Guia Descorchados 2015 no Brasil

 

Com um evento de lançamento a Guia Descorchados 2015 reunirá produtores da Argentina, Brasil, Chile e Uruguai em evento no Brasil.

O lançamento do maior guia de vinhos da América Latina já tem data para ocorrer no Brasil. No dia 23 de março, o Descorchados 2015 será lançado com uma degustação guiada promovida pelo autor, Patrício Tapia – um dos maiores críticos de vinho do mundo – e a Inner Editora.

A degustação ocorrerá das 17h às 22h no Restaurante Praça São Lourenço, em São Paulo, e contará com a presença de mais de 55 vinícolas, uma mescla entre produtores consagrados e artesanais.  Formando um time de primeira para a degustação.

Novidades do Guia Descorchados 2015

Aliás, entre as novidades do Guia Descorchados 2015 está á inclusão dos espumantes brasileiros, com mapas de suas regiões e ampla avaliação de seus produtores, assim como já ocorre na Argentina e no Chile todos os anos.

No evento de lançamento, jornalistas e profissionais do setor terão a oportunidade de provar alguns dos vinhos vencedores nas diversas categorias do ranking final do Descorchados.

Guia Descorchados 2015 no Brasil

Guia Descorchados 2015 no Brasil

 

Fonte: Revista Adega.

A Festa da vindima do vale de Colchagua – Chile 2015 está chegando

 

Se esta pensando em viajar para o Chile não pode deixar de participar da festa da vindima do vale de Colchagua.

Com 16 anos de historia, a festa da vindima do vale de Colchagua anuncia uma nova e imperdível versão da festa do vinho mais importante de todas as que são realizadas neste país.

Com a participação das 13 vinícolas que fazem parte da Associação de vinícolas do vale de Colchagua e contando com a organização da Municipalidade de Santa Cruz, essa festa promete cativar novamente com grandes novidades.

 Este imperdível panorama está programado para a sexta feira dia 6, sábado 7 e domingo 8 de março de 2015, na Plaza de Armas da cidade de Santa Cruz, onde os assistentes a feria poderão degustar em total mais de 150 vinhos das seguintes vinícolas:

 Festa da vindima do vale de Colchagua - Chile 2015

Festa da vindima do vale de Colchagua – Chile 2015

Vinícolas Participantes: 

Vinícola Bisquertt
Vinícola Casa Silva
Vinícola Casa Lapostolle
Vinícola Montes
Vinícola Los Vascos
Vinícola Montgras
Vinícola Santa Cruz
Vinícola Siegel
Vinícola Santa Helena
Vinícola Viu Manent
Vinícola Luis Felipe Edwards

Mais Iinfo:

 

Fim de uma era: Parker passa Bordeaux para Martin

 

Crítico de vinho norte americano, Robert Parker anunciou que não irá mais ser responsável pela degustação dos Bordeaux en primeurs no The Wine Advocate.

Em uma conferência de imprensa em Londres, o veterano Robert Parker passou a responsabilidade da en primeur para o membro do seu time, Neal Martin, que ele descreveu como natural e quem ele já insinuou que poderia sucedê-lo em uma entrevista na Live-ex em 2012.

Na página principal de Robert Parker ele escreveu: “Como apenas parte da cobertura prevista para este ano, Neal irá avaliar os lançamentos en primeur de Bordeaux de 2014”. Enquanto isso eu planejo avaliar as recém – engarrafadas vinhos de colheitas de 2012 e produzir uma retrospectiva a fundo na incrível colheita de Bordeaux de 2012.

Apesar de descrever como inevitável, tendo acompanhado quase todas as campanhas de en primeur desde 1978, ele ressaltou no Twitter que ele iria “sentir saudades do desafio de desvendar uma nova colheita”.

Como indicado na sua declaração, esse ato não sinaliza o final da carreira de Parker ou seu envolvimento com Bordeaux. Ele vai continuar a reexperimentar e avaliar colheitas na garrafa e o mercado, está aguardando ansiosamente sua avaliação da colheita de 2005, ele mesmo admitiu que a avaliação é muito baixa para um ano tão bom.

Enfim, seu afastamento de Bordeaux irá definir uma nova geração de críticos, particularmente seu sucessor.

