Posts

Frutos de mar. Branco o tinto?

 

Aprenda a harmonizar frutos de mar

A gastronomia é um mundo fascinante, cheio de detalhes, de cores, de aromas e sabores. Cada prato tem vida própria e representa o estilo do autor, da pessoa que o elaborou. Sentar frente a um prato visualmente agradável, bem decorado, colorido, com agradáveis aromas e bom sabor é uns dos maiores prazeres de um grande número de pessoas no mundo.

Estas pessoas que adoram a gastronomia são as mesmas que adoram também o vinho.  Já tiveram a oportunidade de provar um prato gostoso, de qualidade, delicioso, mas sem a companhia de uma taça de vinho? Dá a impressão que algo está faltando. Acho que é a magia da cumplicidade entre dois produtos que se complementam sublimemente.

Sobre a harmonização em si, felizmente existe em forma natural e espontânea uma relação sensorial que faz com que o vinho harmonize com a comida, e a probabilidade de que esta seja totalmente inexistente é muito baixa.

Para conseguir ter sucesso na hora de harmonizar um prato com uma garrafa de vinho é só usar a lógica e o senso comum em relação a cada um dos detalhes. Cores, aromas e sabores, tanto do prato como também do vinho com o qual queremos que nos acompanhe.

Ceviche

Ceviche

Por exemplo: vamos comer um fruto do mar, o qual logicamente sempre tem que ser o mais fresco possível, tipo um peixe branco (ex.: robalo). O preparo será com ele cru (ceviche), onde coloquemos só limão para acrescentar ao sabor e ao frescor. Neste caso, o correto é procurar um vinho que tenha as mesmas caraterísticas do prato, ou seja, se estamos falando de um produto do mar que tem que ser consumido o mais fresco possível também teremos que procurar um vinho que deva ser bebido o quanto antes.

Como este prato (ceviche) vai ter um sabor predominantemente cítrico, por causa do limão, temos que procurar vinhos que tenham estas mesmas características. Então, o vinho correto vai ser um branco, o mais jovem possível, que tenha uma marcada acidez e que não tenha passado por madeira.

Serão muitas opções para harmonizar um ceviche de maneira correta, independente da variedade da uva. Pode ser um Sauvingon Blanc, um Chenin Blanc, até um Torrontés, mas o importante é que tenha as caraterísticas destacadas anteriormente.

Então agora você já sabe. Frutos de mar crus, harmonizam maravilhosamente com vinhos brancos, frescos, sem madeira e o mais jovem possível.

 

Que vinhos abrir em Natal e Ano Novo?

 

Já está pensando nos vinhos da noite de natal e ano novo?

Aqui tem algumas sugestões que você não pode esquecer:

Primeiro: lembre-se que é esta data, na qual a gente compartilha as nossas alegrias com a família e as pessoas que mais amamos. Portanto, temos que caprichar com os vinhos que vamos abrir, e este é o dia ideal para provarmos essas garrafas que estão em nossas adegas há muito tempo. Chegou a hora de abri-las!

Lembre-se também que, para poder aproveitar melhor seus vinhos, tem algumas regras de degustação que não podem ser esquecidas:

 

Os vinhos brancos devem ser tomados antes que os vinhos tintos;

Os vinhos secos se degustam antes que os vinhos doces;

Os vinhos mais simples são degustados antes dos vinhos mais complexos;

Os vinhos mais leves são degustados antes dos vinhos mais encorpados e concentrados.

 

Que vinhos abrir em Natal e Ano Novo?

Que vinhos abrir em Natal e Ano Novo?

 

A comemoração pode começar com um espumante, mas tem que levar em conta que este deve ter a menor concentração de açúcar residual possível (os Nature são os únicos que são realmente secos). Deixe os outros espumantes (Demi Sec ou doces) só para acompanhar a sobremesa, caso contrário, a “doçura” destes produtos vai tirar seu apetite e pode estragar sua ceia de natal e/ou de ano novo.

