Posts

Indústria de vinhos britânica antecipa ascensão dramática

O número de produtores dentro do Reino Unido mais que dobrou nos últimos dois anos, segundo novo estudo

De acordo com um relatório da firma de contabilidade UHY Hacker Young, existem hoje 135 produtores de vinho dentro do território britânico, o número mais alto em 20 anos. Curiosamente, o número de produtores de cerveja também cresceu, alcançando 188% em relação aos últimos cinco anos, com o maior crescimento nos setores artesanais de produção.

O relatório atribuiu esse aumento ao crescente consumo das produções locais e a uma mudança no sistema fiscal.

Indústria de vinhos britânica antecipa ascensão dramática

Indústria de vinhos britânica antecipa ascensão dramática

Em entrevista, Roy Maugham, diretor da UHY Hacker Young, disse: “Produtos alimentícios como queijos artesanais, carnes orgânicas e bebidas como o vinho e a cerveja foram o foco no aumento da demanda”. Sobre os vinhos ele declarou: “Vinhos ingleses desfrutaram de um renascimento genuíno ao longo dos últimos anos e agora estão sendo levados a sério dentro do panorama internacional”.

Os 135 produtores mencionados anteriormente produzem juntos um total de 4,45 milhões de garrafas todos os anos, dentro de 1,884 hectares de vinhedos no país.

 

Há mais Carménère na China do que em qualquer outro lugar do mundo diz Boursiquot

 

 Jean-Michel Boursiquot  foi o descobridor da variedade no Chile na década de 1990.

De acordo com um especialista pode haver mais Carménère plantada na China do que em qualquer outro lugar do mundo De acordo com Jean-Michel Boursiquot, especialista em variedades de uva, pode haver mais Carménère plantada na China do que em qualquer outro lugar do mundo. O fato foi revelado na semana passada durante uma conferência em Santiago, no Chile.

Carménère, a uva extinta

Boursiquot foi o descobridor da variedade no Chile na década de 1990. Antes disso, a Carménère era dada como extinta. Segundo ele, existem na China cerca de 15000 hectares de Carménère plantada ao longo de todo o seu território, o que representa 50% a mais do que o Chile.   O motivo da grande diferença entre os dois países se deve ao fato de que na China é muito plantada uma variedade chamada de Cabernet Gernischt, que é sinônima da Carménère.

Vinhedos de Carménère da vinícola Clos Apalta, no Chile

Vinhedos de Carménère da vinícola Clos Apalta, no Chile

Considerando que 8% de toda a área viticultora do país seja tomada pela Cabernet Gernischt, é possível afirmar que essas “possam representar 15000 hectares”, mas segundo Boursiquot sob essa mesma variedade é possível achar outras como a Cabernet Franc, Merlot e a própria Carménère.

Uma profunda análise de DNA foi feita e foi constatado que a Cabernet Gernischt e a Carménère têm exatamente a mesma composição de genes. Depois da China e do Chile, o terceiro país com mais Carménère é a Itália, com cerca de 1.000 hectares plantados. Além desses, a Argentina conta com 56 hectares da variedade, 41 ha na França e apenas 23 ha nos Estados Unidos.

 

Que vinhos abrir em Natal e Ano Novo?

 

Já está pensando nos vinhos da noite de natal e ano novo?

Aqui tem algumas sugestões que você não pode esquecer:

Primeiro: lembre-se que é esta data, na qual a gente compartilha as nossas alegrias com a família e as pessoas que mais amamos. Portanto, temos que caprichar com os vinhos que vamos abrir, e este é o dia ideal para provarmos essas garrafas que estão em nossas adegas há muito tempo. Chegou a hora de abri-las!

Lembre-se também que, para poder aproveitar melhor seus vinhos, tem algumas regras de degustação que não podem ser esquecidas:

 

Os vinhos brancos devem ser tomados antes que os vinhos tintos;

Os vinhos secos se degustam antes que os vinhos doces;

Os vinhos mais simples são degustados antes dos vinhos mais complexos;

Os vinhos mais leves são degustados antes dos vinhos mais encorpados e concentrados.

 

A comemoração pode começar com um espumante, mas tem que levar em conta que este deve ter a menor concentração de açúcar residual possível (os Nature são os únicos que são realmente secos). Deixe os outros espumantes (Demi Sec ou doces) só para acompanhar a sobremesa, caso contrário, a “doçura” destes produtos vai tirar seu apetite e pode estragar sua ceia de natal e/ou de ano novo.

Vinhos para o Natal e Ano Novo

Vinhos para o Natal e Ano Novo

 A versátil Sauvignon Blanc

Como alternativa a espumantes, proseccos e outros vinhos com borbulhas, têm também os vinhos feitos pela uva Sauvignon Blanc, que são excelentes companheiros na hora de abrir uma comemoração. Prefira estes de safras as mais jovens possíveis (2013 ou 2014). Se optar por esta uva, não precisam ser os melhores de sua seleção, já que, como aperitivo, serão mais recomendáveis os que tiverem um estilo mais fresco e de corpo leve – mas o único requisito indispensável é que sejam de safras recentes.

Já para o jantar, o melhor é ter à mão umas boas garrafas, mas de vinhos não demasiado complexos, nem adstringentes. Então procure alguns vinhos de uvas mais “femininas”, como Pinot Noir, Merlot, Carménère ou Blends (mistura de duas ou mais uvas).

 Vinhos estruturados

Se for sua escolha um vinho de uva Malbec, Cabernet Sauvingon, Tannat, Petit Verdot, ou outra uva que produza vinhos estruturados, tente escolher aqueles que não estejam muito jovens (devem ter, pelo menos, 3 anos), para que os taninos e a força no paladar não incomode a seus convidados.