Robert Parker END OF AN ERA

Robert Parker END OF AN ERA

Resultados Argentina Wine Awards 2015. Muitas surpresas!

 

As principais referências femininas do vinho, tanto do mercado internacional como local, provaram 669 amostras durante a Argentina Wine Awards 2015.

Em um concorrido coquetel celebrado na Bodega Trivento, foram anunciados os ganhadores do Argentina Wine Awards 2015, certamente organizado pela Wines of Argentina e a Corporación Vitivinícola Argentina (COVIAR). Após a minuciosa degustação realizada por 12 juízas internacionais e seis nacionais que provaram 669 amostras, foram anunciados os Trophies das 20 categorias divididas cada uma, por sua vez, em cinco faixas de preços.

Na nona edição dos prêmios Argentina Wine Awards, que busca premiar tanto a qualidade como os avanços da indústria vitivinícola argentina, participaram 143 vinícolas contabilizando um total de 669 amostras. Participaram da cerimônia de premiação mais de 200 pessoas, entre donos de vinícolas, enólogos, autoridades provinciais, diretivos de organizações da indústria vitivinícola, integrantes do júri e jornalistas. Foram entregues 14 Trophies, 19 medalhas de ouro, 193 medalhas de prata e 369 de bronze.

Ao todo, foram entregues 14 Trophies e 19 medalhas de ouro.

Argentina Wine Awards 2015 Logomarca

Argentina Wine Awards 2015 Logomarca

Na categoria “Malbec”, os Trophies foram para:

Séptima Obra Malbec 2012, Bodega Séptima – Codorníu Argentina S.A.
Riglos Quinto Malbec 2013, Finca Las Divas S.A. – Bodega Riglos,
Casarena Single Vineyard – Malbec – Jamilla´s Vineyard – Perdriel 2012 Casarena Bodega & Viñedos
Zuccardi Aluvional Vista Flores Malbec 2012, Familia Zuccardi

Na categoria “Vinho Espumante”, o prêmio Trophy foi para:

  Ruca Malen Sparkling Brut NV, da Bodega Ruca Malen.

 Os Chardonnay receberam este ano dois Trophies, que foram outorgados aos:

 Finca La Escondida Reserva Chardonnay 2014, da Bodega La Rosa
Salentein Single Vineyard Chardonnay 2012 da Bodega Salentein.

 Outro varietal premiado foi o Cabernet Franc. Os Trophies foram entregues aos

  La Mascota Cabernet Franc 2013, da Mascota Vineyards
Salentein Numina Cabernet Franc 2012, da Bodega Salentein

 Também obtiveram Trophies os cortes 

 Sophenia Synthesis The Blend, da Finca Sophenia
Cadus Single Vineyard Finca Las Tortugas Bonarda, da Bodega Cadus
Cabernet Sauvignon Proemio Reserve, da Proemio Wines.

 Os Trophies regionais foram entregues a:
Valles del Norte: 

 Serie Fincas Notables Tannat 2012, da Bodega El Esteco.

Valles de Mendoza:

 Decero Mini Ediciones Petit Verdot, Remolinos Vineyard 2012, da Finca Decero.

Valles de San Juan:

 Santiago Graffigna 2011, Bodegas y Viñedos Santiago Graffigna

Valles Patagónicos:

 Special Blend 2010, da Bodegas Del Fin Del Mundo

 

Vinho Baron Philippe de Rothschild Domaine Arques, 2006

 