 A versátil Sauvignon Blanc

Como alternativa a espumantes, proseccos e outros vinhos com borbulhas, têm também os vinhos feitos pela uva Sauvignon Blanc, que são excelentes companheiros na hora de abrir uma comemoração. Prefira estes de safras as mais jovens possíveis (2013 ou 2014). Se optar por esta uva, não precisam ser os melhores de sua seleção, já que, como aperitivo, serão mais recomendáveis os que tiverem um estilo mais fresco e de corpo leve – mas o único requisito indispensável é que sejam de safras recentes.

Já para o jantar, o melhor é ter à mão umas boas garrafas, mas de vinhos não demasiado complexos, nem adstringentes. Então procure alguns vinhos de uvas mais “femininas”, como Pinot Noir, Merlot, Carménère ou Blends (mistura de duas ou mais uvas).

 Vinhos estruturados

Se for sua escolha um vinho de uva Malbec, Cabernet Sauvingon, Tannat, Petit Verdot, ou outra uva que produza vinhos estruturados, tente escolher aqueles que não estejam muito jovens (devem ter, pelo menos, 3 anos), para que os taninos e a força no paladar não incomode a seus convidados.

 

As melhores dicas de vinho para o Natal e Ano Novo

Já esta pensando na noite de natal e ano novo? Aqui tem algumas sugestões que você não pode esquecer.

Primeiro: lembre-se que é esta data, na qual a gente compartilha as nossas alegrias com a família e as pessoas que mais amamos. Portanto, temos que caprichar com os vinhos que vamos abrir, e este é o dia ideal para provarmos essas garrafas que estão em nossas adegas há muito tempo. Chegou a hora de abri-las!

Lembre-se também que, para poder aproveitar melhor seus vinhos, tem algumas regras de degustação que não podem ser esquecidas:

Os vinhos brancos devem ser tomados antes que os vinhos tintos;

Os vinhos secos se degustam antes que os vinhos doces;

Os vinhos mais simples são degustados antes dos vinhos mais complexos;

Os vinhos mais leves são degustados antes dos vinhos mais encorpados e concentrados.

A comemoração pode começar com um espumante, mas tem que levar em conta que este deve ter a menor concentração de açúcar residual possível (os Nature são os únicos que são realmente secos). Deixe os outros espumantes (Demi Sec ou doces) só para acompanhar a sobremesa, caso contrário, a “doçura” destes produtos vai tirar seu apetite e pode estragar sua ceia de natal e/ou de ano novo.

As melhores dicas de vinho para o Natal e Ano Novo

As melhores dicas de vinho para o Natal e Ano Novo

Como alternativa a espumantes, proseccos e outros vinhos com borbulhas, têm também os vinhos feitos pela uva Sauvignon Blanc, que são excelentes companheiros na hora de abrir uma comemoração. Prefira estes de safras as mais jovens possíveis (2014 ou 2015). Se optar por esta uva, não precisam ser os melhores de sua seleção, já que, como aperitivo, serão mais recomendáveis os que tiverem um estilo mais fresco e de corpo leve – mas o único requisito indispensável é que sejam de safras recentes.

Já para o jantar, o melhor é ter à mão umas boas garrafas, mas de vinhos não demasiado complexos, nem adstringentes. Então procure alguns vinhos de uvas mais “femininas”, como Pinot Noir, Merlot, Carménère ou Blends (mistura de duas ou mais uvas).

Se for sua escolha um vinho de uva Malbec, Cabernet Sauvingon, Tannat, Petit Verdot, ou outra uva que produza vinhos estruturados, tente escolher aqueles que não estejam muito jovens (devem ter, pelo menos, 3 anos), para que os taninos e a força no paladar não incomode a seus convidados.

 

Recepção Low Profile na virada do Ano

 

Dicas para a virada do ano

Envolvida com muitas coisas, de repente me dou conta de que 2014 se acaba e, logo, logo, vêm as comemorações festejando 2015.

