Servir com o coração cru de um cavalo. Terminar esta garrafa antes que seus dragões apareçam.” O valor das garrafas ainda não foram divulgados. Quem acessar o site, pode deixar seu e-mail para contato e selecionar qual vinho o interessa, para ser avisado da disponibilidade para compra assim que o produto estiver disponível.

‘Game of Thrones’ ganha linha de vinhos inspirada na série

‘Game of Thrones’ ganha linha de vinhos inspirada na série

 

Veja Também:

 

 

 

Ultra-sons para reduzir o tempo de maturação nos tintos

Um projeto com investimento da União Europeia – Horizonte 2020 – vai tentar desenvolver um método de acelerar a maturação de vinhos tintos. A tecnologia do UltraWine (o seu nome) é nova e baseia-se na utilização de ultra-sons de alta potência (HPU, a sigla em inglês).

Na teoria, quando o mosto ou vinho está macerando, a aplicações destes ultra-sons provoca fenómenos de cavitação e a criação de pequenas bolhas que tendem a colidir entre si, implodindo e liberando energia.

Este fenómeno vai depois gerar o desgaste da pelicula das uvas, facilitando assim a liberação da cor e dos componentes fenólicos das uvas. Qual é a vantagem? Será possível, calculam os cientistas, reduzir para metade o tempo de maturação dos tintos.

Esta vantagem é especialmente importante nas adegas que têm que vinificar grandes quantidades de vinho tinto e que têm insuficiente capacidade de cubas de inox: assim liberam-se as cubas mais depressa para receberem nova carrada de uvas, algo extremamente importante no meio de qualquer vindima.

Ultra-sons para reduzir o tempo de maturação nos tintos

Ultra-sons para reduzir o tempo de maturação nos tintos

Por outro lado, este método irá tratar as uvas por um processo mecânico – ao invés do normal, que é térmico. Como os normais tratamentos térmicos podem trazer consigo aromas e sabores próprios, o método de ultra-sons poderá respeitar melhor os aromas varietais nos vinhos.

A maior parte da investigação está neste momento a cargo do departamento de Agro-química e Tecnologia de Alimentos da Universidade de Murcia (UMU), embora a promotora do projecto seja a empresa Agrovin, especializada na fabricação e distribuição de produtos enológicos.

 

Fonte: Revista de Vinhos de Protugal

Veja Também:

 

Adega Mayor Caiado Tinto, 2014

Estreia no mercado a línea Caiado, da vinícola portuguesa Adega Mayor, com um vinho branco, um rose e o tinto, que é analisado em profundidade neste post:

País Portugal
Volume 750ml
Tipo Tinto
Safra 2014
Sub-Região Alentejo
Uva 50% Aragonez, 30% Trincadeira e 20% Cabernet Sauvignon
Teor Alcoólico 13.50%
Tipo de Uva Tinta Assemblage
Adega Mayor Caiado Tinto, 2014

Adega Mayor Caiado Tinto, 2014

 

Visual Vermelho rubi com tons violáceos.
Olfativo A proposta desse vinho cativa pela sua pureza e forma na qual expressa seus aromas, em distintas camadas. Inicialmente as notas de framboesas se destacam, deixando suaves nuances balsâmicas tendo como coadjuvantes as especiarias, formando um nariz muito sedutor, maduro e muito moderno.
Gustativo Continua com um excelente nível também no paladar, com os elementos primários provenientes da uva sempre tendo o controle. Seus taninos, apesar da juventude, são de uma textura sedosa, integrados num corpo médio, que flui com agilidade, saboroso e refrescante. Um best value extraordinário.
Dica de Harmonização Galeto grelhado.
Perfeito para antipastos italianos.
Pizza de muzzarela com peperone e azeitonas pretas.
Carpaccio de carne.
Churrasco brasileiro.
Temperatura de Serviço 15 ºC
Potencial de Guarda 5 anos
Pontuação Winechef

Adega Mayor Caiado Tinto, 2014 - 91 pontos Winechef

Adega Mayor Caiado Tinto, 2014 – 91 pontos Winechef

 

 

Veja o ranking atualizado das uvas mais prantadas no mundo

Até alguns anos atrás era a uva branca Airen a que liderada o ranking das uvas mais prantadas do mundo.

Airen, que pode ate soar como desconhecida mesmo para muitos amadores de vinhos é ate hoje a variedade mais prantada na Espanha, aonde e usada para elaborar misturado com outras uvas brancas e principalmente para elaborar destilados.

A rainha das uvas, a Cabernet Sauvignon assumiu a liderança e curiosamente e Merlot ocupa a segunda posição. Falamos curiosamente, porque pensávamos que esta uva estava em retrocesso, pelo menos é essa o que se percebe no mercado. Não existem muitos Merlot no mercado, e só dar uma olhada na carta de vinhos num restaurante o numa loja de vinhos.

A Syrah deu um “pulo” impressionante. Nos anos 90s ocupava o lugar número 35, mais hoje esta nos tops ten (no sexto lugar).

Veja a lista embaixo:

Ranking atualizado das uvas mais prantadas no mundo

Ranking atualizado das uvas mais prantadas no mundo