Tipo Tinto
Safra 2006
Volume 750ml
Pontuação Winechef

Vinho Baron Philippe de Rothschild Domaine Arques, 2006 - 93 pontos Winechef

Vinho Baron Philippe de Rothschild Domaine Arques, 2006 – 93 pontos Winechef

País França
Região Languedoc-Rousssillon
Sub-Região Limoux
Uva 57% Merlot, 18% Cabernet Franc, 12% Syrah, 9% Malbec e 4% Cabernet Sauvignon
Teor Alcoólico 14,50%
Tipo de Uva Tinta Assemblage
Amadurecimento 25% em barricas novas e 75% em barricas de 1 a 3 anos.
Visual Coloração vermelho violeta com matiz púrpura.
Olfativo Exuberante no nariz, com aromas de cerejas vermelhas e groselhas, exibindo uma grande variedade de notas aromáticas. É complexo, com o nível de aromas de muita qualidade e muito generoso em toques de frutas. Surpreende também pela presença de notas herbáceas e especiarias, tudo excelentemente montado, mas sempre com as características aportadas pela uva Merlot tendo o protagonismo.
Gustativo É saboroso e suculento, com grande amplitude e profundidade em boca. Taninos já bem polidos formando um paladar extraordinariamente delicado, muito feminino e de uma qualidade fora de serie. Seu equilíbrio é outra virtude, não tem nada que esteja sobrando, nem nada que esteja faltando, a madeira esta grandiosamente complementada com os elementos primários provenientes das uvas, todo é harmonia, todo é delicadeza.
Dica de Harmonização Magret de pato com cassis.
Confit de pato sobre batatas salteadas.
Ensopado de faisão com polenta branca trufada.
Carré d’Agneau à l’ail confit: costela de cordeiro com alhos.
Filé mignon gratinado com farofa de ervas, foie gras e batata ao forno.
Por ocasião Para Presentear
Temperatura de Serviço 16º
Potencial de Guarda 10 anos
Nome da Vinícola Baron Philippe De Rothschild
Ano de Fundação da Vinícola 1998
Propriedade da Vinícola 48 Hectares
Enólogo Responsável Didier Dezileau/Fabrice Boullier

 

Vinho Baron Philippe de Rothschild Domaine Arques, 2006

Vinho Baron Philippe de Rothschild Domaine Arques, 2006

 

Concha y Toro é considerada a marca de vinhos mais poderosa do mundo

 

Concha y Toro é a líder e Gallo e Robert Mondavi aparecem logo atrás em lista feita por consultoria internacional

Um relatório anual da consultoria “Intangible Business” apontou a Viña Concha y Toro como a “marca de vinho mais poderosa do mundo”, no que é considerado o mais influente ranking da indústria de bebidas do mundo.

Na lista geral (que soma todos os tipos de bebidas alcoólicas), aliás, a vinícola chilena aparece em 21o lugar, subindo oito lugares em relação ao ano passado. “O reconhecimento internacional reforça a visibilidade global e a imagem que a marca Concha y Toro alcançou. É algo pelo qual temos trabalhado há anos. É uma grande conquista, não somente para a empresa, mas para o vinho chileno que cresce em importância na indústria do vinho mundial”, disse o CEO da vinícola, Eduardo Guilisasti.

A lista das empresas de vinho mais poderosas segue com a Gallo em segundo lugar, seguida por Robert Mondavi, Hardys e Barefoot, entre as cinco primeiras.

Logomarca vinicola Concha y Toro

Logomarca vinicola Concha y Toro

Confira abaixo a lista dos 12 primeiros lugares:

1- Concha y Toro
2- Gallo
3- Robert Mondavi
4- Hardys
5- Barefoot
6- Yellowtail
7- Sutter Home
8- Beringer
9- Jacobs Creek
10- Lindeman’s
11- Blossom Hill
12- Wolf Blass

 

 

Hubert Weber Xylo Blend: O ganhador da guia Descorchados como Super Preço da Argentina

 

Hubert Weber mais uma vez me surpreendeu com um vinho de excelente relação preço-qualidade.

O vinho foi classificado pelo Guia de Vinhos Descorchados 2013 como o melhor blend da Argentina na categoria que todos nós adoramos – “Super Preço”.  Xylo aparece como o “Blend Super Preço da Argentina”, isso para começar…

1-Vinho Hubert Weber Xylo

Tipo Tinto
Safra 2011
Volume 750ml
País Argentina
Região Mendoza
Pontuação Winechef