A passagem de ano tem a ver também com recomeço e com renovação, basta querer. E para ser mais feliz, faça o exercício do desapego, renove a alma e o espírito. Esqueça o que de ruim lhe fez chorar e grave o bem que os sorrisos lhe fizeram. Jogue fora os trapos da tristeza e o malquerer para enxergar melhor o bem-me-quer que está ao seu lado.

Tudo vai florescer se você cultivar a esperança.

Prepare-se assim, para a virada do ano, e, caso você opte por receber amigos e familiares em sua casa, deixe que eles se contagiem com a esperança que você cultiva desde o primeiro dia de 2015.

Gosto do diferente, não gosto do lugar-comum, sugiro então que você faça uma recepção low profile e menos formal. Algo mais prático, para que você possa aproveitar mais sua festa com amigos e família.

Réveillon em Copacabana

Réveillon em Copacabana

  • Aceitando a sugestão, lembre-se que não sendo uma ceia clássica, mesmo assim, seus convidados precisam ser avisados da sua proposta neste réveillon para recebê-los;
  • Para começar, use muitas frutas para ornamentar e saborear (antes, durante e depois) misturadas a enfeites que você tem do natal. Exercite a imaginação e ouse, tudo com muito bom senso;
  • Arrume sua mesa com tons claros, explore o branco, o dourado ou prata. Arrumação menos formal não é o mesmo que deselegante. Podem ser usados guardanapos de papel e, aí, opte pelos modelos clássicos; se coloridos, preste atenção nas cores e estampados para não pesar nos contrastes;
  • Caso o número de convidados seja grande, arrume pratos, talheres e taças em um aparador. Lembre-se que não se coloca mais que 10 pratos empilhados (gosto de menos), pois fica alto e tira a beleza da composição da mesa.  Faça mais de uma pilha de pratos guardando certa distância, evitando aglomeração na hora de servir;
  • Quanto aos talheres, pode colocar a faca entre os dentes dos garfos, ou, se achar melhor, coloque na horizontal garfo e faca simplesmente, pensando sempre na praticidade de quem vai usar esses talheres;
  •  As taças podem ser coloridas, de modelos e cores diferentes, tudo sempre harmônico. Não precisa usar só um modelo de taça, abuse e use das taças que você tem em casa;
  • Uma festa, assim, tem a vantagem da diversidade de quitutesinhos que conseguem agradar a todos os gostos, inclusive ao dos vegetarianos. Sirva várias entradinhas como saladas (criativas), mini quiches, brandade de bacalhau, queijos e frios, aves fatiadas e até mesmo um lombinho magro preparado no dia anterior (com ervas e molho de mostarda levemente ácido), e fatiado um pouco antes de servir, não relaxando na escolha dos vinhos e espumantes;
  • Cuidado com a escolha musical. Caso goste, vale até funk, mas preste atenção nas letras antes para não constranger algum convidado. Aposte na sugestão.

Reitero meu canto de paz, em qualquer tom, para caber em qualquer festa e em qualquer ano!

Que venha 2015, que aqui vamos nós!

Por Giovanna:

Giovana é Mestre e consultora em Gastronomia, trabalha atualmente na Universidade Vila Velha. Gosta de pessoas verdadeiras, de artes em geral, ama viajar pelo Brasil e mundo afora. Dessas viagens, sempre procura conhecer os costumes e a gastronomia, redirecionando-os para tudo que faz. Aplica-se na arte de ser uma eterna aprendiz.

Dicas para receber bem na ceia de Natal

 

Os sons do natal já estão no ar.  Veja as dicas para receber bem na ceia de Natal

Música recorrente, nessa época, que no passar do ano ansiamos por ouvir. Imagine que sendo a música essa combinação mágica de sons e silêncio, se de repente, nesse Natal, os silêncios se tornassem inoportunos e os sons destoantes…

É o mesmo que uma mesa com pratos saborosos numa ocasião especial, posta sem nenhum cuidado, sem elegância e praticidade.