Winechef 91 Pontos

Winechef 91 Pontos

Uva 60% Bonarda, 25% Syrah, 15% Tempranillo
Teor Alcoólico 13,5%
Tipo de Uva Tinta Assemblage
Amadurecimento 3 meses cubas de cemento
Visual Sua cor está levemente evoluída, mas com um lindo tom cereja.
Olfativo No nariz, o aroma dominante é de cerejas vermelhas, que aparecem com muita nitidez à medida que o vinho começa a abrir na taça. Acompanham outros aromas da mesma família, cherris, marrosquinos, ou seja, um cenário bem frutado, tão agradável que dá vontade de ficar só sentindo o aroma por vários minutos. Além da deliciosa frutosidade, também há algum tons terrosos, tipo “sois boi” (terra úmida), corteça (casca) de árvore, suaves e delicados tons de lavanda e menta, que só enriquecem mais um nariz cativante.
Gustativo A performance olfativa é excelente, mas é no paladar onde este vinho mostra seus melhores atributos. Seu corpo é meio e, particularmente, delicado, seus taninos são suaves como a seda, mostrando uma textura que se desliza no paladar. As notas da fruta soam mais uma vez intensas, principalmente as cerejas, aportando magia num vinho fresco e juvenil, que com certeza vai apaixonar muitos paladares brasileiros. O único problema deste vinho é que e ele é viciante…e a taça fica vazia sem que a gente perceba, parece que o vinho se evapora na taça…. Como dica, recomendo sempre ter uma outra garrafa a mão.
Dica de Harmonização Corvinha grelhada com um cremoso molho de gorgonzola.
Risoto de camarão com aspargos frescos e banana da terra chip’s.
Lasanha ao creme de cogumelos com verduras.
Pato confitado com purê de batatas e maçã caramelizada.
Carnes vermelhas delicadas
Churrasco típico brasileiro
Tipo de Comida Massas e Carnes
Temperatura de Serviço 16 graus
Potencial de Guarda 5 anos
Nome da Vinícola Hubert Weber
Propriedade da Vinícola Vinho de Autor
Produtor Hubert Weber

Colheita 2015 em Bento Gonçalves será pano de fundo para documentário

 

Entre os meses de janeiro e fevereiro, o interior de Bento Gonçalves recebe as gravações de “À sombra das Videiras”

A colheita de uvas no Rio Grande do Sul já começou e, como sempre, deve seguir até março. Neste ano, porém, além de todo o trabalho e festividades que acompanham essa época, uma equipe de filmagem estará acompanhando a vindima para produzir um documentário chamado “À Sombra das Videiras”.

O projeto é da Faculdade Cenecista, por meio do Núcleo Audiovisual Cenecista (NAC), e as gravações vão ocorrer entre os meses de janeiro e fevereiro deste ano na Linha Paulina, no interior do município de Bento Gonçalves. A ideia é mostrar os reflexos das migrações sazonais de trabalhadores e o contraste cultural entre empregados e pequenos produtores durante a colheita de uva.

​​”O homem e a mulher do campo são responsáveis pela principal etapa no processo agroindustrial vitivinícola. Embora a cadeia produtiva se expanda, a produção das uvas na Serra Gaúcha ainda depende dos pequenos produtores, das famílias e de seu cuidado com os parreirais. Ao sol ou à sombra, eles mantém essa riqueza cultural no sul do Brasil, num esforço de permanência no campo como uma opção de qualidade de vida e oportunidade para seus descendentes”, comenta Boca Migotto, diretor do documentário.

O roteiro tem três elementos fundamentais: a chegada dos migrantes a Bento Gonçalves e a recepção por parte dos produtores – representados no documentário por três famílias de Bento Gonçalves; os dias de colheita e o desenrolar das refeições e conversas entre produtores e trabalhadores; e a despedida.

Colheita 2015 em Bento Gonçalves

Colheita 2015 em Bento Gonçalves

Fonte: Revista Adega.

Templar Knight. O Cavaleiro Templário da Bulgaria

 

Templar Knight Cabernet Sauvignon  safra 2006

Os verdadeiros amantes do vinho sempre estão disponíveis para descobrir novos aromas e sabores. Todos concordamos que a degustação constante é a única forma de ampliar nossos conhecimentos. Há uns dias degustei um vinho de esses que não sempre temos a possibilidade.

Quando soube que se tratava de um vinho da Bulgária, já achei interessante, mais quando vi que era um Cabernet Sauvignon e da safra 2006, fiquei ainda mais entusiasmado. Claro, assim como muitos apaixonados por vinho, adoro a versatilidade da uva Cabernet Sauvignon, e como é uma uva que tem textura de taninos que precisa de tempo, o fato de já ter mais de 8 anos, era um bom sinal.