A etiqueta, longe de ser aquela coisa esnobe para a qual alguns torcem o nariz e reviram os olhos, serve mesmo para harmonizar o ambiente, aliás, dá-lhe praticidade, além de beleza. Quando sabemos como nos portar, o que e como fazer, nossa autoestima melhora e o relacionamento das pessoas, até em torno de uma mesa, torna-se mais agradável. Então, por que não utilizá-la na sua ceia de Natal, simples ou sofisticada?

A ceia de Natal perdeu um pouco daquele significado divino, que lhe é próprio, porque quase ninguém se lembra mais do aniversariante. O ritual, seja numa simples casa ou numa mansão, perdeu a magia de família reunida em torno dos sabores e aromas numa contrição que iniciava sempre com a benção do pão de cada dia. Aproveite o espírito natalino e traga, então, algo que possa fazer a diferença e, siga as dicas:

Dicas para receber bem na ceia de Natal

Dicas para receber bem na ceia de Natal

 

As Dicas

 

  • Comece analisando os convidados que virão à sua ceia;
  • Prepare o ambiente com uma música orquestrada, bem intimista, ao fundo… crie um clima (nada de Jingle Bells, por favor);
  • Seja pontual, bem humorado e afável;
  • Na mesa, uma toalha que pode ter motivos natalinos discretos ou mesmo lisa, de cor vermelha e se preferir algo mais clássico, branca (adoooro!), observando sempre que tipo de louça vai usar. Um singelo arranjo de flores baixinho para não atrapalhar a visão e a comunicação ou um arranjo num prato grande ou bandeja com algum enfeite que você tenha em casa, como bolas de tamanho e cor variados, da sua árvore de natal, vai dar um tom mais alegre à sua mesa;
  • Lembre-se ao arrumá-la, de dispor as taças sempre acima do prato, um pouco à direita, na ordem decrescente: a maior para água, seguida da taça para vinho tinto e a menor para vinho branco. Caso sirva espumante a taça (flute) fica entre a taça de água e vinho tinto, um pouco atrás. Colheres e facas à direita do prato, facas mais próximas e com o fio voltado para o prato; garfos à esquerda. Talheres de sobremesa colocados acima do prato, na horizontal. Colherinha e faquinha com o cabo voltado para a mão direita e, o garfinho abaixo dela, com o cabo para a esquerda, facilitando seu manuseio.
  • No cardápio, nada como ter um prato vegetariano para quem não come carne ou peixe.

 

Por Giovana:

Giovana é Mestre e consultora em Gastronomia, trabalha atualmente na Universidade Vila Velha. Gosta de pessoas verdadeiras, de artes em geral, ama viajar pelo Brasil e mundo afora. Dessas viagens, sempre procura conhecer os costumes e a gastronomia, redirecionando-os para tudo que faz. Aplica-se na arte de ser uma eterna aprendiz.

 

Receita Fácil de Escondidinho de Peru

 

Aprenda como preparar o famoso Escondidinho de Peru de uma forma fácil e rápida.

Ingredientes:

4 mandioquinhas
3 batatas
½ xícara de leite
1 colher de manteiga
2 colheres de sopa de azeite
½ kg de sobras de peru assado
1 colher sopa de parmesão
1 dente de alho espremido
1 cebola picada
1 erva doce fresca fatiada
1 colher de chá de semente de erva doce

Modo de Preparo:

Cozinhe a mandioquinha e a batata, esprema e faça um purê com a manteiga e o leite. Tempere com sal e pimenta e reserve. Refogue a erva doce, cebola e alho no azeite. Coloque a semente de erva doce e as sobras do peru desfiado.

Num refratário, alterne uma camada de purê com o refogado de peru, cubra com o purê restante, polvilhe parmesão e leve ao forno para gratinar.

Rendimento: 6 a 8 porções

Escondidinho de Peru

Escondidinho de Peru

 

Fonte: Site Itatiaia