O nome do vinho e o rótulo me deixaram ainda mais curioso: Templar Knight (Cavaleiro Templário) me surpreendeu muito positivamente.

Assim que você tiver a possibilidade de provar uma garrafa, entenderá porque achei necessário fazer um post particularmente sobre este vinho. Agora, a má noticia é que foram importadas apenas 120 garrafas.

Deixo abaixo uma descrição sensorial deste vinho, para animá-los ainda mais e garanto que não vão se arrepender.

Vinho Templar Knight da Bulgaria

Vinho Templar Knight da Bulgaria

 

 

Vinho Templar Knight da Bulgaria
Tipo Tinto
Safra 2006
Volume 750ml
Pontuação Alex Ordenes 

Templar Knight 2006 - 93 pontos Winechef

Templar Knight 2006 – 93 pontos Winechef

País Bulgária
Região Suhindol
Uva 100% Cabernet Sauvignon
Teor Alcoólico 12%
Amadurecimento 12 meses em barricas francesas e americanas, de 225 litros e 6 meses em garrafa.
Visual Vermelho muito concentrado com leves tons da evolução.
Olfativo Excelente em sua fase aromática, onde começa a mostrar diferentes camadas olfativas. Primeiro, os aromas balsâmicos aportados pela guarda em madeira. Algumas notas de cedro à tabaco, suaves notas a regaliz e com a oxigenação do vinho na taça, começam a mostrar cada vez um lado mais guloso e sedutor. A fruta confeitada completa a cena olfativa com notas de ‘amoras ao licor’, que aparecem incrivelmente harmonizadas com os outros elementos. É uma nariz de grande nível, com um alto padrão de complexidade e em plena evolução.
Gustativo Mantém um alto nível também no paladar. Entra com muito volume devido a sua ótima concentração. Seus taninos estão aí, bem presentes, mas são de um nível de maciez sobressaliente. Tem densidade, profundidade e principalmente equilíbrio. A sua acidez é intensa, mas sempre perfeitamente bem integrada ao conjunto.
Dica de Harmonização Tournedos de Filé Mignon
Carré de cordeiro assado com tomates e alcachofras confit.
Ragu de javali com gnocchi (nhoque) de mandioquinha e broto de beterraba.
Costela de boi cozida no vapor com molho bordelaise e purê de batata.
Carne bovina cozida no vinho Cabernet.
Nome da Vinícola Templar Knight

Aprenda como abrir garrafa de espumante chacoalhado

 

Segundo cientistas, a pressão da garrafa agitada até mesmo diminui, reduzindo o risco de o líquido “explodir”, depois de cerca de 3 minutos de espera

Uma pesquisa da Universidade de Reims, na região de Champagne, França, mostrou que não é preciso ter medo de abrir um espumante depois de agitá-lo com receio de que a rolha voe longe e o líquido “exploda” em um spray de espuma. Aliás, segundo os cientistas, chacoalhar vigorosamente a garrafa pode até diminuir esse risco de explosão durante a abertura.

A explicação para isso estaria nas bolhas. Quando a garrafa está fechada, o dióxido de carbono  no líquido e o do gargalo são proporcionais. Ao agitar a garrafa, criam-se bolhas grandes durante a mistura do gás com o líquido. No entanto, quando essas bolhas se rompem, um pouco do dióxido de carbono é absorvido pelo líquido, reduzindo levemente o total de gás na garrafa.

Contudo, a diminuição na pressão depende do tempo. Se a garrafa for aberta logo após ser chacoalhada, sairá aquele spray de espuma com que os pilotos de Fórmula 1 costumam comemorar. Porém, se a garrafa for deixada em paz por alguns minutos (os pesquisadores apontam 2 minutos e 40 segundos como o tempo ideial), a dissipação das bolhas causam uma queda de pressão que dura cerca de 30 segundos.

De acordo com Gérard Liger-Belair, co-autor do estudo, “a diminuição de pressão é realmente muito pequena e detecta apenas em sensores de alta precisão”. Ele acredita que, por isso, “a maneira mais segura de abrir uma garrafa de espumante é fazer isso gentilmente, sem sacodi-la”.

Aprenda como abrir garrafa de espumante chacoalhado

Aprenda como abrir garrafa de espumante chacoalhado